Psicanálise não pode ser exercida como profissão no Brasil

O TRF da 1.ª Região negou permissão à Sociedade Psicanalítica Ortodoxa do Brasil para desempenho de atividades de psicanálise de forma profissional no país. A 7.ª Turma do Tribunal chegou ao entendimento unânime após julgar apelação da instituição contra sentença que julgou improcedente o seu pedido para declarar seu direito a ministrar cursos, realizar debates, seminários, conferências sobre psicanálise e praticá-la em termos profissionais em todo o território nacional.

O artigo 5.º da Constituição Federal de 1988 prevê, no rol dos direitos e garantias fundamentais, o livre exercício profissional, desde que o profissional atenda as qualificações profissionais definidas por lei. No caso, a profissão de psicanalista não foi regulamentada, mas isso não desincumbe o profissional das exigências legais, pois é uma especialidade da área de Psicologia, conforme prevê a Lei n.º 4.119/62, que regulamenta a profissão de Psicólogo.

O desembargador federal Luciano Tolentino Amaral, relator do processo na Turma, destacou que além de a formação em Psicanálise não integrar ainda o elenco dos currículos de graduação aprovados na forma da legislação vigente, a instituição apelante não é sociedade de ensino regularmente credenciada nos órgãos competentes para ministrar e manter qualquer tipo de curso, tanto menos em todo o território nacional. Inexiste lei que regulamente especificamente a atividade de psicanalista, o que não enseja a abertura para qualquer pessoa atuar no ramo, uma vez que é especialidade da área de Psicologia, conforme o art. 13, 1º da Lei 4.119/62, que regulamenta a profissão de Psicólogo. Assim, as supostas atividades de um psicanalista se enquadram nas competências dos psicólogos, razão pela qual não existe um tratamento normativo que a rege como profissão autônoma (TRF2, AC 200350010024277, T5 especializada, Rel. Desembargadora Federal Maria Amelia Senos de Carvalho, e-DJF2R 24.07.2012), votou o magistrado, citando jurisprudência do TRF da 2.ª Região sobre o tema.

Assim, o relator negou provimento à apelação.

Processo n.º 0025214-81.1998.4.01.3400

Data do julgamento: 25/11/2013

Publicação no diário oficial (e-dJF1): 06/12/2013

TS

Assessoria de Comunicação Social

Tribunal Regional Federal da 1.ª Região

Fonte: jusbrasil.com.br

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

,

39 Responses to Psicanálise não pode ser exercida como profissão no Brasil

  1. Paula Saviano Pinheiro 8 de julho de 2014 at 15:34 #

    Péssimo pra vc Maria…
    Falo como cliente mesmo, que estou numa transformação total depois que comecei minha analise com minha "SÓ" psicanalista.
    Faça uma analise com "sós" psicanalistas pra falar com maior propriedade (em partes também, pois existem profissionais e profissionais como em qualquer área).

  2. Paula Saviano Pinheiro 8 de julho de 2014 at 15:21 #

    José, vdd.
    Sou estudante de psicanálise e tenho uma psicanalista que esta fazendo por mim muito mais que psicólogos já fizeram.
    Ai vou eu dizer que ela não serve??? Afe… Só psicólogo serve?? Nãããõooo mesmo.
    Psicólogos servem pra uma coisa e psicanalistas pra outra totalmente diferente.
    Cada dia que passa vejo a importância tamanha de um psicanalista por minha própria analise.
    Porque cada um não cuida do que é seu não é?
    Uma vez que Psicólogos e Psicanalista estão em linhas bem diferente.
    Pra mim é inveja, pois o curso em psicanálise é concluído em muito menos tempo….kkkk o que é muito bem plausível, pois os dois cursos não tem haver, cada qual trabalha numa linha.

  3. Paula Saviano Pinheiro 8 de julho de 2014 at 15:12 #

    Inveja mata…rsrs

  4. Paula Saviano Pinheiro 8 de julho de 2014 at 15:09 #

    O título é totalmente tendencioso, uma vez que se refere somente a Sociedade Psicanalítica Ortodoxa do Brasil. A proibição foi somente para a instituição acima citada, conforme no texto mesmo conter os dizeres: "a instituição apelante não é sociedade de ensino regularmente credenciada nos órgãos competentes para ministrar e manter qualquer tipo de curso"

  5. Jose Campos Lopes Jose 29 de junho de 2014 at 20:42 #

    Sou psicanalista com muita honra, mais os que dizem que a psicanalise não padem ser reconhecida como profissão e que não é profissão, é porque esta sem acreditar na profissão que tém,e esta com medo dos psicanalistas, porque ninguém atira pedras em arvores que não tem furtos? Só atira nas que dão frutos doce e gostosas, vê se atira nas amargas.

