Manifesto da SBPOT: os riscos da Psicologia apenas como área da saúde

No último dia 9, a Associação Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho publicou um manifesto que trata do risco que existe em definir a Psicologia como uma ciência que faz referência apenas a área da saúde.
No último dia 9, a Associação Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho publicou um manifesto que trata do risco que existe em definir a Psicologia como uma ciência que faz referência apenas a área da saúde.

A instituição justifica essa colocação afirmando que a Psicologia emerge tanto da ciência humana quando da ciência da vida psíquica, e que além disso ela também pode ser considerada uma ciência social, já que tem um papel importante nos estudos acerca dos processos de interação humana e dos fenômenos sociais.

Os participantes do manifesto argumentam que definir a Psicologia apenas como uma ciência da saúde "implica desconsiderar essa complexidade e diversidade de suas inúmeras aplicações", ou seja, deixa de lado toda a multiplicidade que existe em tal área. Além disso, eles também colocam que, atualmente, a saúde não é considerada apenas um estado de pessoa, mas sim, um processo que está associado à autonomia pessoal, à vida social e produtiva e à capacidade de adoecer e se recuperar. Eles sugerem ainda que definir a Psicologia como ciência da saúde pode trazer prejuízos para os processos de produção de conhecimento na área, pois consideram que as normas que regem as pesquisas na área da saúde são inapropriadas para os estudos de Psicologia.

O documento também afirma que na psicologia organizacional e do trabalho, os estudiosos se dedicam "ao bem-estar, à psicodinâmica, ao estresse, ao burnout, à qualidade de vida no trabalho e à ergonomia", isto é, conhecimentos e aplicações distintas que, somados a outros processos de trabalho – estruturas sociais e organizacionais e outros fenômenos socioculturas – são considerados fundamentais na gênese dos fenômenos psíquicos.

"A SBPOT alerta, no entanto, que o movimento de classificar a Psicologia somente como área da saúde atende mais a necessidades de instâncias governamentais e institucionais que a uma motivação intrínseca da própria Psicologia", e finaliza dizendo que direcionar Psicologia apenas nesse sentido de saúde pode trazer riscos à unidade. Segundo ela, essa direção é uma forma de anular o que é fundamental na Psicologia: "a busca de uma unidade na diversidade".

             

Para ler o manifesto completo:

http://www.sbpot.org.br/sbpot2/pdf/Wopsicologia_como_area_de_saude_julho_09072008.pdf

Por Carla Destro para RedePsi

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.