Reações emocionais de mães com crianças hospitalizadas

A internação assim como a enfermidade, provocam mudanças na vida pessoal e familiar, motivando transtornos emocionais.

O objetivo deste trabalho foi estudar as reações maternais em decorrência da hospitalização de um filho(a).

Foi aplicado um Inventário de Ansiedade – A estado (IDATE) em uma amostra de 15 mães cujos filhos encontravam-se internados há pelo menos 15 dias.

Os resultados demostraram níveis variados de modalidades emocionais atingindo ordem percentual acima dos padrões de normalidade: 53,30% sentimento de culpa, 26,70% impotência, 13,30% não aceitação da realidade, 6,70% desânimo. Os escores do Inventário de Ansiedade obtiveram pontuação com intervalos entre 67 e 71.

Os profissionais de saúde devem estar atentos a estas reações e aptos a atuar de forma a apoiar as mães oferecendo orientações importantes sobre a natureza e a evolução da enfermidade de forma clara e compreensível, objetivando a minimização das alterações psíquicas ressaltadas pela hospitallização. Evidencia-se assim, a importância da Psicologia compondo a equipe multiprofissional neste cenário.

Ana Cristina Amaral do Nascimento
CRP 05/14954
PRONTOBABY – HOSPITAL DA CRIANÇA – RJ
XXX CONGRESSO BRASILEIRO DE PEDIATRIA – 1997

Comments are closed.