A Arte de dar Feedback

O processo de comunicação implica em diversos modelos e etapas e nenhuma delas pode ser desprezada, considero o desenvolvimento das capacidades de ouvir, avaliar, administrar as emoções e dar feedbacks adequados como um fator determinante no sucesso pessoal, este tem sido um grande entrave nas relações interpessoais, temos implantado um padrão de comunicação que visa a competição e a comparação, isso transforma os feedbacks em ameaças e transformam as relações em batalhas.
 

Quantas vezes você se viu na seguinte experiência: Você expressa uma determinada dificuldade física, como por exemplo, o cansaço, da seguinte maneira: “Puxa, como (EU) estou cansado hoje, (EU) acho que preciso de férias” e aí VOCÊ recebe um feedbck mais ou menos assim: “Hummm, e EU? Estou (EU) morto de cansaço, se VOCÊ precisa de férias, imagine EU? Ou chega em casa e diz: “Querida, hoje EU trabalhei demais! E o feedback é: “VOCÊ nem imagina o quanto EU trabalhei hoje”…

Um Diálogo muito louco:

(Os nomes foram substituídos)

Um amigo (gerente de produção de uma grande empresa, que aqui chamarei de Mário) me narrou o seguinte diálogo ocorrido entre ele um diretor de sua empresa:

Mário: Dr. Jorge, EU gostaria de rever o nosso último relatório de produção, creio que posso localizar algumas situações críticas que não vimos em nossa reunião mensal de avaliação! Podemos fazer um novo encontro nessa semana?

 Dr. Jorge: EU duvido Mário, EU questionei tudo que era possível, (EU) faço isso há 30 anos!

Mário: Sim, EU sei que nunca tivemos este procedimento antes, mas é que (EU) repensei algumas situações em casa nesse final de semana e conversando com meu subgerente, (NOS)percebemos algumas alternativas interessantes.

Dr. Jorge: EU não mexo no time antes do segundo tempo,

Mário: O Senhor percebeu que nossa produtividade no setor 5 teve a mesma queda percentual que o aumento da produtividade do setor 7? Percebe a nossa resposta para a perda de competitividade em nossa falha em investir desproporcionalmente na evolução do primeiro setor? Desta forma criamos uma desproporção na competência e instrumental técnico, gerando um desencontro na produtividade!

Dr. Jorge: Mas EU não vou colocar MINHA cabeça a prêmio e mudar tudo! Me desculpe Mário, mas tenho uma reunião em 20 minutos, você tem algo importante a dizer?

Mário: KKKKKKKKKKKKKKKKKK, até mais Dr. Jorge.

Resumindo: Ninguém escutou ninguém!

Competição e Comparação,

Estes são os padrões de comunicação mais comuns em nossa sociedade, um padrão adoecido pela percepção inadequada do outro, na verdade este modelo extingue o fator “ouvir” como um processo de coleta de dados para avaliação com fins assertivos, mas direciona a mente para um processo de coleta de informações com fins estratégicos de contra-ataque e autodefesa. Desta forma ficamos prontos para responder e não para atender!

O desenvolvimento das capacidades de ouvir, avaliar, administrar as emoções e dar feedbacks adequados é a resposta para nossas relações interpessoais, que são traduzidas em feedbacks adequados, que satisfazem intelectual e emocionalmente os interlocutores.

10 Dicas para desenvolver a arte de ouvir e de dar feedbacks adequados:

<!–[if !supportLists]–>1.   
 <!–[endif]–>Desarme-se emocionalmente em qualquer diálogo, aprenda a perceber os melhores sentimentos e intenções por traz de cada fala e concentre-se nos fatos;

<!–[if !supportLists]–>2.  
<!–[endif]–>Organize as informações antes de dar feedbacks, faça anotações, releia, demonstre interesse;

<!–[if !supportLists]–>3.     
<!–[endif]–>Não julgue os outros precipitadamente; Valorize todas as
pessoas e situações;

<!–[if !supportLists]–>4.     
<!–[endif]–>Não tome nenhum diálogo como “pessoal” mesmo que o seja, mas
como uma oportunidade de crescer, aprender, mudar… Pergunte-se: O que posso aprender com esta situação?

<!–[if !supportLists]–>5.     
<!–[endif]–>Se não conseguir perceber os sentimentos por traz dos questionamentos, simplesmente questione de forma educada e assertiva: Acho que em seu lugar eu também estaria pensando em mudanças, me diga exatamente como você se sente a respeito disso! Me ajude a entender a situação aqui!

<!–[if !supportLists]–>6.     
<!–[endif]–>Não responda de forma contraditória imediatamente, evite iniciar as frases com a palavra NÃO, use adjetivos como: Ótimo, muito bom, em seguida coloque suas observações, mesmo que o melhor naquele momento seja pedir
tempo para pensar…

<!–[if !supportLists]–>7.     
<!–[endif]–>Não se compare ou coloque-se em posição de superioridade;

<!–[if !supportLists]–>8.     
<!–[endif]–>Não se coloque em posição de competidor, mas de cooperador, parte da equipe;

<!–[if !supportLists]–>9.     
<!–[endif]–>Se perceber animosidade procure mudar o clima levantando valores essenciais de forma honesta; Seguem ai algumas direções:

<!–[if !supportLists]–>9.1   
<!–[endif]–>“Toda família tem suas encrencas, se estamos tentando ser uma boa família não podemos escapar das encrencas também não é?”

<!–[if !supportLists]–>9.2   
<!–[endif]–>“Não será a primeira vez que meus colegas me ajudam a corrigir algo”

<!–[if !supportLists]–>9.3   
<!–[endif]–>“Espero que consigamos manter este padrão de ajuda e apoio nos momentos críticos, isso faz toda a diferença”

<!–[if !supportLists]–>10.   
<!–[endif]–>Demonstre gratidão sempre! Faça as pessoas se sentirem importantes, essenciais, queridas!

Aprender a arte da comunicação é um fator determinante para o sucesso, mas é essencial a percepção de que somos capazes de administrar nossas relações, não me refiro à manipulação, mas a administração do ambiente e clima em que nossas relações acontecem, também desenvolver um desejo honesto de fazer com que as pessoas se sintam bem atendidas em suas necessidades aumentará nossa capacidade de colocar as dicas acima em prática.

Comments are closed.