behaviorismo

Termo criado por J.B. Watson em 1913 para indicar que todos os hábitos podem ser explicados em termos de reação glandular e motora condicionada.

"O behaviorismo, pelo contrário, sustenta que o objeto de estudo da psicologia humana é o comportamento ou atividade do ser humano. O behaviorismo afirma que a 'consciência' não é um conceito definível nem utilizável; é apenas uma outra palavra para a 'alma' de tempos mais antigos." O behaviorismo clássico afirmava que todo comportamento deve ser entendido em termos da fórmula estímulo-resposta; assim, o orga­nismo é essencialmente passivo e só pode reagir à estimulação. O behaviorismo moderno, tal como é exemplificado pelo behaviorismo ope­rante de Skinner, rejeita uma concepção meca­nicista da natureza humana. Afirma que os or­ganismos podem iniciar a ação, tanto quanto reagir à estimulação. Como não insiste em que a causa especifica de qualquer ação original pode ser demonstrada, não precisa inventar me­canismos discutíveis para explicar como a ati­vidade pode originar-se.

O tema fundamental do behaviorismo ope­rante, de Skinner, é que as atividades do orga­nismo acarretam conseqüências que modelam e influenciam a ação subseqüente. É o meio ambiente que produz as conseqüências, de for­ma que o comportamento da pessoa é modela­do, influenciado e determinado pelo seu meio ambiente. O comportamento que gera conse­qüências positivas (recompensas) tende a repe­tir-se – reforço positivo, na terminologia de Skinner. As conseqüências negativas (punição, na forma ou de estimulação desagradável ou de retirada de um estímulo positivo) tendem a ser evitadas, e o comportamento que elimina a estimulação hostil tende a repetir-se (reforço negativo). O comportamento operante, que pro­duz mudanças no meio ambiente (age ou opera sobre o meio ambiente), equivale aproximada­mente ao comportamento voluntário, que é mo­dificado pelo feedback ambiental. A engenharia do comportamento refere-se ao controle siste­mático das condições ambientais que modelam o comportamento das pessoas. Skinner afirma que esse controle oferece a maior esperança de aperfeiçoamento da condição humana.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.