Abordagem divertida

Crianças em idade escolar com dificuldades de aprendizagem ocasionadas por problemas neurológicos como hiperatividade, distúrbios de atenção, impulsividade e dislexia – disfunção que acarreta problemas de entendimento da leitura e da escrita –, quando não recebem o devido acompanhamento em sala de aula são candidatas a entrar no círculo vicioso de repetência e desistência.
Crianças em idade escolar com dificuldades de aprendizagem ocasionadas por problemas neurológicos como hiperatividade, distúrbios de atenção, impulsividade e dislexia – disfunção que acarreta problemas de entendimento da leitura e da escrita –, quando não recebem o devido acompanhamento em sala de aula são candidatas a entrar no círculo vicioso de repetência e desistência.
Como a escola é a primeira vivência de socialização da criança, essa etapa precisa ser trabalhada adequadamente, como propõe o projeto Ensinando o Cérebro (Enscer). A pesquisa é o desdobramento de um estudo iniciado em 1997 que tinha como foco crianças portadoras de deficiência mental, conduzido pela empresa Eina, de Jundiaí, um dos primeiros na modalidade Programa Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas (Pipe) financiados pela FAPESP.

Testado e colocado em prática na Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) do município, o estudo resultou no lançamento de um CD-ROM com recursos audiovisuais em 2001. Os estudos também foram transformados em dois livros, O cérebro, um breve relato da sua função e O cérebro na escola.

“Durante o desenvolvimento do projeto vimos que o enfoque poderia ser ampliado para outras crianças e começamos a trabalhar também com a rede pública e escolas particulares”, diz o médico Armando Freitas da Rocha, sócio da Eina, coordenador do Enscer e professor visitante do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Nessa ampliação o foco recaiu sobre alunos com dificuldades de aprendizagem e distúrbios de comportamento. Para poder atender às necessidades das crianças, foi desenvolvido um sistema que engloba capacitação dos professores, atendimento neuropedagógico feito por médicos, psicólogos e fisioterapeutas e materiais de apoio, como softwares, desenvolvidos pela equipe multidisciplinar.

Fonte: [url=http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=5772]www.agencia.fapesp.br[/url]

About Marina Bellissimo Rodrigues

,

Comments are closed.