Estudo aponta que homens estão sob maior risco de desenvolver depressão após derrame

Pesquisadores da Universidade de Cincinnati apontam que, apesar de um terço dos pacientes vítimas de derrame desenvolverem depressão, indivíduos do sexo masculino estão sob maior risco.
Os pesquisadores acreditam que a necessidade masculina de controlar sua própria saúde e necessidades pode contribuir para esse cenário, sendo que muitos dos pacientes se acostumam e valorizam o controle de sua saúde e necessidade. De acordo com Michale McCarthy, autor do estudo, a perda do controle causada pelo derrame pode ser entendida como uma perda do poder e prestígio, sendo que essas perdas podem resultar em grandes síndromes depressivas.

Participaram do estudo 36 participantes que tiveram um derrame nos últimos trinta e seis meses, sendo que desses 16 eram mulheres e 20 homens; Os pacientes foram avaliados no que tange seus sintomas depressivos bem como a habilidade das mesmas em realizar atividades de rotina, como banhar-se e cortar alimentos. Os pesquisadores aferiram também a incerteza dos pacientes no que se refere a sua própria saúde e resultados de seus derrames.

Os pacientes deveriam concordar ou discordar em relação a certas perguntas e/ou situações, como “Eu não sei o que há de errado comigo” e “Eu tenho muitas questões não respondidas”; Os pesquisadores descobriram que as incertezas acerca da saúde estão extremamente relacionadas a depressão em todos os participantes e, nos indivíduos do sexo masculino, essa associação é mais forte.

Os resultados também revelaram que uma conversa com os pacientes e suas famílias de maneira simples e clara acerca da situação de saúde do paciente pode ser uma aproximação efetiva para diminuir a angústia e sofrimento do paciente e para melhorar os resultados da reabilitação.

Fonte: Universidade de Cincinnati

Comments are closed.


loading...