Praticar exercícios ajuda na recuperação de derrame cerebral

Estudo sugere que consequências do AVC podem sem mais leves em pacientes que se exercitam regularment.

Estudo sugere que consequências do AVC podem sem mais leves em pacientes que se exercitam regularment.

Praticantes de exercícios físicos se recuperam mais rapidamente de um acidente vascular cerebral (AVC) do que os sedentários. Essa é a conclusão de um estudo apresentado pelos pesquisadores do campus de Jacksonville da Clínica Mayo, nos Estados Unidos. O experimento publicado no Jornal de Neurologia, Neurocirurgia & Psiquiatria, revela que pacientes que se exercitavam com frequência antes de sofrerem um AVC, tiveram sequelas menos graves. O neurologista James Meschia, um dos pesquisadores, afirma que a atividade física pode ser muito benéfica para as pessoas que têm maior risco de sofrer um AVC. “Muitos estudos têm mostrado isso; a novidade é que se uma pessoa com o hábito de se movimentar, sofrer esse acidente cerebral, as consequências podem ser mais leves”, afirma. Esse experimento, projetado para examinar fatores de risco hereditários, é um dos primeiros a testar a hipótese de que os benefícios do exercício se estendem além da prevenção do problema.

Em todo o mundo, o AVC é uma causa comum de incapacidade e morte, entre pessoas com mais de 65 anos. No Brasil são registradas mais de 100 mil mortes por ano. Já nos Estados Unidos, o problema é responsável por mais de 780 mil, sendo a terceira maior causa de óbitos.

Fonte: Mente e Cérebro

Comments are closed.