ludoterapia

No início, também chamada de terapia pelo brinquedo. Em psicopatologia infantil, é um método de tratamento que corresponde, em geral, ao método de psicanálise em psicopatologia de adultos, com a diferença de que a criança se expressa e revela o material inconsciente ao terapeuta por meio de brinquedos, em vez da verbalização de pensamentos, como o adulto na psicanálise.

A atividade lúdica das crianças, uma parte essencial de suas vidas, é de natureza auto­-expressiva. Numa sala de jogos contendo todos os tipos de jogos e brinquedos, muito poderá ser aprendido a respeito da criança observan­do-se que jogos ela prefere e o modo como brinca. Por exemplo, durante uma sessão na sala de ludoterapia, um menino de nove anos apanhou giz de várias cores e desenhou no quadro-negro uma bonita casa de campo. Con­cluído o desenho, o terapeuta cumprimentou calorosamente o menino pelo seu trabalho e depois pediu-lhe que compusesse uma história sobre a pessoa que vivia nessa casa. Sabia-se que ele era uma criança oriunda de um lar des­feito e muito pobre, numa favela da cidade; não obedecia à mãe e dizia-se que ele tinha causado a morte de sua irmãzinha, um bebê que ele empurrara pela escada de incêndio.

Na ludoterapia, o menino criou aquilo que lhe faltava: um lar atraente no campo. Ao contar a história das pessoas que viviam nessa casa, vieram à tona os seus sentimentos a res­peito de seu próprio lar e de sua própria famí­lia. O terapeuta pôde ajudá-Io a enfrentar a sua insegurança, ansiedade e hostilidade, e a apren­der melhores formas de lidar com elas. Antes desse desafogo através da ludoterapia, o menino tinha-se mostrado incomunicativo e inaces­sível em numerosas entrevistas com o terapeuta.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.