Técnica: meditando no "Ponto Interno"

Neste mês, apresentamos uma nova técnica de meditação, que costumamos chamar de “meditação no Ponto Interno”. Ela está entre aquelas mostradas em nosso livro “Medicina e Meditação, da MG Editores. Os interessados poderão encontrar o nosso livro através do link: http://www.gruposummus.com.br/detalhes_livro.php?produto_id=939.
Esta, por ser uma técnica mais sutil, exige um treinamento de “âncora” já bem estabelecido.

Pratique esta técnica, apenas, depois de conseguir, no mínimo, 90 dias consecutivos de prática, na técnica anterior que mostramos nesta coluna (“meditando em 3 tempos”). Como eu já disse, se você começar a praticar técnicas mais sutis sem um bom treino de âncora, poderá ser levado a estados modificados de consciência compatíveis com auto-hipnose, e não com meditação.

Ele exige um treinamento constante. Por isso, mesmo depois de começar a praticá-la, caso aconteça algo que lhe impeça de meditar por algum tempo (ex: mais de uma semana), eu costumo sugerir que volte a técnica anterior (3 tempos), permanecendo nela até conseguir exercitar-se por 7 dias consecutivos, antes de voltar para esta técnica novamente.

[b]Âncoras[/b]

(o que deve ser o foco da sua atenção)

O “ponto interno” escolhido
A “respiração circular”, suave, em torno do “ponto interno”

[b]Técnica[/b]

Prepare-se para parar por 15 a 20 minutos. Se preferir, coloque uma música bem calma, ou várias músicas, com duração total de 15 a 20 minutos.

Sente-se como achar melhor, com a coluna ereta (ou próximo a isso), mas sem desconforto. Lembre-se que vai ter que ficar sem se mexer por todo o exercício.

A sua atenção será focalizada no que chamaremos de “Ponto Interno”. Imagine o seu “Ponto Interno” atrás do esterno (aquele osso que no meio da região frontal do seu tórax). Mais especificamente, na terça parte mais de baixo, a cerca de três dedos para o interior do tórax. O “Ponto Interno” é uma estrutura imaginária, que consiste em uma esfera flutuante de luz. Esta esfera pode ter qualquer tamanho, a sua escolha, desde que seu tamanho não varie durante a técnica. Esta luz pode ter qualquer cor, a sua escolha, desde que a cor seja fixa; ou seja, a cor não deve mudar por toda a técnica. Algumas pessoas preferem, ao invés da luz, imaginar um “ponto de vácuo”, sem cor, sem luz; e isso também é possível, contato que o ponto não varie durante toda a técnica.

Inicie sua respiração, projetando-se suavemente a parede abdominal para frente, durante a inspiração, e para trás, durante a expiração, recomendando-se uma modalidade tipo nasal e silenciosa.

Durante a respiração, imagine que o ar faz um círculo completo, que gira em torno do seu “Ponto” escolhido, no qual a inspiração é a porção ascendente, e a expiração, a porção descendente do círculo. O centro do círculo coincidiria exatamente com o “Ponto Interno”.

A respiração será mais sutil, com a inspiração sendo um componente ativo, e a mais lenta possível, efetuada de forma a não causar desconforto. A expiração será passiva, suave, sem resistência. Você não deve “fazer força” para soltar o ar, mas apenas “deixar que ele vá embora”, suavemente, sem resistência. O círculo gira em torno do “Ponto Interno”, como uma roda gigante imaginária giraria em torno do seu eixo. Esse giro deve ser longitudinal ao seu corpo, ou seja, a roda gigante gira à frente e por trás de você

Aos poucos, vá tentando respirar cada vez mais lentamente, até chegar ao ritmo mais lento possível, mas sem causar desconforto.

Durante toda a técnica, mantenha toda a atenção (observação sem julgamento) no “Ponto Interno” e no círculo de respiração.

Evite se mexer, se coçar, se balançar ou fazer qualquer movimento.

Se algum pensamento vier, e lhe distrair, assim que perceber, calmamente, sem raiva, sem força, “abandone” esse pensamento e volte ao foco de atenção (âncora) do “Ponto Interno” e do círculo de respiração.

Ao terminar o tempo, e quando sentir vontade, faça 3 respirações amplas e abra os olhos lentamente. Fique calado por 2 a 3 minutos.

Pratique o mais regularmente possível. Evite imaginar resultados e não tente interpretar quaisquer eventuais efeitos.

Mantenha-se sem expectativa, que os benefícios virão.

About Roberto Cardoso

Médico na área de Medicina Fetal e Medicina Integrativa. Estuda e pesquisa meditação na UNIFESP. Palestrante no meio médico e corporativo.
Comments are closed.