Projeto de lei propõe que Psicólogos convençam vítimas de estupro a terem os filhos

O deputado justifica a lei pela sua fé, afirmando que “tem gente que me diz que eu não devo legislar como cristão, mas é nisso que eu acredito e faço o que Deus manda”.  Sobre a questão do aborto, explica que “para nós evangélicos, é um ato contra a vida em todos os casos, não importa se a mulher corre risco ou se foi estuprada”.

O projeto tem causado revolta em diversos setores da sociedade. Várias organizações não governamentais ligadas aos direitos humanos, movimentos feministas e mesmo esferas do governo se manifestam contra a idéia, que é uma clara mistura entre convicção religiosa e papel política em um estado laico. 

Com informações, Estadão.

Comments are closed.