Saúde comemora: presidenta Dilma veta parcialmente o Ato Médico.

O veto parcial atendeu as diversas reivindicações das categorias profissionais e da sociedade. Um dos principais pontos vetados foi a formulação de diagnóstico nosológico e prescrição terapêutica, que no projeto era exclusividade dos médicos.

 

Dilma atendeu aos pedidos da sociedade e das profissões da saúde

Confira as razões para o veto, publicadas no blog do planalto:

“Comunico a Vossa Excelência que, nos termos do § 1o do art. 66 da Constituição, decidi vetar parcialmente, por contrariedade ao interesse público, o Projeto de Lei no 268, de 2002 (no 7.703/06 na Câmara dos Deputados), que “Dispõe sobre o exercício da Medicina”.

Ouvidos, os Ministérios da Saúde, do Planejamento, Orçamento e Gestão, da Fazenda e a Secretaria-Geral da Presidência da República manifestaram-se pelo veto aos seguintes dispositivos:

Inciso I do caput e § 2o do art. 4o

“I – formulação do diagnóstico nosológico e respectiva prescrição terapêutica;”

“§ 2o Não são privativos do médico os diagnósticos funcional, cinésio-funcional, psicológico, nutricional e ambiental, e as avaliações comportamental e das capacidades mental, sensorial e perceptocognitiva.”

Razões dos vetos

“O texto inviabiliza a manutenção de ações preconizadas em protocolos e diretrizes clínicas estabelecidas no Sistema Único de Saúde e em rotinas e protocolos consagrados nos estabelecimentos privados de saúde. Da forma como foi redigido, o inciso I impediria a continuidade de inúmeros programas do Sistema Único de Saúde que funcionam a partir da atuação integrada dos profissionais de saúde, contando, inclusive, com a realização do diagnóstico nosológico por profissionais de outras áreas que não a médica. É o caso dos programas de prevenção e controle à malária, tuberculose, hanseníase e doenças sexualmente transmissíveis, dentre outros. Assim, a sanção do texto colocaria em risco as políticas públicas da área de saúde, além de introduzir elevado risco de judicialização da matéria.

O veto do inciso I implica também no veto §2º, sob pena de inverter completamente o seu sentido. Por tais motivos, o Poder Executivo apresentará nova proposta que mantenha a conceituação técnica adotada, porém compatibilizando-a com as práticas do Sistema Único de Saúde e dos estabelecimentos privados.”

Os Ministérios da Saúde, do Planejamento, Orçamento e Gestão e a Secretaria-Geral da Presidência da República opinaram, ainda, pelo veto aos dispositivos a seguir transcritos:

Incisos VIII e IX do art. 4o

“VIII – indicação do uso de órteses e próteses, exceto as órteses de uso temporário;

IX – prescrição de órteses e próteses oftalmológicas;”

Razões dos vetos

“Os dispositivos impossibilitam a atuação de outros profissionais que usualmente já prescrevem, confeccionam e acompanham o uso de órteses e próteses que, por suas especificidades, não requerem indicação médica. Tais competências já estão inclusive reconhecidas pelo Sistema Único de Saúde e pelas diretrizes curriculares de diversos cursos de graduação na área de saúde. Trata-se, no caso do inciso VIII, dos calçados ortopédicos, das muletas axilares, das próteses mamárias, das cadeiras de rodas, dos andadores, das próteses auditivas, dentre outras. No caso do inciso IX, a Organização Mundial da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde já reconhecem o papel de profissionais não médicos no atendimento de saúde visual, entendimento este que vem sendo respaldado no País pelo Superior Tribunal de Justiça. A manutenção do texto teria um impacto negativo sobre o atendimento à saúde nessas hipóteses.”

