Resposta do CRP-RS ao SIMERS

A gestão PRAPSIS do Conselho Regional de Psicologia do RS se dirige aos (às) colegas Psicólogos(as) para divulgar seu posicionamento e esclarecer sobre as providências que serão tomadas no sentido de fazer frente ao aviltamento sofrido pela categoria através de entrevista e reportagem publicadas na última edição da revista do SIMERS (edição de março de 2006), que passou a ser divulgada pelo site da entidade em 19/04/06.
A gestão PRAPSIS do Conselho Regional de Psicologia do RS se dirige aos (às) colegas Psicólogos(as) para divulgar seu posicionamento e esclarecer sobre as providências que serão tomadas no sentido de fazer frente ao aviltamento sofrido pela categoria através de entrevista e reportagem publicadas na última edição da revista do SIMERS (edição de março de 2006), que passou a ser divulgada pelo site da entidade em 19/04/06.
Temos recebido inúmeras manifestações de colegas e de outros profissionais, inclusive da categoria médica que expressaram sua veemente indignação com a inconsistência teórica e técnica das matérias, o que, por si só já constitui desrespeito com a Psicologia como ciência e profissão.

Nosso primeiro cuidado tem sido para não adotar uma posição baseada em sentimentos revanchistas. Entendemos que não foi com este tipo de estratégia que nossa profissão conquistou o respeito e o lugar que ocupa hoje na sociedade. Pretendemos fazer a discussão quanto ao posicionamento da gestão do SIMERS e da Sra. Laís Legg no campo da ciência, da ética e da justiça.

No campo da ciência e da ética dispomos de informações que poderão esclarecer os equívocos e dirimir as inconsistências cometidas pela referida psiquiatra e, conseqüentemente pelo SIMERS. Desta forma pretendemos fornecer-lhes fundamentos que os impeçam de repetir ataques cientificamente ignorantes e eticamente inaceitáveis ao nosso campo de conhecimento e à nossa profissão.

No campo Jurídico, estamos tomando as providências para que a gestão do SIMERS e a Sra. Laís Legg sejam responsabilizados por colocarem em suspeita um exercício profissional regulamentado no Brasil desde 1962 e uma construção científica que vem se fazendo e consolidando há séculos.

Estas providências referem-se mais especificamente as seguintes ações:
– Retirada do Site e da circulação impressa da edição da revista do SIMERS do mês de março de 2006;
– Solicitação de direito de resposta em igual número de páginas no próximo n° da revista do SIMERS;
– Pedido de retratação da entidade sindical médica quanto aos ataques cometidos contra a profissão de psicólogo (a);
– Responsabilização da Sra. Laís Legg por suas afirmações que podem caracterizar infâmia e injúria a toda uma profissão.

A Psicologia, justamente por reconhecer a importância da subjetividade na vida das pessoas, pode compreender o sofrimento pessoal ao qual está submetida a Sra. Laís Legg em função da perda familiar referida por ela. Porém, não podemos aceitar que este sofrimento seja impulsionador de uma “cruzada pessoal” contra uma categoria profissional e, muito menos, que uma entidade de classe se aproveite desse sofrimento para uso em defesa de ações corporativistas deturpadas.

Entendemos que a defesa dos interesses de uma categoria profissional não confere direito a uma entidade sindical de lançar-se contra outra categoria profissional de forma a desqualificá-la e macular sua imagem perante a opinião pública sem o menor fundamento técnico/ científico e rigor ético. A esta atitude leviana, os psicólogos (as) gaúchos (as) e brasileiros (as) podem estar certos, faremos nosso contraponto.

Leia: [url=http://www.simers.org.br/revista0306-01.htm]Entrevista da Dra. Laís Legg à Revista do SIMERS[/url]

Fonte: [url=http://www.crp07.org.br/]www.crp.org.br[/url]

Comments are closed.