Archive | JAC – USP-SP 2010 RSS feed for this section

A evolução do conceito de metacontingência: indivíduo X Cultura (Ricardo Martone)

Continue Reading

Visão Pessoal da Análise do Comportamento (João Cláudio Todorov)

A análise do comportamento não é uma área da psicologia, mas uma maneira de estudar o objeto da psicologia. Este trabalho traduz uma visão pessoal e tenta esclarecer os significados dos termos "behaviorismo", "análise do comportamento" e "psicologia". O termo "behaviorismo" tem sido utilizado de diversas maneiras e de tal modo que se pode afirmar […]

Continue Reading

Determinismo e Liberdade na Análise do Comportamento (Alexandre Dittrich)

A suposição de que o comportamento humano é completamente determinado é constante nos textos de Skinner. Não obstante, o próprio Skinner admite que é impossível provar tal suposição – como também é impossível, por outro lado, provar que o comportamento humano é livre. O fato de que Skinner trata o determinismo como suposição, pressuposto ou […]

Continue Reading

Reductionism And Behavior Analysis (Marcus Jackson Marr)

All of natural science, by definition, has the primary task of reducing Nature's complexities given ­to a limited set of concepts, principles, laws, and mechanisms that, more or less, captures that complexity.  Behavior analysis, as a natural science, certainly exemplifies this task, by, for example, reducing the complexities of behavior to the action of contingencies.  […]

Continue Reading

Críttica e Metacrítica no Behaviorismo Radical (Kester Carrara)

Polêmico desde a veiculação, em 1913, do "manifesto" de Watson, o Behaviorismo ora produziu admiração, ora rejeição no contexto da literatura científica em Psicologia. Especialmente a partir de Skinner, com a proposição do Behaviorismo Radical, reverberaram asserções contundentes que mudaram de maneira importante toda a lógica explicativa da conduta humana. A massa de dados e […]

Continue Reading

Mecanicismo (Lourenço Barba)

O mecanicismo representa uma doutrina segundo a qual os fenômenos da Natureza explicam-se inteiramente pela causalidade mecânica. Isto é, as categorias explicativas estabelecidas pela Física, no estudo dos sistemas mecânicos, seriam suficientes, em última instância, para explicar os fenômenos da Natureza. O mecanicismo, aplicado às ciências biológicas, corresponde à tese de que os organismos vivos […]

Continue Reading

Sobre a Noçao de Eu (Isaías Pessotti)

Há milênios, os homens falam de si mesmos. Portanto, necessariamente discriminam entre o que consideram si mesmos e o que lhes é estranho: falar de si implica alguma linha divisória entre o "si mesmo" e o mundo. Ao falarem de si, podem referir-se ao que sentiram, ao que fizeram, ou ao que foi registrado desse […]

Continue Reading


loading...