Educação em saúde ganha dicionário

Com a apresentação de termos que descrevem e problematizam a educação em saúde no Brasil, mais verbetes utilizados nos sistemas de saúde, a publicação tem o objetivo de familiarizar e manter atualizados profissionais da área.
Com a apresentação de termos que descrevem e problematizam a educação em saúde no Brasil, mais verbetes utilizados nos sistemas de saúde, a publicação tem o objetivo de familiarizar e manter atualizados profissionais da área.
“Saber diferenciar os conceitos que envolvem o trabalho em saúde é uma séria dificuldade enfrentada pelos profissionais. O dicionário se propõe a unificar os significados que envolvem os três eixos temáticos: trabalho, educação e saúde”, disse Isabel Brasil, vice-diretora de pesquisa e desenvolvimento tecnológico da EPSJV e uma das organizadoras do livro, à Agência FAPESP.

Segundo Isabel, muitos profissionais de saúde ministram cursos e atuam diretamente na formação dos estudantes sem conhecer teorias importantes nos campos do trabalho e da educação. Para ela, como o objetivo central desses profissionais é a formação acadêmica em saúde, a relação entre trabalho e educação acaba ficando defasada.

“A recíproca é verdadeira para os profissionais de educação, uma vez que, apesar de também serem responsáveis pela formação dos profissionais da saúde, muitos deixam a desejar no campo teórico das questões entre trabalho e saúde”, disse.

A escolha dos termos contou com a participação de pesquisadores de diversos grupos da EPSJV, que discutiram e indicaram os verbetes prioritários para compor a coletânea. O livro, que também contou com a organização de Júlio César Lima, professor da EPSJV, teve financiamento do Ministério da Saúde e da Organização Panamericana da Saúde (Opas).

“Não se trata de um dicionário convencional de definições curtas. São 49 verbetes cujos conceitos e concepções são descritos em 305 páginas. A proposta é que esses conceitos sejam implementados em sala de aula, como mais uma ferramenta para a formação do pensamento crítico de alunos e docentes”, sugere Isabel.

Mesmo sendo recorrentes no âmbito da educação em saúde, os termos selecionados são de conhecimento restrito entre educadores e pesquisadores que atuam na área. “Temos um universo de mais de 100 verbetes que, por falta de espaço, não puderam fazer parte dessa edição. Um segundo volume do dicionário será lançado até o fim de 2007 com o restante”, disse a vice-diretora de pesquisa e desenvolvimento tecnológico da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio

Os 1,5 mil exemplares impressos do primeiro volume serão distribuídos gratuitamente a bibliotecas de instituições de ensino interessadas no assunto. O restante da tiragem será vendido para o público em geral.

Fonte: [url=http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=6550]Agência FAPESP[/url]

,

Comments are closed.