Características sobrecompensatórias das fases psicossexuais da Máscara e Sombra da histeria capitalista

Relacione-se, neste artigo, as características de sobrecompensação das fases psicossexuais que subjazem e caracterizam a histeria, com influência no Capitalismo, com a Máscara e Sombra, numa perspectiva Junguiana, que caracterizam a histeria capitalista.

Antes de mais, há que ter a noção que caracterizações psicossexuais estão associadas à histeria, tendo por base, por exemplo, um autor como Bergeret ( 1997 ). Assim, ter-se-à que a histeria caracterizar-se-à, sobretudo, por uma organização à volta da fase oral e fase fálica, com um menor desenvolvimento organizativo da fase anal. Ora, dado que o capitalismo é um sistema matriarcal e que a histeria é mais típica nas mulheres, considere-se a presença das características orais e fálicas nas sociedades capitalistas.

Atente-se, por exemplo, ao meu artigo Implicações da castração edipiana na sociedade capitalista ( Resende, 2010 ). Tendo por base a noção de sobrecompensação fálica associada à inveja do pénis, e que caracterizará sobretudo as mulheres, considera-se que na castração oral, sobrevirá uma sobrecompensação narcísica oro-fálica, com a língua enquanto falo, o que levará à tendência para a verborreia, ou seja, as características típicas do histérico de falar muito. Isto será característico particularmente numa sociedade capitalista. Tendo em conta estas características de sobrecompensação associada à fase oral e fálica, dever-se-à ter em conta que as mesmas estão associadas à Máscara, sendo esta caracterizada de um ponto de vista Junguiano enquanto arquétipo de adaptação externa ( Jung, 1988 ). Veja-se, por exemplo, as tendências para os relacionamentos sociais, embora tendencialmente superficiais, do histérico. Para mais, como se pode ver em Máscara ( Persona ) e Sombra de Jung: suas relações com o Capitalismo e o Comunismo        ( Resende, 2007 ), o Capitalismo caracteriza-se mais pela Máscara enquanto que o Comunismo se caracteriza mais pela Sombra. Caracterizando melhor esta Máscara capitalista, tenha-se em conta que o histérico capitalista caracteriza-se, em sobrecompensação, pelo exibicionismo, e pela agressividade, derivada da raiva narcísica associada à inveja do pénis, com sobrecompensação agressiva derivada da falta deste último, portanto. Ver a este respeito os meus artigos A inveja do pénis e a inveja do clitóris e suas implicações políticas ( Resende, 2010 ) ou, por exemplo, Mecanismos de defesa e Mecanismos de ataque ( Resende, 2010 ).

Pelo dito, ter-se-à que a Máscara histérica capitalista caracterizar-se-à pela sobrecompensação oral e fálica.

Já relativamente à Sombra do histérico capitalista, ela estará sobretudo associada à sobrecompensação da fase anal. Tenha-se em conta que o histérico caracteriza-se em menor grau pela organização à volta da analidade, considerando-se ainda, no histerismo capitalista, a importância do dinheiro na sociedade, enquanto objectivo último da mesma, perspectivando que o dinheiro tem caracterizações anais. Isto, porque o mesmo tem características transitivas, do que está fora e do que está dentro, e funcionará como meio de relação com o exterior.

Ora, atentando ao meu artigo Tendências psicológicas e medos futuros das sociedades capitalistas ( Resende, 2010 ), compreende-se que as sociedades capitalistas baseiam a sua analidade num enquadramento religioso, com a divinização do dinheiro, particularmente com a sacralização da sexualidade feminina, o que levaria, em última instância, a uma paranóia anal.  Esta paranóia anal está particularmente baseada na utilização da sexualidade feminina para controlo do indivíduo e das massas, em que haverá o deslocamento das culpabilidades associadas ao controlo para o fogo eterno do Inferno, na religião cristã, mantendo-se, deste modo, o controlo individual e societal. Estas últimas noções poderão ser mais aprofundadas em Implicações da castração edipiana na sociedade capitalista ( Resende, 2010 ).  Haverá, para mais, o medo da desmistificação das tradições judaico-cristãs e da sexualidade feminina, o que levará, em reacção, à mistificação desses dois elementos cruciais das sociedades capitalistas, particularmente cristãs. Haverá assim, no contexto, uma sobrecompensação anal. 

Deste modo, tendo em conta que a Sombra está associada ao desconhecido e a medos associados ao desconhecido, dir-se-à que o histerismo capitalista, no seu enquadramento religioso e sacralizante, fará caracterizar uma Sombra histérica capitalista, pela sobrecompensação anal, já que o histérico, de base, tem um menor desenvolvimento organizativo anal.

Em resumo, ter-se-à, na histeria capitalista, uma Máscara com sobrecompensação oral e fálica e uma Sombra com sobrecompensação anal.

Bibliografia
Bergeret, J. ( 1997 ). A personalidade normal e patológica        ( tradução portuguesa ). Climepsi Editores
Jung, C. G. ( 1988 ). A prática da psicoterapia in Obras Completas de C. G. Jung, Vol. XVI ( tradução portuguesa ). Petrópolis: Editora Vozes. ( Edição original, 1971 )
Resende, S. ( 2007 ). Máscara ( Persona ) e Sombra de Jung: suas relações com o Capitalismo e o Comunismo in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 09/10/2007
Resende, S. ( 2010 ). A inveja do pénis e a inveja do clitóris e suas implicações políticas in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 15/10/2010
Resende, S. ( 2010 ). Mecanismos de defesa e Mecanismos de ataque in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 15/10/2010
Resende, S. ( 2010 ). Implicações da castração edipiana na sociedade capitalista in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 16/11/2010
Resende, S. ( 2010 ). Tendências psicológicas e medos futuros das sociedades capitalistas in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 26/11/2010

About Sérgio Miguel Ramos Duarte Fortes Resende

Comments are closed.