Incisos I e II do § 4o do art. 4o

“I – invasão da epiderme e derme com o uso de produtos químicos ou abrasivos;

II – invasão da pele atingindo o tecido subcutâneo para injeção, sucção, punção, insuflação, drenagem, instilação ou enxertia, com ou sem o uso de agentes químicos ou físicos;”

Razões dos vetos

“Ao caracterizar de maneira ampla e imprecisa o que seriam procedimentos invasivos, os dois dispositivos atribuem privativamente aos profissionais médicos um rol muito extenso de procedimentos, incluindo alguns que já estão consagrados no Sistema Único de Saúde a partir de uma perspectiva multiprofissional. Em particular, o projeto de lei restringe a execução de punções e drenagens e transforma a prática da acupuntura em privativa dos médicos, restringindo as possibilidades de atenção à saúde e contrariando a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares do Sistema Único de Saúde. O Poder Executivo apresentará nova proposta para caracterizar com precisão tais procedimentos. “

Incisos I, II e IV do § 5o do art. 4o

“I – aplicação de injeções subcutâneas, intradérmicas, intramusculares e intravenosas, de acordo com a prescrição médica;

II – cateterização nasofaringeana, orotraqueal, esofágica, gástrica, enteral, anal, vesical, e venosa periférica, de acordo com a prescrição médica;”

“IV – punções venosa e arterial periféricas, de acordo com a prescrição médica;”

Razões dos vetos

“Ao condicionar os procedimentos à prescrição médica, os dispositivos podem impactar significativamente o atendimento nos estabelecimentos privados de saúde e as políticas públicas do Sistema Único de Saúde, como o desenvolvimento das campanhas de vacinação. Embora esses procedimentos comumente necessitem de uma avaliação médica, há situações em que podem ser executados por outros profissionais de saúde sem a obrigatoriedade da referida prescrição médica, baseados em protocolos do Sistema Único de Saúde e dos estabelecimentos privados.”

Inciso I do art. 5o

“I – direção e chefia de serviços médicos;”

Razões dos vetos

“Ao não incluir uma definição precisa de ‘serviços médicos’, o projeto de lei causa insegurança sobre a amplitude de sua aplicação. O Poder Executivo apresentará uma nova proposta que preservará a lógica do texto, mas conceituará o termo de forma clara.”

Essas, Senhor Presidente, as razões que me levaram a vetar os dispositivos acima mencionados do projeto em causa, as quais ora submeto à elevada apreciação dos Senhores Membros do Congresso Nacional.”

Confira também no diário oficial: http://www.in.gov.br/imprensa/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=1&data=11%2F07%2F2013

 

 

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

,

70 Responses to Saúde comemora: presidenta Dilma veta parcialmente o Ato Médico.

  1. Daiana Kaginski 14 de julho de 2013 at 15:19 #

    é verdade máfia branca

  2. Carlos Vieira 14 de julho de 2013 at 4:00 #

    ja existe tantas mafia no Brasil pelo menos a mafia branca dos médicos nao podemos deixa se cria parabens a dilma

  3. Eduardo Mashimo 14 de julho de 2013 at 3:45 #

    Pessoal, prestem bem atenção ao veto sobre o § 2o do art. 4o.
    Com este veto, a presidenta tornou ato privativo dos médicos o DIAGNÓSTICO PSICOLÓGICO. Isto é um absurdo, o diagnóstico psicológico deve permanecer como ato privativo dos PSICÓLOGOS.

    O texto original (antes dos vetos) diz que NÃO É ato dos médicos fazer diagnóstico psicológico. Vetando este § 2o do art. 4o, Dilma tornou o diagnóstico psicológico ato exclusivo dos médicos. Meio sem noção isso, não??

  4. Anônimo 13 de julho de 2013 at 11:43 #

    É impressionante como muitos não entenderam que foi uma vitória, caso contrario não se poderia nem comprar uma cadeira de rodas para sua mãe idosa sem a prescrição de um MÉDICO este que não esta em cada esquina, O CRM queria todos os outros sob sua batuta, mas o que entendem de FISIOTERAPIA por exemplo? ou de PSICOLOGIA? como ele vai prescrever um tratamento de algo que ele não estudou para fazer E NÃO SABE COMO FAZER? Há lugares que não EXISTEM MÉDICOS mas quem presta serviço e salvam vidas nesses logares são enfermeiros, sem o veto da Dilma estes herois não poderiam mais atender de forma satisfatória em regioes que os MÉDICOS NÃO QUEREM IR, agora se vc tem seu planinho de saúde, cale a boca pois nada vai mudar pra pior como acha que vai ( esta foi para as amebas que acharam ruim os vetos)

