Cadmo

Cadmo, filho de Agenor rei da Fenícia recebeu ordens do pai para resgatar sua irmã Europa que Júpiter havia raptado e ainda lhe proibiu de voltar sem ela. Por um longo período procurou Europa em lugares distantes, mas não a encontrou.

Não querendo voltar sem a irmã, consultou o oráculo de Apolo e então parou de procurá-la e seguiu as instruções do oráculo de vigiar uma vaca e segui-la até que esta caísse cansada. No local onde a vaca caiu, foi fundada a cidade de Cadméia.

Em agradecimento a Júpiter, Cadmo mandou seus servos procurarem água pura para oferecer uma cerimônia religiosa, mas estes foram mortos por uma serpente que vigiava o lago. Quando Cadmo veio à procura destes, encontrou apenas fragmentos de membros e o grande monstro saciado. Mesmo estando só e levemente armado, conseguiu subjugar a serpente e semeou os dentes do animal no solo. Deles surgiu um grupo de guerreiros, armados com espadas e lanças. Teriam atacado Cadmo, se este não tivesse tido a idéia de lançar uma grande pedra no meio deles; assim, começaram a atacar uns aos outros, parando apenas quando restavam apenas cinco deles; estes cinco se juntaram a Cadmo e se tornaram os fundadores das cinco grandes famílias de Tebas.

Zeus permitiu que Cadmo se casasse com Harmonia, filha de Ares e Afrodite e o casamento foi prestigiado por vários deuses. Cadmo então, tornou-se rei de Tebas e seu reinado foi próspero e tranqüilo. Civilizou a Beócia e ensinou o alfabeto aos gregos. No final de sua vida teve seus filhos e netos mortos como castigo por ter matado a serpente que era consagrada a Marte. Cadmo juntamente com Harmonia foram transformados em serpentes.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.