Fumantes faltam mais do trabalho por motivo de saúde que não-fumantes

Os fumantes tiram, em média, quase oito dias a mais de licenças de saúde por ano que seus colegas não-fumantes, segundo um estudo sueco publicado nesta quinta-feira no jornal especializado britânico Tobacco Control.
Os fumantes tiram, em média, quase oito dias a mais de licenças de saúde por ano que seus colegas não-fumantes, segundo um estudo sueco publicado nesta quinta-feira no jornal especializado britânico Tobacco Control.
O estudo analisou dados sobre as faltas por motivo de saúde de mais de 14.000 trabalhadores entre 1988 e 1991.

A média total de dias de licença de saúde foi 25 no grupo, formado por 29% de fumantes, 26% de ex-fumantes e 45% de pessoas que nunca fumaram.

Em média, os fumantes tiraram 34 dias de licença de saúde por ano, enquanto aqueles que “nunca” fumaram tiraram 20 e os ex-fumantes, 25.

O abismo entre os ex-fumantes e aqueles que nunca fumaram caiu abaixo dos oito dias quando fatores como status sócio-econômico, consumo de álcool e obesidade foram levados em conta.

A Suécia tem a mais alta taxa de faltas por motivo de saúde entre os países industrializados. Segundo números recentes da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), o país perde 25 dias de trabalho ao ano por funcionário devido a faltas por motivo de saúde contra 9 nos Estados Unidos.

Mesmo assim, as evidências indicam que o tabagismo tem um impacto claro sobre a produtividade não só na Suécia, acrescentou o estudo realizado por Petter Lundborg, economista da Universidade Livre de Amsterdã, na Holanda.

Fonte: [url=http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/afp/2007/03/28/ult4430u114.jhtm]Ciência e Saúde[/url]

Comments are closed.