  5. Demys Westrey 13 de julho de 2013 at 2:01 #

    kkkkkkk, e quem foi que disse Carlos, que desejo de alguma forma dar o diagnóstico primordial, de qualquer que seja a doença de competência médica? Se eu desejar fazer isso, faço o curso de medicina. Acredito que por não conhecer em que se fundamenta o diagnostico psicológico, ou de qualquer outra profissão, vc vem deturpando o que escrevi, por favor, não coloque palavas onde não existi, não acredito que seu comportamento seja o da maioria dos médicos, até porque conheço e sou amigo de alguns. Quanto ao dono do tópico, se ele não mudou e sempre foi assim, não sou eu que estou afirmando, é vc mesmo. Preferia ter continuado vendo ele com sempre tinha visto, até mesmo porque tenho um grande carinho pela família de Arthur. Jamais vou aceitar que outro profissional, decida se o paciente precisa ou não de tratamento psicológico, o Ato médico já existe a muito tempo, inserido nos planos de saúde, ou melhor nos planos médicos, sei exatamente como funciona, como disse anteriormente, alguns pacientes tinham que exigir o encaminhamento, e por vezes ir a mais de um médico para conseguir consentimento no tratamento psicológico, está certo isso? Qual a formação foi dada ao curso de medicina para decidir e passar por cima dos outros profissionais, dessa maneira como eu vi?

  6. Carlos Samir 12 de julho de 2013 at 22:01 #

    Como tem aqui no estado RN, profissionais não pneumologistas dando laudo de espirometria. Com que qualificação? Além de absurdo é cômico e reprovável. E não tem quem me faça pensar que estou errado e sendo desrespeitoso quanto a isso.

  7. Carlos Samir 12 de julho de 2013 at 21:52 #

    Absurdo o veto aos principais pontos do "ato". Nesse tópico conheço o dono, convivi com o mesmo, e tenho certeza que nada mudou em sua pessoa depois do curso médico. A primeira coisa que as pessoas "alheias" ao curso médico (de outros cursos) quando voçê não dispõem mais de tanto tempo pra lhes dar atenção, é acusar-nos que somos prepotentes e que mudamos. Conheço pessoas que graças a Deus não fizeram isso, mas o colega psicólogo foi o primeiro a jogar essa pedra aqui. Não vou ir de encontro com minha profissão. Ninguém vai porque é um contra senso horrendo. Jamais vou concordar que outro profissional dê um diagnóstico de um cÂncer de colon e precreva o tratamento adequado! É um absurdo! Quem estudou pra isso e para tantas outras enfermidades foi o médico! E isso tem mais de 2.000 anos.E a paciente vai precisar de suporte psicológico????? Claro de que vai. Mobilização ao leito??? Vai… Só nãodá pra aceitar que o diagnóstico PRIMORDIAL, o câncer seja dado por voçê, Demys!!!!

  8. Nelson Vilaça 12 de julho de 2013 at 21:51 #

    Vou bom a presidente Dilma ter vetado o acto médico!!!

  9. Nelson Vilaça 12 de julho de 2013 at 21:50 #

    Não diga disparates!!

  10. Geide Barros Gomes 12 de julho de 2013 at 20:26 #

    Estarei sim!!! Estive presente sim aqui na minha terra em SBC!

  11. Fatima Lemos 12 de julho de 2013 at 17:51 #

    Ao invés de vetar deveria era criar um sistema que fizesse o que ser feito, atender a todos que precisam. O pais tem condições, só precisa vontade política e compromisso com o povo

  12. Flavinha Vitali 12 de julho de 2013 at 17:02 #

    Heloisa Capasso no sabado vc passa as coordenadas que eu participo sim! :) bjoooo

  13. Danilo Bertolini 12 de julho de 2013 at 15:41 #

    Pai-de-santo também está, ipso fato, autorizado a diagnosticar e prescrever as mandingas necessárias ao
    tratamento… etc.e tal. (Inclusive galinha presta, garrada de pinga nas encruzilhadas !)

