O desenvolvimento e a aprendizagem no ser humano

O conceito de desenvolvimento humano, ao longo dos tempos, vem se alterando. Já pensou-se em desenvolvimento inato, ou seja, que as pessoas já nasciam dotadas de qualidades nas quais se destacavam, o ser humano nascia “pronto”, o destino individual de cada ser humano estaria determinado antes do nascimento. Outra concepção seria a do ambientalismo, defendendo que todos são produtos do meio, ou seja, nascem como uma folha em branco que ao longo do tempo começou a ser moldada baseada nos estímulos do meio.

O interacionismo se afirma na ideia da interação entre o organismo e o meio, para Vigostski essa relação é diferente, eles não se unem, mas interagem dialeticamente.  Estariam ancorados, por um lado, nas características biológicas humanas e, por outro, são desenvolvidos ao longo de sua história social.

2. As opiniões e as teorias

Segundo pesquisa realizada com 13 pessoas das mais variadas classes sociais e profissões. Apresentou um índice de 73% que defendiam a ideia de que o conhecimento e a aprendizagem dependiam do ambiente, ou seja, em uma determinação ambientalista. A aprendizagem ocorreria a partir da mudança do comportamento, baseado em estímulo-resposta e o ser humano seria um agente passivo, que responderia aos estímulos do meio. O homem seria como um plástico que vai sendo moldado, desenvolvendo suas capacidades e assimilando conhecimentos devido às condições existentes no meio no qual está inserido.

O ambientalismo ou comportamentalismo seria segundo Agnela Giusta:

O conceito de aprendizagem emergiu das investigações empiristas em Psicologia, ou seja, de investigações levadas a termo com base no pressuposto de que todo conhecimento provém da experiência. Isso significa afirmar o primado absoluto do objeto e considerar o sujeito como uma tabula rasa, uma cera mole, cujas impressões do mundo, formadas pelos órgãos dos sentidos, são associadas umas às outras, dando lugar ao conhecimento. O conhecimento é, portanto, uma cadeia de ideias atomisticamente formada a partir do registro dos fatos e se reduz a uma simples cópia do real. (GIUSTA, 1985, p. 26)

 

Ou ainda, segundo Winnicott:

Nenhum bebê, nenhuma criança, pode vir a tornar-se uma pessoa real, a não ser sob os cuidados de um ambiente que dá sustentação e facilita  os processos de amadurecimento. Os bebês que não recebem esses cuidados suficientemente bons “não conseguem se realizar nem  mesmo como bebês. Os genes  não são suficientes.” (WINNICOTT, 1968, p.84)

Os outros 23% dos entrevistados acreditam que o aprendizado se dá através de um interacionismo entre o meio ambiente, cultura e características inatas, biológicas. Segundo Vigotski, para o ser humano formar-se como pessoa, precisa estar inserido em um ambiente cultural e a aprendizagem se dá a partir da interação com outros indivíduo. Como analisa Teresa Rego:

Em síntese, nessa abordagem, o sujeito produtor de conhecimento não é um mero receptáculo que absorve e contempla o real nem o portador de verdades oriundas de um plano ideal; pelo contrário, é um sujeito ativo que em sua relação com o mundo, com seu objeto de estudo, reconstrói (no seu pensamento) este mundo. O conhecimento envolve sempre um fazer, um atuar do homem. (REGO, 2002, p. 98)

 

Segundo as pesquisas de Vigotski:

Desde os primeiros dias do desenvolvimento da criança, suas atividades adquirem um significado próprio num sistema de comportamento social e, sendo dirigidas a objetivos definidos, são refratadas através do prisma do ambiente da criança. O caminho do objeto até a criança e desta até o objeto passa através de outra pessoa. Essa estrutura humana complexa é o produto de um processo de desenvolvimento profundamente enraizado nas ligações entre história individual e história social (VIGOTSKI,1989, p. 33).

Para Vigotski as vivências ou processos sociais são internalizados, apropriados pelos indivíduos através das funções mentais.

A concepção inatista possui a visão de um humano que já nasce dotado de algumas características como a personalidade, hábitos, valores e facilidades para determinados tipos de atividades, como se fosse uma espécie de dom. Não importa se o meio exige do ser humano ou se não existe reforço, ele se manterá o mesmo devido a suas características inatas e o que poderá ocorrer ao longo da aprendizagem, seria um aprimoramento.

A natureza, dizem-no, é apenas o hábito. Que significa isso? Não há hábitos que só se adquirem pela força e não sufocam nunca a natureza? É o caso, por exemplo, do hábito das plantas, cuja direção vertical se perturba. Em se lhe desenvolvendo a liberdade, a planta conserva a inclinação que a obrigaram a tomar; mas a seiva não muda, com isto, sua direção primitiva; e se a planta continuar a vegetar, seu prolongamento voltará a ser vertical. O mesmo acontece com os homens (J.J. Rousseau, Emílio)

Em relação aos dados pesquisados, a visão inatista correspondeu a 0% das opiniões, ou seja, ela pode estar se tornando obsoleta devido ao maior número de conhecimento dos indivíduos e a queda de crenças medievais nas quais o homem era o centro do universo; porém, algumas questões permanecem sem resposta, como por exemplo, pessoas mais aptas para determinadas atividades e outras não, sem qualquer tipo de treinamento, como a resolução de cálculos matemáticos.

3. Conclusão

Este trabalho não teve como objetivo chegar a alguma conclusão e sim, confrontar as teorias desenvolvidas juntamente com a opinião dos entrevistados. Mostrou que certas concepções são mais vigentes e propicias que outras nos tempos atuais. Fez-se necessário compreender a visão dos entrevistados em relação ao desenvolvimento da aprendizagem humana, independente de seu meio social.

 

Referências

GIUSTA, A. da S. 1985. Concepções de Aprendizagem e Práticas Pedagógicas. In: Educ.Rev. Belo Horizonte,v.1: 24-31.

REGO, T. C. 1999. Vygotsky: uma perspectiva Histórico-Cultural da Educação. Rio de Janeiro, Vozes, 138 p.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

__________. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comments are closed.


loading...