  6. Wille Zur Macht 21 de junho de 2014 at 17:49 #

    Para além da briga psicanálise x psicologia, que de fato não é útil à nenhum dos lados (e não só psis comemoram, há psicanalistas que também o fazem), há um detalhe que gostaria de atentar: Freud, pode-se dizer, começou a psicanálise com "estudos sobre histeria" em 1895 (senão adotarmos "a interpretação dos sonhos" em 1900 como início), enquanto que a psicologia já existia desde 1879 com os laboratórios de Wundt.

  7. Carlos Casandrade 24 de abril de 2014 at 21:57 #

    Muito bom o esclarecimento do Sindicato. Precisamos estar atentos para nos defender com seriedade, pois quem trabalha no Brasil está sempre sujeito às ameaças e ataques daqueles que pretendem usurpar seu lugar.

  8. Carlos Casandrade 24 de abril de 2014 at 21:50 #

    Salomão, coitado! você não herdou a sabedoria do outro bíblico, infelizmente. Você tá cantando vitória por quê? o que vai te acrescentar se você não entende nada de psicanálise, vai fazer análise como? como psicólogo? ou vai aprender psicanálise?

  9. Frederico Cabral 6 de fevereiro de 2014 at 11:56 #

    Salomão Calheiros, não sei se vale a pena começarmos um debate sobre o modo de trabalho da Psicanálise … Você tem todo direito de achar que Psicanálise "parou no tempo", é a sua opinião e, talvez, de outros psicólogos. Mas aqui a discussão era outra: fazer da Psicanálise uma especialização da Psicologia. Eu não acho que deva ser assim, defendo a boa velha ideia de cada macaco no seu galho. O que você acha do "Ato Médico", onde os médicos queriam, entre outras coisas, fazer com que a Psicologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, ficassem sob a tutela da Medicina ? Eu sou contra, da mesma forma que sou contra a Psicanálise ficar sob a tutela da Psicologia, só isso … Agora, se a Psicanálise está parada no espaço-tempo de Einstein-Minkowsky ou no espaço de Calabi-Yau, é outra história e outra discussão que prefiro não abordar aqui por ser um assunto extenso demais.

    Um grande abraço e obrigado pela sua sincera opinião.

  10. Salomão Calheiros 6 de fevereiro de 2014 at 0:35 #

    Frederico Cabral Vocês vivem numa eterna torre de marfim.

  11. Frederico Cabral 5 de fevereiro de 2014 at 22:55 #

    Salomão Calheiros meu jovem, eu não estou a fim de cursar 5 anos de Psicologia para só depois me especializar em Psicanálise … Prefiro mil vezes passar 5 anos estudando somente Freud, Lacan, Melanie Klein, Bion, Winnicot ente outros. Para quem deseja ser psicanalista é muito mais proveitoso. Não estou tirando os méritos da Psicologia, só estou defendendo a ideia de que a Psicanálise pode ser exercida sem que se tenha que estudar a Psicologia. Como já disse, Freud não cursou Psicologia para depois DESENVOLVER a Psicanálise, então por que, logo eu teria que fazer isso ??? Eu até entendo o ponto de vista "corporativista" de vocês psicólogos, que acham legal incorporar a Psicanálise da mesma forma que a Medicina tenta incorporar a Psicologia. Apenas não concordo … E agradeço pelo conselho para eu "aprimorar meus conhecimentos" e realmente o farei, porém com os livros de Freud, em primeiro lugar ;)

    Um abraço

  12. Salomão Calheiros 5 de fevereiro de 2014 at 22:44 #

    Frederico Cabral O Garotão aqui é psicólogo, meu jovem. Por que o senhor não faz uma faculdade de psicologia e assim complementa de maneira essencial o seu conhecimento em Psicanálise? A psicanalise dessas universais do reino de deus, vendidas aos montes em cursos de 2 anos ou menos se aproximam de maneira muito intima do transcendental. Muito longe das produções em pesquisas e contribuições REAIS no campo do conhecimento da psicologia ou mesmo da "isolada" psicanálise como um todo. Vai lá, meu senhor, aprimore seus conhecimentos. Eu como psicologo, passo longe da Psicanálise, até porque minha abordagem teórica nasce justamente da critica à psicanálise, que é a Esquizoanálise. Mas admiro muitos amigos meus que são Psicólogos e adotaram a Psicanálise como abordagem para suas praticas e, principalmente para a produção de pesquisas e contribuições no campo do conhecimento.