  14. Heloisa Capasso 12 de julho de 2013 at 12:45 #

    Então meninas: Geide Barros Gomes e Flavinha Vitali, é agora que precisamos de maior participação nas manifestações para manter o Veto, se informem e participem nas ruas conosco!!

  15. Jose Peleteiro 12 de julho de 2013 at 12:18 #

    Cara, quando entrar em uma discussão use o português correto. Fica feio escrever tudo errado.

  16. Tadeu Süpptitz 12 de julho de 2013 at 12:18 #

    A maneira como você escreve fala muito de sua capacidade cognitiva. Por isto não me estranha as besteiras que escreveu. Saia de seu pequeno e burguês mundinho, ai talvez possa dar opiniões com conteúdo.

  17. Cleusa Sarba 12 de julho de 2013 at 11:59 #

    fosse assim que e faxineira poderia dar uma receita p qualquer tipo de doença aonde vamos parrar existem tantos problemas que eles não fazem nada

  18. Sandra Re 12 de julho de 2013 at 11:48 #

    Otima colocação Tadeu Supptitz… Vou roubartilhar 😉

  19. Demys Westrey 12 de julho de 2013 at 11:20 #

    Aliás, sempre vão precisar em vários casos do conhecimento dos outros profissionais para assim poder, como o senhor escreve "fechar diagnóstico", como se tudo tivesse que ter um diagnóstico. Agora sei que aceitam de bom grado, quando qualquer bom e ético profissional da saúde "não médico" faz o encaminhamento devido.

  20. Demys Westrey 12 de julho de 2013 at 11:04 #

    Então, para o paciente ser visto de forma global deve ser avaliado apenas por médicos?
    Não seria mais interessante uma equipe?

  21. Bruno Erick Sinedino 12 de julho de 2013 at 10:44 #

    Até porque nao existe so DIAGNOSTICO nutricional, DIAGNOSTICO psicológico: ou se fecha um DIAGNOSTICO ou se aguarda que alguém o faca. O paciente tem que ser visto de forma global e após diagnostico nosologico feito, o seu tratamento pode sim (e na maioria das vezes requer) solicitar a presença multiprofissional. Até porque eu, medico, nao sei conduzir psicoterapia, fisioterapia motora, nao conheço todas as interações medicamentosas possíveis.

  22. Bruno Erick Sinedino 12 de julho de 2013 at 10:40 #

    Respeitosamente, expliquem-me como indicar terapias sem o conhecimento prévio basal das patologias? Acho que num momento como esse de revolta para a classe medica, ficar ofendido e apenas retrucar com mais dissabores aumenta o azedume entre nos, e nada muda. Acho que os senhores se equivocam ao reinvidicar algo que nao se prepararam para fazer. Se ainda duvidam: Sra. 76 anos alteração status mental, perda ponderal, desorientação, hipertensa previa, subfebril, perda de memória recente, discurso sem contextualizacao ou sentido, agora com incontinência urinária. 16 diagnósticos diferencias, por favor. Em homenagem ao hospital da policia, onde passei quase 4 anos atendendo de graça e operando todos que solicitaram o serviço. Grato.

  23. Bruno Erick Sinedino 12 de julho de 2013 at 10:33 #

    Arthur, concordo com o dito. Claro que vão nos chamar de corporativistas, prepotentes, mas estes xingamentos, ninguém menciona nos comentários como forma agressiva de se manifestar. Dentro tudo que li, por gentileza, senhores, expliquem-me: como querer DIAGNOSTICAR algo e assim PRESCREVER seu tratamento, se os senhores em suas respectivas profissões e cursos de graduação nao estudam os seus diagnósticos diferenciais?

