Antidepressivos apresentam risco menor para jovens, mostra análise

Os antidepressivos para tratar crianças e adolescentes que sofrem de depressão ou ansiedade parecem apresentar um risco menor de despertar pensamentos suicidas nos jovens, segundo análise dos resultados de vários estudos, publicada nesta terça-feira.

Os antidepressivos para tratar crianças e adolescentes que sofrem de depressão ou ansiedade parecem apresentar um risco menor de despertar pensamentos suicidas nos jovens, segundo análise dos resultados de vários estudos, publicada nesta terça-feira.

Pesquisas feitas nos últimos anos demonstraram que estes medicamentos estavam vinculados, em crianças e adolescentes, a um aumento dos pensamentos e comportamentos suicidas.

A Food and Drugs Administration (FDA), agência americana que controla os medicamentos e os alimentos nos Estados Unidos havia, com base nestes estudos, determinado a incorporação de advertências nos rótulos dos antidepressivos, alertando médicos e pacientes para este risco.

Os autores do estudo analisaram uma grande quantidade de pesquisas feitas sobre o tema até 2006, entre os quais 27 estudos clínicos pediátricos dos quais participaram milhares de pessoas.

"Como nas análises da FDA, descobrimos que geralmente há um aumento dos riscos de pensamentos suicidas e de tentativas de suicídio vinculados aos antidepressivos, mas sua amplidão é muito frágil", disse o doutor Jeffrey Bridge, da Universidade de Ohio (norte), principal autor do estudo.

"Em todos os estudos, este risco foi inferior a 1%, o que é estatisticamente desprezível", acrescentou, afirmando que nenhuma das tentativas de suicídio se concretizou entre as pessoas que participaram de todos estes estudos.

"Esta análise (…) também mostrou que os adolescentes parecem responder melhor a estes tratamentos para depressão e ansiedade do que as crianças", informaram os autores da pesquisa, publicada no Journal of the American Medical Association (JAMA) de 18 de abril.

Fonte: BOL notícias

Comments are closed.