Ansiedade é fator preditor de Transtorno de Estresse Pós-Traumático, aponta estudo

Em recente estudo, pesquisadores da Universidade de Vanderbilt sugerem que a ansiedade pode ser fator preditor do Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT).
A ansiedade é presente em muitas pessoas que sofrem de TEPT, sendo que a mesma caracteriza-se por medo de uma condição ou evento que a pessoa considere nocivo; Como por exemplo uma mulher que sofreu um aborto pode desenvolver ansiedade em relação a uma futura gravidez.

Em adição a isso, a sensação de aversão – onde o indivíduo faz uma associação repulsiva com o sentimento de aversão – também é um dos fatores principais no desenvolvimento e manutenção da ansiedade.

O estudo mediu os níveis de aversão, ansiedade e regulação emocional em uma amostra de veteranos de guerra que foram expostos a eventos traumáticos; Os pesquisadores comparam os níveis de sensibilidade entre 21 veteranos com o transtorno, 16 que não possuíam TEPT e 22 civis também sem o transtorno. O resultado apontou que os veteranos com o TEPT obtiveram os maiores níveis de sensibilidade à ansiedade, sendo que os veteranos sem o transtorno obtiveram os menores níveis de sensibilidade à aversão.

Os pesquisadores acreditam que na amostra dos veteranos sem o transtorno, níveis baixos de sensibilidade a aversão serviram como um fator protetor em relação ao desenvolvimento do TEPT; “Essas descobertas preliminares apontam que a sensibilidade a ansiedade e aversão podem ser diferentes no que tange a representação destes como fatores de risco ou resiliência no desenvolvimento do transtorno”, concluem os pesquisadores.

Fonte:  PsychCentral

Comments are closed.


loading...