ONG apóia uso de GPS em pacientes com Alzheimer

A ONG britânica Alzheimer's Society, que trabalha com tratamento e pesquisa para pacientes da doença, apoiou uma proposta que visa equipar pacientes que sofrem de demência com aparelhos de rastreamento eletrônico.
A ONG britânica Alzheimer's Society, que trabalha com tratamento e pesquisa para pacientes da doença, apoiou uma proposta que visa equipar pacientes que sofrem de demência com aparelhos de rastreamento eletrônico.

A organização acredita que o rastreamento, se autorizado pelo paciente, pode dar mais autonomia aos doentes e garantir que seus familiares saibam onde eles estão quando saem de casa. Por isso, a proposta vem sendo estudada pelo governo britânico, que acredita que o rastreamento eletrônico pode permitir que os pacientes levem "uma vida mais plena". Segundo a Alzheimer's Society, cerca de 60% dos pacientes podem andar a esmo pela cidade e 40% acabaram se perdendo em algum momento. A Grã-Bretanha tem cerca de 700 mil pessoas com algum tipo de demência, e a previsão é que este número possa chegar a 1,7 milhão em 2051.

Para Neil Hunt, diretor-executivo da ONG, apesar dos benefícios da nova tecnologia, "há um equilíbrio delicado a ser alcançado entre dar autonomia às pessoas e restringir seus movimentos". Além disso ele afirma que o rastreamento também não deve ser usado como alternativa para uma assistência de boa qualidade ao paciente. A Alzheimer's Society afirma que qualquer decisão sobre o uso de equipamento de monitoramento eletrônico deve ser tomada em conjunto com o paciente nos primeiros estágios de demência.

O equipamento para rastreamento usa o GPS (Global Positioning System, em inglês), um sistema de localização por satélite. A tecnologia já é usada para permitir que os pais monitorem os movimentos de seus filhos e há um mercado cada vez maior para artefatos eletrônicos deste tipo.

Notícia retirada da fonte:

BBC Brasil

Comments are closed.