  24. Rafael Peleteiro 12 de julho de 2013 at 10:21 #

    so queria perguntar algo se nao cabe ao medico dianosticar caberia a quem???? nao e por falta de copetencia e sim de preparo de outras profissoes … pergunto a vcs qndo ficarem doentes …. irao a fisoterapeutas, enfermeiros ou ao medico …….. entao nao sejam hipocritas e recaucados …. quemre diaginosticar ? façam medicina e atuem como tal ….. nao q as outras areas sejam menos importates …. pura e simplesmente nao foram preparados pra fazerem o tal …. simples assim … conheço varios medicos e ja foram enfermeros , fisioterapeutas q pesssam o msm … nao sejam pregiçosos e recaucados corram atraz do vcs querem …. vcs nao sao melhores nem piores q ninguem …….. eu medico numca chegrem em ma obra do maracana dando palpites sobrre oq dever ser feito pois nao estudei para tal e sou leigo no assunto …. façam os msm …. ninguem e melhor q ninguem … uns se preparam pra uma coisa e outros pra outra …. simples assim

  25. Paulo S. Lima 12 de julho de 2013 at 10:15 #

    MAS A LEI APROVADA É EXATAMENTE ISSO??/???

  26. Demys Westrey 12 de julho de 2013 at 9:35 #

    Sempre te vi como uma pessoa muito boa e respeitosa, foi realmente um susto ver seu comentário.

  27. Demys Westrey 12 de julho de 2013 at 9:31 #

    Arthur Ivan Nobre, seu comentário foi desrespeitoso e ofensivo para com os outros profissionais da saúde. Conheço vc e sou amigo de sua irmã, não sei o que te aconteceu na UFRN para está se comportando dessa maneira, na USP acredito que vc terá a oportunidade de ver outra realidade, e tomara que veja mesmo. Lembro do dia que fomos pagar a promessa na serra, eu comentei que por ter passado em psicologia me daria mal financeiramente, vc logo retrucou, que eu não pensasse dessa maneira, e tinha razão, hoje sou bem sucedido, agora sou eu que te peço, pense direito sobre a forma de se portou. Nesse mundo, não tem como uma classe profissional deter um extremo poder. Assim como em todas as profissões, existem profissionais bons e outros nem tanto, cansei de receber pacientes da unimed falando que tiveram que exigir o encaminhamento para o tratamento psicológico, porque os médicos simplesmente acharam que não tinha necessidade, é desse tipo de coisa que se trata. Tem que existir algo que mantenha o equilíbrio, o direito está com todos, e podem coexistir tranquilamente.

  28. Arthur Ivan Nobre 12 de julho de 2013 at 9:15 #

    Hã?? Sou contra o veto, Minha opinião é clara! Quem falou de agogamento?! Falo sobre diagnósticos e prescrições, função de quem estudou pra isso.. Não mais tentarei convencer o óbvio, tópico encerrado

  29. Rubem Machado 12 de julho de 2013 at 7:16 #

    Quando se está em condição de afogamento imediato…o Sr.chama um médico, ou um Salva-vidas??? Mudaram o nome do Salva-vidas para guarda-vidas até por questões salariais…porque o argumento é esse, quem salva vidas é o médico; mas quando ele está se afogando, ou preso dentro de um carro, ou em destroços???? Doutor…menos, menos. Existem várias maneiras de salvar uma vida, inclusive sendo médico. O Sr. pisou na bola e depois tentou consertar. Ou se é contra, ou a favor não dá pra morder e depois assoprar. agora vamos ver o que fará o Congresso…se votará o veto

  30. Arthur Ivan Nobre 12 de julho de 2013 at 3:58 #

    Em nenhum momento da lei do Ato Medico fala-se que o enfermeiro não poderá aplicar medicações ou fazer procedimentos de enfermagem; que o psicólogo não poderá fazer análise ou o farmacêutico formular medicações.. Todas as áreas devem ser valorizadas e reconhecidas, como falei acima, TODAS SÃO ESSENCIAIS, cada uma em sua competência. Mas tenho a obrigação de reivindicar a exclusividade legal por algo que de fato e de direito é de competência única dos médicos

  31. Arthur Ivan Nobre 12 de julho de 2013 at 3:56 #

    Em nenhum momento da lei do Ato Medico fala-se que o enfermeiro não poderá aplicar medicações ou fazer procedimentos de enfermagem; que o psicólogo não poderá fazer análise, o farmacêutico formular medicações! Todas as áreas devem ser valorizadas e reconhecidas, como falei acima, TODAS SÃO ESSENCIAIS, mas cada uma em sua competência. Mas me dou o direito de reivindicar a exclusividade por algo que de fato e de direito é de competência única dos médicos!

