Depressão canina: o que os principais médicos veterinários do Brasil falam a respeito

Cachorros são realmente pequenos humanos, contudo, esse status não traz somente benefícios. Assim como nós, nossos fieis escudeiros também podem sofrer com depressão, ao menos essa é a conclusão dos médicos veterinários.

Há quem seja incrédulo quanto ao quadro de ansiedade e depressão de animais de estimação como um todo, acreditando que é somente mimo. Mas essa situação vai muito além de excesso de carinho, é uma verdadeira doença que você deve enfrentar junto do seu cão.

Quer saber mais sobre depressão canina? Continue lendo esse texto!

Causas e sinais da depressão em cães segundo médicos veterinários

Quase como uma regra a depressão é causada por uma mudança brusca na rotina ou no ambiente em que o cachorro costumava viver. Isso pode ser um forte fator no aumento da ansiedade e stress do animal, resultando, ultimamente, em depressão.

Dentre essas mudanças estão:

  1. Morte de alguma pessoa ou animal de estimação da casa, especialmente se eles eram muito ligados;

  2. Em contraste com a situação acima, a inclusão de outro animal de estimação também pode resultar em depressão;

  3. Quando a liberdade do animal é ceifada de maneira abrupta ficando prezo e não se exercitando o suficiente;

  4. Experiências traumáticas como quedas de grandes alturas, atropelamentos, cirurgias e até a recuperação de doenças sérias.

Mas dentre esses ainda não está o principal, o sentimento de abandono. Criar um pet não quer dizer passeios periódicos e também boa alimentação. É necessário ter tempo para dedicar ao pequeno e também para brincar e inseri-lo em sua rotina, mesmo com essa rotina insana dos grandes centros urbanos.

Mas agora que você já sabe as causas, como identificar a depressão em seu cachorro? Vamos descobrir!

Os sinais da depressão canina

Identificar a depressão em cães não é uma tarefa muito simples, afinal, o principal sinal apresentado é um estado constante de apatia. Se antes ele era um cachorro animado e brincalhão, quando a depressão começa a se instalar ele fica muito mais quieto e só quer ser deixado sozinho no canto dele.

Assim como os humanos, as atividades que antes traziam grande prazer como brincar e também passeios já não o estimulam. Essa situação de estresse pode levar o animal até a automutilação e é nessa hora que você não pode mais esperar e os médicos veterinários aconselham a correr atrás de um profissional.

Outro sintoma que fica bastante evidente e pode, inclusive, servir como um diferenciador a outras patologias é justamente a aversão ao toque. Seu cachorro não irá mais gostar de carinhos, preferindo estar sozinho.

Como prevenir a depressão canina

A prevenção da depressão se dá principalmente pela eliminação da sua causa, então, se o seu cãozinho passa muito tempo sozinho, é necessário passar mais tempo com ele. É interessante ter uma vida ativa junto do seu cão e entender que ele também faz parte da sua vida.

O tratamento da depressão em cães

Nunca tente administrar medicamentos para tratar o quadro de depressão do seu pet, somente os médicos veterinários podem prescrever com fidelidade a situação do mesmo.

Mesmo antes de apostar no medicamento, tenha em mente que também é preciso acabar com a causa! Sendo assim, carinho e atenção são as grandes armas contra essa situação clínica!

Além disso, também existem remédios homeopáticos e até mesmo florais feitos especialmente para o seu cachorrinho e podem ajudar em recuperação. Ademais, outra abordagem são as sessões terapêuticas caninas em que o veterinário assumirá o papel de psicólogo e tentará entender o porquê da mudança comportamental do cão.

A depressão, assim como nos humanos, não é brincadeira e merece atenção de um médico veterinário. Caso você perceba os sinais acima mencionados, não pense duas vezes, procure a ajuda que o seu animal de estimação precisa!

Comments are closed.