Pós-graduação brasileira começa a ser avaliada

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), órgão ligado ao MEC, inicia na segunda-feira, 06/08, a 15ª avaliação trienal (período 2004 a 2006) da pós-graduação stricto sensu brasileira. Mais de 3.400 cursos de mestrado e doutorado de todo o país deverão ser analisados por grupos de especialistas de diversas áreas do conhecimento.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), órgão ligado ao MEC, inicia na segunda-feira, 06/08, a 15ª avaliação trienal (período 2004 a 2006) da pós-graduação stricto sensu brasileira. Mais de 3.400 cursos de mestrado e doutorado de todo o país deverão ser analisados por grupos de especialistas de diversas áreas do conhecimento.

As notas dadas aos programas variam de 1 a 7. Os cursos que recebem conceitos 3, 4 e 5 são considerados regulares e bons; já os conceitos 6 e 7 indicam programas com padrão de excelência internacional. O problema fica por conta dos cursos que recebem os conceitos 1 e 2, isso porque determinam o fechamento do programa.

A avaliação trienal leva em conta os seguintes critérios: proposta do curso; formação, dimensão, composição e dedicação do corpo docente; produção científica; qualidade das teses e dissertações; infra-estrutura de ensino e pesquisa; o impacto social do programa.

Os professores que pretendem fazer mestrado ou doutorado devem ficar atentos e acompanhar com atenção o resultado da avaliação. Isso porque se ingressarem num programa descredenciado não terão depois seus diplomas reconhecidos.

O resultado da avaliação será divulgado pela CAPES em outubro.

Fonte: Sinprosp

,

Comments are closed.