Avaliar qualidade de vida melhora auto-estima de adolescentes diabéticos

Um novo estudo divulgado pela revista especializada Diabetes Care afirma que adolescentes com diabetes tipo 1, também conhecida como diabetes insulino-dependente, podem ter alívio emocional apenas discutindo os problemas e aborrecimentos relacionados à sua condição.
Um novo estudo divulgado pela revista especializada Diabetes Care afirma que adolescentes com diabetes tipo 1, também conhecida como diabetes insulino-dependente, podem ter alívio emocional apenas discutindo os problemas e aborrecimentos relacionados à sua condição.

Ao analisar um grupo de adolescentes holandeses que têm problemas, os pesquisadores concluíram que aqueles que tiveram avaliada sua qualidade de vida pelos médicos apresentaram melhora psicológica. Em geral, elas passaram a ter menos problemas de comportamento, melhoraram a auto-estima e a saúde mental e tiveram momentos melhores com suas famílias.

Os resultados do estudo sugerem que os médicos deveriam, como parte da rotina, perguntar aos adolescentes diabéticos sobre sua qualidade de vida, afirma Maartje de Wit, do Centro Médico Universitário de Amsterdã, que liderou a pesquisa.

A equipe avaliou 91 adolescentes que recebiam tratamento em quatro clínicas. Todos receberam visitas de rotina em intervalos de três meses e responderam a perguntas sobre dificuldades no tratamento, obstáculos por ter a doença e conversas sobre o assunto com os pais.

Notícia retirada da fonte:

Folha Online

Comments are closed.