Psicologia tem papel fundamental no desenvolvimento de uma EAD de qualidade, aponta estudo

Estudo desenvolvido pelos profissionais Cristineide Leandro França, Karen Weizenmann da Matta e Elioenai Dornelles Alves objetivou investigar as contribuições da Psicologia para a Educação a Distância – EAD, através de revisão bibliográfica.
A educação a distância fora desenvolvida com o intuito de estimular e disseminar o conhecimento, fazendo uso de uma aprendizagem colaborativa, e rompendo com determinadas características da educação tradicional – como o tempo e a rigidez física. Porém há outros aspectos pertinentes além das questões de espaço/tempo, como peculiaridades psicossociais que contribuem ou dificultam para o conhecimento, englobando questões afetivas e interativas desse processo; No que tange a Psicologia, a mesma se destaca entre as ciências que estudam o desenvolvimento da EAD ao estudar as considerações psicológicas que possam influenciar as relações professor/aluno, o fenômeno da interatividade nesse abordagem tecnológica e as teorias educacionais que a fundamentam.

Os autores apresentam outros aspectos históricos e de definição da EAD, inclusive em relação à inserção da EAD no contexto brasileiro – por volta de 1900, no Rio de Janeiro. No que tange ao cenário atual do ensino a distância, o mesmo assume uma natureza interdisciplinar e apresenta  inovações tecnológicas rápidas, contínuas e consubstanciadas pela inclusão de universidade corporativas, universidades abertas a distância, inclusão digital, novos modelos pedagógicos, redes educacionais abertas, entre outros fatores.
 
O papel da Psicologia em relação ao ensino a distância fundamenta-se principalmente em contribuições encontradas nos modelos de teorias da aprendizagem, cognitiva, comportamental, do desenvolvimento e sócio construtivista, sendo que os autores destacam nomes como Pavlov, Watson, Thorndike, Skinner, Piaget e Vygostky e seus estudos como contribuição para o campo.

Apresentando resultados de outros estudos de revisão bibliográfica acerca da EAD e apontando questões acerca da EAD, o presente estudo estabelece um objetivo geral (analisar as contribuições da Psicologia para a EAD no período de 1999 a 2009) e dois objetivos específicos, dos quais: identificar as contribuições da Psicologia para a EAD e classifica-las em eixos temáticos.

A partir da revisão de literatura das publicações nacionais sobre EAD e Psicologia – onde se organizou os estudos conforme aspectos de data, autores ou autor, título e tipo de publicação e classificou os mesmos em eixos temáticos.
 
Com a utilização de 39 estudos classificados segundo critérios de inclusão, nove eixos temáticos foram construídos: tecnologias educacionais com fundamentos psicológicos, afeição, papel do tutor/ professor, teorias psicológicas, interatividade, evasão, relatos de experiências, avaliação de treinamento, desenvolvimento e educação à distância e outros.

 Houve maior número de artigos no eixo temático tecnologias educacionais com fundamentos psicológicos, seguido dos eixo denominados afeição e papel do tutor/professor; Já em ordem decrescente de frequência de publicação, é a interatividade o eixo temático encontrado, seguido das categorias evasão e relatos de experiências; Os autores apontam também a variação em relação ao número de estudos publicados por ano, sendo que 2009 fora o ano com mais publicações que relacionam Psicologia e EAD.

Analisando os resultados, o estudo concluiu que o papel da Psicologia na EAD encontra relevância não apenas nas contribuições teóricas psicológicas acerca da interação professor-aluno, alunos-colegas e questões afetivas, mas também no que tange a adequação das ferramentas tecnológicas aos aspectos subjetivos dos alunos.

Os resultados obtidos apontam para um crescente interesse pela temática Psicologia e EAD nos últimos dez anos, com o expressivo desenvolvimento de textos que abordam as tecnologias educacionais com fundamentos psicológicos; Os dados apontam também para a predominância de estudos relacionando a Psicologia e a EAD nos últimos quatro anos, especialmente nos anos 2008 e 2009; Os autores apontam que o aumento de pesquisa em Psicologia em EAD é um aspecto interessante, que proporciona um feedback aos planejadores com vistas a fortalecer a qualidade da EAD.

Destaca-se entretanto que os estudos acerca do papel da Psicologia na educação a distância ainda são incipientes, o que demanda estudos sistemáticos acerca dessa temática e a disseminação de ferramentas efetivas nesse campo.

FRANCA, Cristineide Leandro; MATTA, Karen Weizenmann da; ALVES, Elioenai Dornelles. Psicologia e educação a distância: uma revisão bibliográfica. Psicol. cienc. prof.,  Brasília,  v. 32,  n. 1,   2012 .   Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932012000100002&lng=pt&nrm=iso. acessos em  13  ago.  2012.  http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932012000100002.

Comments are closed.


loading...