Assistência à saúde da mulher: vencendo antigas dificuldades

Movimentos de defesa dos direitos da mulher vêem, desde a década de 50, conseguindo grandes avanços do que tange aos cuidados de saúde especialmente desenhados para atender ao público feminino. Há algumas décadas, não havia uma abordagem médica baseada na diferença de gêneros, e os cuidados da mulher eram feitos tomando-se por base observações obtidas de homens. Artigo publicado esta semana no periódico eletrônico American Medical News, da Associação Médica Americana, discute as conquistas de movimentos de defesa da mulher na solução de disparidades já observadas entre os sexos na atenção da saúde. Apesar dos avanços, ainda hoje existem nos EUA cercade 16,5 milhões de mulheres à margem da assistência básica à saúde.

Fonte: [url=http://www.ama-assn.org/amednews/2004/10/04/hlsa1004.htm]American Medical News[/url]
Movimentos de defesa dos direitos da mulher vêem, desde a década de 50, conseguindo grandes avanços do que tange aos cuidados de saúde especialmente desenhados para atender ao público feminino. Há algumas décadas, não havia uma abordagem médica baseada na diferença de gêneros, e os cuidados da mulher eram feitos tomando-se por base observações obtidas de homens. Artigo publicado esta semana no periódico eletrônico American Medical News, da Associação Médica Americana, discute as conquistas de movimentos de defesa da mulher na solução de disparidades já observadas entre os sexos na atenção da saúde. Apesar dos avanços, ainda hoje existem nos EUA cercade 16,5 milhões de mulheres à margem da assistência básica à saúde.

Fonte: [url=http://www.ama-assn.org/amednews/2004/10/04/hlsa1004.htm]American Medical News[/url]

Comments are closed.