RedePsi - Psicologia

Artigos

O Estresse

ESTRESSE…. “Doença” que atinge a maioria dos seres humanos.
Neste mundo de mudanças rápidas, com uma exigência cada vez maior de conhecimentos e habilidades, uma constante busca pelo prazer e pela satisfação, a sensação de que sempre algo está faltando. Tudo isto leva o individuo ao estresse, desencadeando um desequilíbrio emocional, mental e até físico.

O estresse pode ser positivo e negativo. O primeiro caso, é o que leva o sujeito a agir, a ter disposição, alegria, ânimo para trabalhar, estudar, enfim realizar seus projetos e ter uma vida saudável.

O estado de estresse negativo é caracterizado por uma série de situações ansiosas repetitivas, em que o organismo exposto a constante situações estressantes, reage liberando hormônios estressores. Pode-se citar que o principal entre eles é o Cortisol. Este hormônio em excesso no organismo enferruja, deteriora as células, impedido a transmissão de informações de uma célula para outra.

Por exemplo, o indivíduo tem um pensamento ansioso ou catastrófico do tipo:

O que será que vai acontecer? E se algo sair errado?

A partir deste pensamento, a pessoa tenderá a desencadear várias idéias catastróficas, medos e tensões. Assim, o cérebro não sabe se o que você está pensando é real ou fantasia. Por isso, mobiliza corpo para fazer alguma coisa, pois identifica nesses pensamentos de medo e tensão a necessidade de gerar uma reação de ataque ou fuga.

O corpo leva mais ou menos de trinta a quarenta minutos para voltar ao normal, se, nesse meio tempo, houver outro pensamento ansioso, novamente desencadeará em seu corpo a mesma reação e, assim por diante.
Com isso, é possível chegar a um grande estresse por pensamentos, sem necessariamente mover uma palha.

Alguns exemplos de esforços excessivos que saturam o corpo e a mente levando ao estresse:

    * Auto-exigências muito fortes, autocobranças.
    * Desrespeito em relação ao ritmo interno e às necessidades físicas e emocionais.
    * Excesso de expectativas da própria pessoa e dos outros.
    * Preocupação excessiva com a auto-imagem.
    * Traumas – Estresse pós-traumático.
    * Mudanças na vida – separação, residência, trabalho. Neste caso podem acontecer de forma positiva ou negativa.

Mas a pergunta que não quer calar é:

O que fazer para controlar o estresse?

    * Exercícios físicos, procurar fazer o que dá prazer, pelo menos 30 minutos diariamente.
    * Respiração diafragmática acalma os batimentos cardíacos, diminui a pressão arterial, entre outros benefícios.  

Outra dica é proporcionar a si mesmo um tempo para algumas reflexões que podem auxiliar para o controle do estresse como:

    * De que maneira estou me desrespeitando?
    * Em que e de que forma estou excedendo meus limites, reais?

Enfim, o importante é conscientizar-se e buscar ajuda.

Beatriz de Paula Porto
Psicóloga

Acesso à Plataforma

Assine a nossa Newsletter