Padrões de uso de Internet podem indicar estado depressivo

Estudo desenvolvido pela Universidade de Ciência e Tecnologia do Missouri (EUA) apresenta aspectos relacionais entre estudantes com sinais de sintomas depressivos e o uso diferenciado da Internet.
Na pesquisa foram analisados estudantes universitários e seu uso em relação à Internet, sendo que os autores do estudo identificaram 9 padrões de uso da rede que podem indicar um estado depressivo.

Segundo Sriram Chellappan, autor da pesquisa, o estudo é pioneiro no que tange a identificação de padrões de uso da Internet e sua relação com estados depressivos, além de investigar como os indivíduos utilizam a mesma.

Os autores do estudo analisaram durante um mês dados de 216 estudantes da própria universidade, sendo que os estudantes foram testados para determinar se haviam indícios de depressão presentes; Com a análise em conjunto dos resultados dos testes e os dados da Internet obtidos, conclui-se que os estudantes com sinais depressivos detectados usaram a Internet de maneira muito diferente do que os outros estudantes participantes.

Percebeu-se que os estudantes depressivos se utilizavam de serviços de compartilhamento de arquivos, envio de e-mails e conversavam em salas de bate papo com uma frequência muito maior do que o apresentado pelo grupo controle; Os autores pontuam também que tais estudantes utilizavam a Internet de maneira mais randômica, frequentemente alterando entre aplicativos abertos – como salas de bate papo, jogos e e-mail, por exemplo.

Chellappan acredita que o método utilizado nesta pesquisa pode também ser aplicado para ajudar no diagnóstico de outros distúrbios, como a anorexia, bulimia, déficit de atenção ou esquizofrenia.

Fonte: Science Daily

Comments are closed.


loading...