  13. Darlan Lima 5 de fevereiro de 2014 at 18:01 #

    Sindicato dos Psicanalistas do Estado de São Paulo

    SINPESP-Sindicato-dos-Psicanalístas-do-Estado-de-São-Paulo_75295_image.gif

    SINPESP

    Rua Cel. Artur de Godói, 170 – Vila Mariana

    CEP: 04018-050 – São Paulo

    http://www.sinpesp.com.br

    (11) 5575-2063

    Estamos recebendo muitos e-mails a respeito da notícia publicada no site do TRF da 1ª Região, no dia 17/ 01/2014, com o título: Psicanálise não pode ser exercida como profissão no Brasil, por isso, tentaremos esclarecer alguns pontos neste momento, a fim de tranquilizar nossos colegas psicanalistas que podem estar sentindo o temor da injustiça.

    O primeiro fato, e o mais importante, a ser observado é a própria existência do nosso sindicato (SINPESP – Sindicato dos Psicanalistas do Estado de São Paulo), que já preconiza o reconhecimento da psicanálise como profissão. Um sindicato existe quando um grupo de profissionais, que realizam uma mesma atividade, se reúne em prol da sua profissão, além disso, é a partir de seu registro no Ministério do Trabalho que o sindicato passa a ter existência efetiva e atuação respeitada.

    Portanto, o reconhecimento da psicanálise perante o Ministério do Trabalho é nosso segundo ponto, que credita aos psicanalistas a autorização de sua profissão. Para tanto, o MTE diferencia o psicanalista do psicólogo, de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO – 2515-50). A CBO reconhece, nomeia e codifica os títulos e descreve as características das ocupações do mercado de trabalho brasileiro. A CBO descreve que a “ocupação psicanalista não é uma especialização, é uma formação, que segue princípios, processos e procedimentos definidos pelas instituições reconhecidas internacionalmente, podendo o psicanalista ter diferentes formações como: psicólogo, médico, filósofo etc.”.

    Além disso, o terceiro ponto a nosso favor, é que na Lei 4.119/62 citada na notícia não se refere em nenhum momento ao psicanalista ou à psicanálise, portanto não se poderia citar essa lei apenas pela suposição de que psicologia e psicanálise fazem parte da mesma esfera teórica, profissional ou ética.

    O departamento jurídico do SINPESP está averiguando as informações e tomará as providências cabíveis para esse caso. Acreditamos que há um equívoco quanto ao entendimento do psicanalista como profissional, distinto do psicólogo. Entendemos, ainda, que é de competência do Ministério do Trabalho o reconhecimento do profissional psicanalista, e isso já existe.

    Sabemos, pois, que a psicanálise não tem sua profissão regulamentada, mas isso não significa sua impossibilidade de existência. No Brasil, somente o Congresso Nacional tem poder para regulamentar uma nova profissão, por meio de criação, votação, aprovação e sanção presidencial de leis específicas. Para que haja regulamentação é necessário que a profissão seja conhecida e reconhecida socialmente, mais ainda, é necessário que se redija um Projeto de Lei que contemple toda a especificidade da profissão.

    Prevalece hoje, no Brasil, a legitimidade do exercício da psicanálise àquele que participou de curso de formação, ministrado por uma associação/ instituição de psicanalistas e que trabalha de acordo com princípios éticos que devem nortear a conduta do profissional. Há critérios que viabilizam a formação do psicanalista, que vão além das questões teóricas, pois se fundamenta no divã. O tripé de formação é condição essencial e primordial ao psicanalista.

    O SINPESP já vem fazendo um estudo aprofundado sobre as questões que envolvem as diversas tentativas de regulamentação e estamos sempre abertos para discussões que visem esclarecer, debater e apreciar os diversos pontos de vista sobre os elementos que envolvem uma possível regulamentação.

    Nosso objetivo é defender os interesses e direitos dos psicanalistas, além de contribuir para o aperfeiçoamento profissional, promovendo o fortalecimento da profissão psicanalista, que ultrapassa os limites do consultório.

