Estudo indica que bebês com pais deprimidos apresentam vocabulário menor

Um estudo da Universidade Eastern Virginia Medical School, nos Estados Unidos, publicado na revista New Scientist sugere que crianças quem têm pais deprimidos têm vocabulário menor do que as com pais saudáveis. Por outro lado, a pesquisa concluiu que crianças com mães com sistomas parecidos não foram afetadas.
Um estudo da Universidade Eastern Virginia Medical School, nos Estados Unidos, publicado na revista New Scientist sugere que crianças quem têm pais deprimidos têm vocabulário menor do que as com pais saudáveis. Por outro lado, a pesquisa concluiu que crianças com mães com sistomas parecidos não foram afetadas.

Foram analisadas 5 mil famílias, sendo que quando as crianças tinham nove meses de idade, 14% das mães e 10% dos pais estavam deprimidos. Eles estudaram o impacto do desenvolvimento da língua medindo quantas palavras de 50 palavras comuns as crianças estariam usando aos dois anos de idade. Segundo os pesquisadores, crianças aos dois anos de idade com pais deprimidos usavam 1,5 palavra a menos do que a média de 29.

O psicólogo pediátrico James Paulson, que liderou a equipe de pesquisa, afirma que, apesar da diferença parecer pequena, quando ampliada para o vocabulário completo de uma criança, pode fazer uma grande diferença. Os especialsitas explicaram que enquanto mães deprimidas não reduziam a quantidade de tempo que passavam lendo para seu bebê de nove meses, foi registrada uma redução de 9% no tempo que os pais deprimidos liam para seus filhos em relação àqueles que não tinham depressão.

Os resultados da pesquisa foram apresentados em uma conferência da Associação Psiquiátrica Americana.

Notícia retirada da fonte:

BBC Brasil

Por Carla Destro para RedePsi

,

Comments are closed.