Estudo identifica gene que causa “mau comportamento”

Um estudo realizado pelo Instituto de Psiquiatria de Londres sugere que adolescentes que foram submetidos a abusos na infância e que tiverem uma versão menos ativa de um gene que controla a agressão tem mais chances de cometer crimes violentos.
Um estudo realizado pelo Instituto de Psiquiatria de Londres sugere que adolescentes que foram submetidos a abusos na infância e que tiverem uma versão menos ativa de um gene que controla a agressão tem mais chances de cometer crimes violentos.

A equipe analisou registros neozeolandeses que acompanham desde 1972 a saúde física e mental de mais de mil pessoas desde o nascimento. Eram registro tanto de maus tratos na infância quanto da presença da enzima MAO-A, que regula a quantidade de serotonina no cérebro, molécula que tem um papel importante no controle da agressão.

O resultado indicou que as crianças que sofrem algum tipo de abuso na infância ou possui a forma pouco ativa da MAO-A tem três vezes mais chances de apresentar uma desordem comportamental e dez vezes mais chances de serem condenadas por um crime violento.

A partir dessa descoberta foram identificados dois grupos. O primeiro é formado por pessoas que cometem crimes pequenos depois de entrar em contato com a turma "errada". O outro grupo, mais problemático, é formado por aqueles que passam a dar sinais de um comportamento anti-social desde muito novos. São essas as crianças que, segundo o estudo, teriam uma predisposição biológica para problemas comportamentais.

Notícia retirada da fonte:

BBC Brasil

Por Carla Destro para RedePsi

Comments are closed.