    A psicanálise não pode ser vista como uma profissão simples, pois está atrelada ao posicionamento ético e ao desejo do analista. Por isso, defendemos que todo olhar para o psicanalista deve ser cuidadoso, tomando em atenção as especificidades que a formação exige.

    Elizandra Souza

    Psicanalista

    Diretora da Comissão de Ética do SINPESP

  14. Darlan Lima 5 de fevereiro de 2014 at 17:53 #

    A formação em psicanálise é de caráter livre no Brasil e a Profissão é reconhecida e amparada pela Portaria 397 de 09/10/2002 do Ministério do Trabalho e Emprego – CBO nr. 2515-50 e Aviso 257/57 do Ministério da Saúde; Decreto Federal 2208 de 17/04/97, Portaria 397 do Ministério do Trabalho, Parecer CONJUR/MS/CMA 452/2.

  15. Darlan Lima 5 de fevereiro de 2014 at 17:53 #

    A formação em psicanálise é de caráter livre no Brasil e a Profissão é reconhecida e amparada pela Portaria 397 de 09/10/2002 do Ministério do Trabalho e Emprego – CBO nr. 2515-50 e Aviso 257/57 do Ministério da Saúde; Decreto Federal 2208 de 17/04/97, Portaria 397 do Ministério do Trabalho, Parecer CONJUR/MS/CMA 452/2.

  16. Darlan Lima 5 de fevereiro de 2014 at 17:53 #

    A formação em psicanálise é de caráter livre no Brasil e a Profissão é reconhecida e amparada pela Portaria 397 de 09/10/2002 do Ministério do Trabalho e Emprego – CBO nr. 2515-50 e Aviso 257/57 do Ministério da Saúde; Decreto Federal 2208 de 17/04/97, Portaria 397 do Ministério do Trabalho, Parecer CONJUR/MS/CMA 452/2.

  17. Darlan Lima 5 de fevereiro de 2014 at 17:52 #

    A formação em psicanálise é de caráter livre no Brasil e a Profissão é reconhecida e amparada pela Portaria 397 de 09/10/2002 do Ministério do Trabalho e Emprego – CBO nr. 2515-50 e Aviso 257/57 do Ministério da Saúde; Decreto Federal 2208 de 17/04/97, Portaria 397 do Ministério do Trabalho, Parecer CONJUR/MS/CMA 452/2.

  18. Darlan Lima 5 de fevereiro de 2014 at 17:52 #

    A formação em psicanálise é de caráter livre no Brasil e a Profissão é reconhecida e amparada pela Portaria 397 de 09/10/2002 do Ministério do Trabalho e Emprego – CBO nr. 2515-50 e Aviso 257/57 do Ministério da Saúde; Decreto Federal 2208 de 17/04/97, Portaria 397 do Ministério do Trabalho, Parecer CONJUR/MS/CMA 452/2.

  19. Darlan Lima 5 de fevereiro de 2014 at 17:52 #

    A formação em psicanálise é de caráter livre no Brasil e a Profissão é reconhecida e amparada pela Portaria 397 de 09/10/2002 do Ministério do Trabalho e Emprego – CBO nr. 2515-50 e Aviso 257/57 do Ministério da Saúde; Decreto Federal 2208 de 17/04/97, Portaria 397 do Ministério do Trabalho, Parecer CONJUR/MS/CMA 452/2.

  20. Darlan Lima 5 de fevereiro de 2014 at 17:51 #

    A formação em psicanálise é de caráter livre no Brasil e a Profissão é reconhecida e amparada pela Portaria 397 de 09/10/2002 do Ministério do Trabalho e Emprego – CBO nr. 2515-50 e Aviso 257/57 do Ministério da Saúde; Decreto Federal 2208 de 17/04/97, Portaria 397 do Ministério do Trabalho, Parecer CONJUR/MS/CMA 452/2.

