Guaraná diminuiu a proliferação de células cancerosas em experimentos com animais

Uma linha de pesquisa na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP está investigando os efeitos preventivos do guaraná com relação ao câncer. Um experimento realizado pelo mestrando Heidge Fukumasu no Laboratório de Oncologia Experimental sugere que a planta pode prevenir o desenvolvimento da doença.

Uma linha de pesquisa na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP está investigando os efeitos preventivos do guaraná com relação ao câncer. Um experimento realizado pelo mestrando Heidge Fukumasu no Laboratório de Oncologia Experimental sugere que a planta pode prevenir o desenvolvimento da doença.

Primeiramente, o pesquisador injetou células de melanoma (um tipo de câncer) por uma veia na cauda de cinco camundongos. As células se instalaram, então, no pulmão. Durante 14 dias, Fukumasu tratou os animais com guaraná em pó. “Com o tratamento, houve uma diminuição da área de lesão no pulmão. A hipótese é de que o guaraná diminuiu a proliferação das células cancerosas”, explica o mestrando, que repetirá o experimento antes de publicar um artigo.

Iniciação científica
Fukumasu trabalhou com o guaraná também em sua iniciação científica, realizada entre os anos de 2001 e 2003. “A idéia era pesquisar o guaraná por ele conter muitas das substâncias encontradas no chá verde, cujas propriedades são muito abordadas pela literatura especializada”, diz o pesquisador.

O primeiro experimento consistiu na indução de câncer no fígado de camundongos. Fukumasu tratou os animais durante seis meses com guaraná, e notou a diminuição das lesões nas cobaias. “As células cresciam com menor rapidez”, relata.

fonte:[url=http://www.usp.br/agen/repgs/2005/pags/267.htm]www.usp.br[/url]

Comments are closed.