Archive | Winnicott – Paixão, Compaixão e Humor RSS feed for this section

Uma Certa Escola

Em Abril de 2007 passamos, eu e minha mulher, Liana, educadora veterana, exatamente duas horas e meia na Escola da Ponte. Percorremos toda a escola – guiados por dois alunos. Os professores, lá, pelo jeito não se metem com visitantes (que vêm do mundo todo): têm mais o que fazer, apesar de não darem aulas. Rubem Alves disse que essa era a escola dos seus sonhos: Teria optado por estudar ali se pudesse voltar a ser criança. Eu e minha mulher chegamos à conclusão de que nós também.

Continue Reading

O ser e o fazer: uma contribuição Psicanalítica para a Educação

Não sendo especialista em educação, reconheço que meus conhecimentos sobre esse campo tão fundamental para o funcionamento da sociedade humana são falhos e superficiais. No entanto, gostaria de aventar uma hipótese sobre a diferença entre um bom professor e um outro que é apenas cumpridor de suas tarefas. Muitos esforços foram dedicados à elucidação desse enigma, mas quando pergunto a esse respeito aos profissionais desse campo com os quais a vida me colocou em contato, recebo res…

Continue Reading

A importância da Psicanálise na Educação – Entrevista a Liana Velazquez Bogomoletz

Davy, por que a psicanálise para quem lida com educação? Não é um tratamento voltado para as doenças, pouco tendo a ver com o que se passa entre professores e alunos? Eu poderia dizer que não é bem assim. Posso fazer uma analogia com a medicina. Sabemos que ‘medicina' significa uma série de técnicas capazes […]

Continue Reading

A Perda Perdida – Segunda Versão

"True, most things can be corrected, but few, if any, cracks or ruptures can be put together so well that there will be no impression or scar. This scar on the flesh of man influences the whole structure of human life." 'É verdade, a maioria das coisas podem ser corrigidas, mas poucos, se é que […]

Continue Reading

A Farsa do Patinho Feio

Pois é. Como vocês vão ver a seguir, pretendo acabar com um mito tão querido, e não estou nem um pouco arrependido. Trata-se da história do Patinho Feio.

Ela é uma mentira. E das grossas. Trágica. Terrível.

Vou explicar.

Continue Reading

REFLEXÕES PSICOTERAPÊUTICAS SOBRE UM GIRASSOL

o que é o útero senão um solo? O que é o solo senão um útero? Em ambos, colocada a semente, nasce algo. Em ambos algo se cria. SE cria. O útero e o solo nada criam. Nada fazem. Apenas PERMITEM. AJUDAM. POSSIBILITAM. As sementes trazem a sua capacidade criativa/criadora embutida. Faz parte da semente ser criativa. Se não é criativa, não é semente. Basta-lhe o ambiente propício para ela germinar, e germinar quer dizer modificar-se para transformar-se em algo bem maior que ela mesma. O solo e …

Continue Reading

Amor e Paixão em Freud e Winnicott ou para uma Psicanálise 2.0

O tema da paixão, como um fenômeno estreitamente relacionado ao do amor, a ponto de muita gente tomar um pelo outro sem muito refletir, vendo na paixão apenas uma forma mais ‘viva’, mais ‘colorida’, mais ‘cheia de graça’ que o amor, merece mais do que a entusiasmada torcida de um certo grupo de profissionais da psicanálise, movidos que são, justamente, pelo ‘entusiasmo’. Curiosa a presença desse termo neste contexto, já que seu sentido etimológico é ‘poss…

Continue Reading

Winnicott e o Futuro da Humanidade

Amigos: Este não é um texto sobre psicanálise. Primeiro, é sobre a dificuldade que temos de tomar consciência de certas coisas. Não por repressão, negação ou alienação. Por pura tacanhez mesmo. Segundo, é sobre o que poderá acontecer quando certas coisas se tornarem conscientes para um número grande de pessoas, transformando-se em ‘verdades óbvias’, como hoje é o fato de que a Terra é que gira em torno do Sol, e não ao contrário.

Perdoem-me …

Continue Reading

Ilusão: O Ambiente em que vivemos

Gostaria de caracterizar a ilusão não por contraste com a percepção objetiva da realidade externa, mas como uma região intermediária entre a fantasia inconsciente (à qual o indivíduo não tem acesso), e a percepção da realidade – tanto interna como externa. Os que conhecem Winnicott sabem que é mais ou menos assim que ele a […]

Continue Reading

Um é Pouco, Dois é Bom, Três é Demais!

Há muito tempo ouço falar, no campo da psicanálise, do mais que famoso ‘terceiro’. Folcloricamente, o ‘terceiro’ é aquele outro elemento humano que, de fora, invade o espaço da díade mãe-filho, quebrando ou ao menos esgarçando o vínculo primário, e provocando desse modo a reação adversa da criança (geralmente, embora possa existir também a oposição da figura materna, não desejosa de perder o seu espaço de onipotência junto ao rebento simultaneamente endeusado e tiranizado). Teoricamente, o ‘terceiro’ é na verdade uma função, que pode ser chamada de ‘função paterna’, pois teria a missão de real…

Continue Reading


loading...