Archive | Terapia Analítico-Comportamental e Análise do Comportamento RSS feed for this section

A Terapia Analítico-Comportamental não é um conjunto de técnicas

Por Carolina B. F. Niero e Jan Luiz Leonardi

Continue Reading

"Soberba" segundo a Análise do Comportamento

Por: Giovana Del Prette.

Continue Reading

Relacionamentos amorosos: "Prevenir é melhor do que remediar"?

Segundo Skinner (1953/2003), comportamento social é a interação de duas ou mais pessoas que se comportam de maneira a influenciar o comportamento da outra e juntas modificam o ambiente no qual estão inseridas. Então, segundo essa definição, a relação conjugal é comportamento social. Por exemplo, se o namorado manda mensagens para o celular da namorada dizendo que a ama, aumenta a chance desta responder a mensagem de forma carinhosa e de sentir felicidade, sentimento produzido pelo comportamento do namorado….

Continue Reading

“Essa tal Felicidade”: em alguns casos, um problema de controle de estímulos

Segundo Houaiss e Villar (2008), o termo “felicidade” refere-se, entre outras coisas, à satisfação, contentamento e bem-estar. Todavia, chegam diariamente aos nossos consultórios pessoas que apresentam como queixa “não ter encontrado a tal da felicidade” e/ou “não sentir felicidade” ― ou variações em que não se utiliza o termo felicidade, mas que se referem a essa sensação ―, e que relatam sentir “angústia”, “tristeza”, &l…

Continue Reading

[Orientação de Pais] Filho de peixe…

Por que os pais educam os filhos da maneira como o fazem? Alguém pode ensinar um pai a ser pai ou uma mãe a ser mãe? Quem sabe mais a respeito dos filhos do que os próprios pais, enquanto eles ainda são bem crianças?

Continue Reading

A pesquisa em psicoterapia: em busca de medidas que revelem os efeitos da psicoterapia.

A prática da psicoterapia1 encontra-se em um momento especialmente complexo. Por um lado, há um movimento mundial em busca das Psicoterapias Baseadas em Evidências (PBE), que propõe um rol de práticas empiricamente sustentadas, que por esta razão mereceriam o aval e o financiamento de governos e planos de saúde2. Por outro, há uma resistência de muitas abordagens (entre elas, a análise do comportamento) a aderir a protocolos rígidos de intervenção (pacotes de técnicas), especialmente por considerar a idiossincrasia envolvida nos casos clínicos.

Continue Reading


loading...