  32. Demys Westrey 12 de julho de 2013 at 3:29 #

    É exatamente isso que desejamos, dar a César o que é de César, Nunca vi um médico que não precise da enfermeira… Nunca vi um médico que não precisasse do farmacêutico… Nunca vi um psiquiatra depressivo que não tenha seu psicólogo. Nunca vi um médico que tenha conhecimento de todas as outras profissões da saúde. Dai a César o que é de César!

  33. Demys Westrey 12 de julho de 2013 at 3:26 #

    É exatamente isso que desejamos, dar a César o que é de César, Nunca vi um médico que não precise do enfermeira… Nunca vi um médico que não precisasse do farmacêutico… Nunca vi um psiquiatra depressivo que não tenha seu psicólogo. Nunca vi um médico que tenha conhecimento de todas as outras profissões da saúde. Dai a César o que é de César!

  34. Arthur Ivan Nobre 12 de julho de 2013 at 3:21 #

    Aos frustrados que argumentam sem nenhum embasamento contra o ATO MÉDICO, sem nem ao menos ter lido o seu conteúdo, apenas a eles se aplica o meu comentário! Não são a maioria! Tenho excelentes e extremamente competentes colegas enfermeiras, fisioterapeutas entre outros, que exercem de forma brilhante o trabalho para o qual se prepararam! Esses têm o meu respeito

  35. Demys Westrey 12 de julho de 2013 at 3:20 #

    É exatamente isso que desejamos, dar a César o que é de César, Nunca vi um médico que não precise do enfermeira…

  36. DennysLucas Xavier 12 de julho de 2013 at 3:17 #

    Arthur Ivan Nobre este tipo de posição só afasta qualquer reivindicação médica. Principalmente, as que dizem respeito ao plano de cargo e melhores condicoes de trabalho. Menos prepotência e ressentimento. Não acredito que nossos colegas e amigos que escolheram profissões diversas quisessem, simplesmente, fazer medicina.

  37. Ernesto Teixeira 12 de julho de 2013 at 3:15 #

    e eu nunca vi uma profissão tão corporativista quanto a do médico. Ave maria. kkkkkk

  38. Arthur Ivan Nobre 12 de julho de 2013 at 2:50 #

    Nunca vi uma enfermeira fazer pré-natal/parto com outra enfermeira.. Nunca vi um farmacêutico realmente doente que não procure o médico pra saber qual antibiótico usar… Nunca vi um psicólogo depressivo que não tenha o seu psiquiatra.. Nunca vi tanta gente recalcada! Vai estudar! Vestibular tem todo ano!… Todas as áreas da saúde são ESSENCIAIS, mas dai César o que é de César!

  39. Thiago Sampaio Milani 12 de julho de 2013 at 2:39 #

    Cara, não sou médico, mas com certeza quando alguém da minha família ficar doente, procurarei algum médico, que, estudou pelo menos 6 anos de faculdade e 2 de residência para entender o corpo humano! Conheço médicos que trabalham em lugares desumanos e salvam muitas vidas!! Acho que algumas coisas realmente poderiam ser tratadas por outros profissionais, mas existem questões que só os médicos conseguem ter a visão correta. Não acho que deveria chamar a classe médica de recalcada pois, com certeza cuidarão de vc e de seus um dia! abs

