Raios gama ajudam a tratar transtornos obsessivo-compulsivos

Desde dezembro, quando cinco cirurgias desse tipo foram feitas pela primeira vez no Brasil em pessoas cujos nomes são mantidos em sigilo, uma mistura de sentimentos – cautela, ansiedade e satisfação – acompanha a equipe de Eurípedes Constantino Miguel no Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

[url=http://www.revistapesquisa.fapesp.br/show.php?lang=pt&id=revistas1.fapesp1..20040407.20040498..SEC1_6]Fonte: Revista FAPESP[/url]
Desde dezembro, quando cinco cirurgias desse tipo foram feitas pela primeira vez no Brasil em pessoas cujos nomes são mantidos em sigilo, uma mistura de sentimentos – cautela, ansiedade e satisfação – acompanha a equipe de Eurípedes Constantino Miguel no Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

[url=http://www.revistapesquisa.fapesp.br/show.php?lang=pt&id=revistas1.fapesp1..20040407.20040498..SEC1_6]Fonte: Revista FAPESP[/url]

,

Comments are closed.