  21. Anônimo 22 de janeiro de 2014 at 16:28 #

    Não há na lei que criou a profissão de psicólogo ou o conselho de Psicologia nada que faça menção por escrito ou a vinculação da "Psicanálise" a psicologia ou a conselho. Freud (1856/1939) criador da Psicanálise era médico, e não era psicólogo, nunca foi psicólogo.
    Nos tempos de Hitler houve muita perseguição a Psicanálise e aos psicanalistas, uma espécie de inquisição as técnicas de Freud que levava o individuo ao saber do inconsciente humano. A Psicanálise é laica e livre desde dos tempos de Freud, E quando ela for normatizada, dogmatizada e monopolizada não será mais "Psicanálise" . Psicanálise é uma formação livre por tripé Psicanalítico, é uma "ocupação" de alguém que já tenha uma profissão. Os juristas deviam ler e estudar mais sobre a Psicanálise. Por isso no Brasil a justiça é cega; para não ver o erros que podem adoecê-la e desacreditá-la. E ainda digo mesmo após mais de cincoenta ou cem anos….Freud explica e Lacan Implica.

    11 horas atrás Responder

  22. Lucas Mendes 21 de janeiro de 2014 at 20:57 #

    De maneira nenhuma Frederico. Quem segue a teoria psicanalítica pode enxergar a psicologia a partir deste viés; entretanto, quem não enxerga nela nenhum possibilidade de compreensão do sujeito busca fundamentos em outra teoria. Existe ainda uma outra pessoa que não reduz a psicologia a nenhuma destas teorias, e tem uma visão ampliada do sujeito. Outra coisa; as teorias psicanalíticas necessitam constantemente de atualização, pois se você seguir o modelo freudiano de se fazer psicanálise, teremos uma psicanálise ortodoxa. O próprio Jung foi EXCLUÍDO (não foi um simples confronto de ideias) da psicanálise por que discordava das bases de Freud. E não é porque Freud era médico neurologista, que a psicologia segue piamente o que medicina aponta. Você precisa ter algum conhecimento, mas psicologia não tem nada a ver com medicina dos médicos.

  23. Frederico Cabral 21 de janeiro de 2014 at 20:39 #

    Não me refiro ao surgimento das teorias da Psicologia, que como você bem disse, surgiram há muito tempo, com a Filosofia. O método de trabalho do(a) psicólogo(a) contemporâneo é sim, uma herança da Psicanálise e da Medicina.

  24. Deivede Ferreira 21 de janeiro de 2014 at 19:45 #

    Em suma, a decisão do TRF1 é pontua e não afeta, diretamente ou indiretamente, outras Instituições Psicanalíticas.

  25. Lucas Mendes 21 de janeiro de 2014 at 18:06 #

    Como é que pode a psicanálise ter nascido antes da psicologia se Freud nasceu no século XIX e morreu no século XX; enquanto que a psicologia existe desde a idade antiga? Outra coisa é que, as teorias freudianas ofereceram sim alguma contribuição para psicologia; mas, se limita a ser apenas mais uma fonte de possíveis entendimento do homem. Ela não é uma ciência independente, pois seus próprios, não à sustenta. NÃO FOI A PSICANÁLISE QUE DEU ORIGEM A PSICOLOGIA.

  26. Dolores Ribeiro 21 de janeiro de 2014 at 16:29 #

    Vou iniciar Psicologia este ano, estou muito contente…tenho acompanhado, sem entender muito bem, esse conflito…existe uma associação aqui em Recife que ministra o curso de psicanálise…A psicanálise está dentro da psicologia é isso?…Tive interesse em fazer, mas só depois da facu, estou certa?…agradeço se alguém esclarecer minhas dúvidas…abraços a todos!!!…

  27. Gilmara Tinoco 21 de janeiro de 2014 at 15:12 #

    Eu entendi que uma pessoa não vai poder se dizer psicanalista só pq fez curso de psicanálise. Eu conheço uma oftalmo que atende como psicanalista por ter feito curso de psicanálise e ter a experiência de quase 15 anos em análise. Então entendi que a psicanálise não será uma profissão autónoma como a do psicólogo que pode dizer ser psicanalista por especialização. Bem, isso foi o que entendi, mas posso estar totalmente equivocada, ainda mais quando se trata de PSICANÁLISE. Logo nós veremos, Bjs e saudades!!!!!!!!

  28. Anônimo 21 de janeiro de 2014 at 11:14 #

    A decisão do TRF refere-se a Instituição "xxxxx" e esclareça-se ao público que esse processo estava na justiça desde 1998. Antes de difamar ou perseguir a psicanálise consulte o processo e entendam melhor a lei.