  40. Rafael Leite Ribeiro Neto 12 de julho de 2013 at 2:31 #

    Caso não tenha a acesso as informações diárias, é bom sair do mundinho de mil e antigamente e descobrir qual a proporção de barbárie cometida contra a população tendo como referencial os profissionais da saúde e qual comete mais,não erro,mas sim assassinatos típicos de açougueiros´inferiores aos bons desossadores de empresas como Free Boi rrrrsssss
    Nesses casos,se não fosse o Brasil, o pais do Jeitinho, uma boa "dose de cana",serviria para massagear alguns egos.
    Atualmente faltam não apenas médicos no Brasil,mas também o atendimento humanizado; a população exigir seus direitos e rejeitar os "dinossauros" que ainda acham que estão no tempo do…sabe com quem tá falando?!
    Os tempos são de avanços pela democratização e acesso ao conhecimento. Na gestão pública ou privada bem como nas suas implicações existem termos,práticas novas,indispensáveis ao real entendimento do que venha de fato ser saúde "aplicando-se a ela" o multiprofissionalismo com o peso dos direitos e deveres que cabe a cada um em sua área, indispensável e complementar ao todo ( o bem estar dos patrões,o povo) que paga o médico,o gari ou o advogado.
    Grato.

  41. Flavinha Vitali 12 de julho de 2013 at 1:42 #

    Valeuuu Dilmaoooo!!!

  42. Geide Barros Gomes 12 de julho de 2013 at 0:49 #

    Estou muito feliz…trabalhadores livres do monopólio médicos!!!

  43. Alvaro Marçal 12 de julho de 2013 at 0:06 #

    kkkkk o ato médico não passou de uma comédia, parabéns Presidente Dilma por mais uma vez o exemplo de bom senso,sempre a favor do Povo Brasileiro…..

  44. Alvaro Marçal 12 de julho de 2013 at 0:05 #

    kkkkk o ato médico não passou de uma comédia, parabéns Presidente Dilma por mais uma vez o exemplo de bom senso, sempre a favor do Povo Brasileiro…..

  45. Carlos Pedrosa 11 de julho de 2013 at 23:44 #

    Acredito que os bons profissionais já têm seu lugar de destaque na sociedade e não tão nem aí pra essa lei que na essência, ampara muito bem aqueles que vivem à sombra do diploma e à custa de muita desinformação das pessoas. Chega de consultinhas de 50 contos nas quais a atendente (com todo respeito) faz 70% do serviço do médico.

  46. Edivaldo Alcantara 11 de julho de 2013 at 22:02 #

    Não tem muito a comemorar poderia ter vetado tudo mas…

  47. Ademir Pinoti de Morais 11 de julho de 2013 at 21:53 #

    A todos que não são médicos" FAÇAM UM BOM SEGURO CONTRA ERROS PARA QUANDO SOFREREM ALGUM PROCESSO POR ERRO TENHAM COMO PAGAR" , responderão pelos seus atos.

  48. Eduardo Padre 11 de julho de 2013 at 21:46 #

    Triste ter que ler isso! Um retrocesso para o Brasil! Nenhum médico quer invadir outra área de saúde, infelizmente, a recíproca não é verdadeira. O Ato médico tem que ser aprovado. Quer ser médico, faça medicina, há oportunidade a todos que se esforçam!

  49. João Quinteiro Cavalheiro 11 de julho de 2013 at 21:26 #

    Excelente visão do problema que seria criado caso viesse a ser aprovado da maneira que havia sido aprovado. Que se diria da ação dos órgãos de saúde em municípios e localidades que sequer tem um médico para prescrever sequer um antibiótico? Ótima decisão!!!

  50. Josue Degan 11 de julho de 2013 at 21:24 #

    Elio Neldo Prade Discorda da maioria da população? Só lamento pra você…

  51. Léa Geane Buhrer 11 de julho de 2013 at 20:54 #

    Elio Neldo Prade Do que discorda ?

  52. Regina Cabral 11 de julho de 2013 at 20:36 #

    A palavra está correta, não era usada porque as mulheres não exerciam a função… a fala é viva….por exemplo, a palavra Diretora existe porque mulheres exercem essa função há mais tempo…..Acontece que nossa sociedade é tão machista, que o nome no feminino amedronta tanto quanto uma mulher na presidência…. muitas das atitudes anti-Dilma são porque é uma mulher no governo, porque sabem que ela é honesta e competente…

  53. Francisco Cruz Lopes 11 de julho de 2013 at 19:09 #

    Tantas conquistas é? Onde?Eu devo estar em outro Brasil.