  29. Anônimo 21 de janeiro de 2014 at 11:08 #

    Não há na lei que regulamenta a profissão de Psicólogo ou cria o conselho de Psicologia; uma menção sequer de vinculação a palavra "Psicanálise ou Psicanalista". O que existe é uma campanha difamatória por reserva de mercado. A decisão do TRF não têm força de abrir a temporada de perseguição a psicanálise e psicanalistas como nos tempos de HITLER ou da INQUISIÇÃO. Há pareceres e consultas tanto do Conselho de Psicologia e Medicina que se isentam de vinculação a Psicanálise e sua formação no Brasil a esses Conselhos e Profissões.

  30. Simone Ravizzini 20 de janeiro de 2014 at 20:54 #

    Gilmara Tinoco, vc não leu atentamente o artigo. Releia e veja o pq do veto. Conversamos depois na Estácio se vc quiser. bjooo

  31. Anchyses Jobim Lopes 20 de janeiro de 2014 at 17:16 #

    Corretíssimas as palavras de Sonia Martins Seixas, colega do Círculo Psicanalítico da Bahia, que copio abaixo
    A psicanálise não é profissão, portanto o pedido dos "ortodoxos" foi negado com propriedade , mas quem fez a reportagem desconhece que a psicanálise não é especialidade do médico ou do psicólogo.Vide:http://www.cbp.org.br/manifestooriginal.htm

  32. Frederico Cabral 20 de janeiro de 2014 at 16:41 #

    Meu caro, J(ung)ose Carlos Tavares, o que eu entendo é que a Psicanálise é um saber em si mesmo, independente da Psicologia. Não vejo necessidade alguma, para quem deseja ser psicanalista, estudar por exemplo, Carl Rogers (linha Humanista), Análise Transacional, TCC, e outras linhas, que em nada vão contribuir para a Psicanálise … Tenho profundo respeito por todas essas linhas de trabalho, mas por achar que cada macaco deve ficar no seu galho, acho desnecessário e arbitrário, proibir a Psicanálise como profissão. Os psicólogos que estão comemorando a decisão do TRF, talvez não estejam vendo que estão agindo IGUAL aos médicos que tentaram impor o "Ato Médico" à sociedade … Agora é o "Ato dos Psicólogos" ? Estão querendo abraçar a Psicanálise como uma especialidade para que ?

    O garotão aqui em baixo diz que é uma "vitória aos psicólogos" … Pergunto: ganharam exatamente o que com isso ???????????????????

    #revoltado

  33. Jose Carlos Tavares 20 de janeiro de 2014 at 16:16 #

    Queridissimo Fre(u)derico. a Psicanálise é do elenco das técnicas, é a segunda força da Psicologia. Há grande mérito nessa área que estende o alcance da mesma.
    Compreendo que os psicanalistas que não tenham formação de Psi devam ser respeitados como profissionais. O que não concordo é que se torne a Psicanálise exclusiva, corporativa e cartorial de qualquer grupo de interesse.

  34. Frederico Cabral 20 de janeiro de 2014 at 16:06 #

    * antes da

  35. Frederico Cabral 20 de janeiro de 2014 at 16:06 #

    Bando de animais … A Psicanálise nasceu ANTES na Psicologia e independente desta … Sigmund Freud era médico e fundou a Psicanálise graças aos seus próprios esforços. Dizer que a Psicanálise é uma especialização da Psicologia é ABSURDO ! ! !

  36. Gilmara Tinoco 20 de janeiro de 2014 at 16:00 #

    Conheço gente que se diz Psicanalista, com consultorio e tudo, mas nunca fez faculdade de nada, somente por que já faz analise a 15 anos e fez curso em escola de Psicanálise. Assim é facil!

  37. Maria Tereza Bessa de Freitas 20 de janeiro de 2014 at 14:59 #

    Muito Bom ! Eu conheço algumas pessoas que atendem só tendo o curso de psicanálise. Essa especialização deveria ser atribuída somente aos psicólogos.
    Alguns médicos se acham no direito de atender como psicólogos só por ter o curso de psicanálise…péssimo

  38. Sonia Martins Seixas 20 de janeiro de 2014 at 14:13 #

    A psicanálise não é profissão, portanto o pedido dos "ortodoxos" foi negado com propriedade , mas quem fez a reportagem desconhece que a psicanálise não é especialidade do médico ou do psicólogo.Vide:http://www.cbp.org.br/manifestooriginal.htm

  39. Salomão Calheiros 19 de janeiro de 2014 at 22:39 #

    Vitória a nós psicólogos!

Deixe uma resposta