  54. Francisco Cruz Lopes 11 de julho de 2013 at 19:06 #

    Melhor presidANTA…KKKKKK

  55. Luiz Claudio Freitas 11 de julho de 2013 at 18:37 #

    a categoria médica quer ser a dona do mundo e como não têm competência querem impor por força de Lei. PARABENS PRESIDENTA. receba o nosso apoio……….

  56. Luiz Claudio Freitas 11 de julho de 2013 at 18:37 #

    a categoria médica quer ser a dona do mundo e como não têm competência querem impor por força de Lei. PARABENS PRESIDENTA. receba o nosso apoio……….

  57. Rai Carvalho 11 de julho de 2013 at 17:37 #

    Competências existem pra suprir demandas. Que a multi-disciplina prevaleça ao bem saúde e qualidade de vida dos sujeitos, em especial, OS HUMANOS!!!!! O sol nasce pra todos e que sobrevivam os melhores.

  58. Tadeu Süpptitz 11 de julho de 2013 at 17:12 #

    É isso Rúbia Machado.
    Não nos curvaremos.
    Coleira são para os conformados.

  59. Edivan Matias Barbosa 11 de julho de 2013 at 16:21 #

    Não se concerta o certo, uma classe não muito humana, elitizada, querer comandar a vida dos enfermos. Foi um teatro, a peça acabou.

  60. Liani Wohlmeister 11 de julho de 2013 at 16:13 #

    só não entendo esse presidentA.

  61. Neh Ederson 11 de julho de 2013 at 15:42 #

    Adorei a notícia, Os médicos querem monopolizar a saúde, há campo de trabalho para todos os profissionais da Saúde, cada um desenvolve a sua função de acordo, com aquilo que se preparou e estudou para fazer, mesmo porque os Médicos não estão dando conta de fazer nem a parte deles, quem diria, se responsabilizar pelo exercício profissional das 14 áreas de saúde? IMPOSSÍVEL, Parabéns a Presidenta Dilma, por este ato de coragem, e justiça pela saúde Brasileira, tdos nós agradecemos, e aos Médicos recalcados, (esqueçam essa de "Ato Médico", por que isso nunca vai vingar), BOM DIA A TODOS!

  62. Elio Neldo Prade 11 de julho de 2013 at 15:34 #

    Discordo!

  63. Rita Linhares 11 de julho de 2013 at 15:33 #

    Que reine o bem coletivo, e não a aspiração de uma única categoria.

  64. Rúbia Machado 11 de julho de 2013 at 15:19 #

    vi seu comentário no site e concordo com ele e digo mais! A nossa presidenta é extremamente corajosa! Existem maçãs podres no cesto como em qualquer lugar e a oposição ta se roendo por dentro e por fora com tantas conquistas desse governo! A coisa não está ÓTIMA, mas está cada vez melhor!

  65. Ivo Gomes de Oliveira 11 de julho de 2013 at 15:04 #

    Ao menos uma coisa boa da Dilma.

  66. Andre Andrade 11 de julho de 2013 at 14:50 #

    adorei a noticia

  67. Adalberto Santana 11 de julho de 2013 at 14:20 #

    Análise coerente e significativa

  68. Thainã Eloá 11 de julho de 2013 at 14:03 #

    Dia 18 de junho fui dormir triste ao ver a notícia de que o Ato Médico havia sido aprovado.
    Hoje, dia 11 de julho, acordo feliz ao ver esta notícia!

  69. Thainã Eloá 11 de julho de 2013 at 14:02 #

    Dia 18 de junho fui dormir triste ao ver a notícia de que o Ato Médico havia sido aprovado.
    Hoje, dia 11 de julho, acordo feliz ao ver esta notícia!

  70. Tadeu Süpptitz 11 de julho de 2013 at 13:47 #

    Estou surpreso com a coragem de nossa Presidente!
    Parabéns Dilma!!!!!!!!!!!!
    Os tempos estão mudando…
    Não podemos mais aceitar imposições de corporativismos historicamente materialista, dominadores e que desdenham as classes menos favorecidas.
    O dia hoje amanheceu mais justo.
    Parabéns a todos.



loading...