Dupla ganha Nobel da Física por descoberta que pode levar a criação do computador quântico

 O francês Serge Haroche, 68, e o americano David J. Wineland, 68, ganharam nesta terça-feira (9) o Nobel da Física de 2012 pela descoberta de formas de medir partículas quânticas sem destruí-las, algo que pesquisadores acreditavam ser impossível, segundo anunciou a Academia Real das Ciências da Suécia.
09/10/201207h17 > Atualizada 09/10/201209h56

Os trabalhos sobre a interação entre a luz e a matéria e seus "revolucionários métodos experimentais que permitiram a medição e a manipulação de sistemas quânticos individuais" podem levar à construção de um novo tipo de computador super rápido com base na física quântica, de acordo com a Academia Real Sueca de Ciências.

Juntos, eles somam mais de 80 anos dedicados à pesquisa e compartilham a paixão pela física quântica. "Os ganhadores do Nobel abriram as portas para uma nova era de experimentação com a física quântica, ao demonstrar a observação direta da partículas quânticas individuais sem destruí-las", afirmou a academia em comunicado.

"Talvez, o computador quântico mudará nossa vida cotidiana neste século da mesma forma radical que o computador clássico fez no século passado." Os vencedores deste prêmio recebem 8 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 2,5 milhões), 20% menos que no ano passado.

Vencedores dos últimos 10 anos do Nobel de Física 2012:

Serge Haroche (França) e David Wineland (EUA) 2011: Saul Perlmutter (EUA), Adam Riess (EUA) e Brian Schmidt (EUA/Austrália) 2010: Andre Geim (Holanda) e Konstantin Novoselov (Rússia/Grã-Bretanha) 2009: Charles Kao (EUA/Grã-Bretanha), Willard Boyle (Estados Unidos/Canadá) e George Smith (EUA) 2008: Yoichiro Nambu (EUA), Makoto Kobayashi e Toshihide Maskawa (Japão) 2007: Albert Fert (França) e Peter Grunberg (Alemanha) 2006: John C. Mather (EUA) e George F. Smoot (Estados Unidos) 2005: Roy J. Glauber (EUA), John L. Hall (Estados Unidos) e Theodor W. Hansch (Alemanha) 2004: David J. Gross, H. David Politzer e Frank Wilczek (EUA) 2003: Alexei A. Abrikosov (Rússia/EUA), Vitaly Ginzburg (Rússia) e Antony J. Leggett (Grã-Bretanha/EUA) Haroche nasceu em 1944 em Casablanca (Marrocos) e atualmente é catedrático de Física Quântica no Colégio da França e na Escola Normal Superior, ambos em Paris.

Ele conseguiu em 2008 observar a passagem da física quântica à física clássica em um pequeno conjunto de fótons (partículas que constituem a luz). Quando recebeu a notícia do prêmio, por telefone, estava na rua passeando com sua mulher. "Por sorte passava perto de um banco e pude me sentar. Quando vi o prefixo 46 (o da Suécia) me dei conta que era real", contou Haroche. "Não esperava. É uma surpresa maravilhosa".

Por sua parte, o americano Wineland também nasceu em 1944 e trabalha no Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) de Boulder (Colorado, EUA). Assim como Haroche, ele trabalhou na área da física quântica, "estudando a interação fundamental entre a luz e a matéria", segundo o Comitê Nobel.

Outros prêmios

Ontem, o britânico John Gurdon e o japonês Shinya Yamanaka conquistaram o prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia de 2012 por pesquisas que revolucionaram a visão do desenvolvimento dos organismos ao demonstrar que as células adultas podem ser reprogramadas para desenvolver qualquer tipo de tecido, anunciou a organização responsável pelo prêmio nesta segunda-feira (8).

O início de outubro marca a temporada dos prêmios Nobel e, com ela, as especulações sobre os vencedores, sobretudo para os prêmios da Paz e de Literatura. O Nobel de Medicina é o primeiro a ser entregue a cada ano. Os prêmios nas áreas de ciências, literatura e paz foram entregues pela primeira vez em 1901, seguindo a vontade do inventor do dinamite, Alfred Nobel.

Este ano, os júris aumentaram a precaução para manter em sigilo os nomes dos premiados. Mas o prêmio da Paz já tem diversos nomes citados como favoritos, como o do ex-chanceler alemão Helmut Kohl, o da militante afegã que combate o uso da burca (vestimenta islâmica com abertura apenas para os olhos) Sima Samar ou o do americano Gene Sharp, defensor da revolução não violenta, assim como o da ativista egípicia copta Maggie Gobran, entre outros.

Os vencedores nas categorias científicas (Medicina, Física, Química) são difíceis de prever, mas as especulações sobre os prêmios mais populares, Paz e Literatura, são intensas. A Academia Sueca que entrega o prêmio Nobel de Literatura é conhecida pelos métodos utilizados para evitar vazamentos.

No ano passado, os boatos sobre um possível vazamento provocaram alguma agitação e foram organizadas investigações para esclarecer como, horas antes do anúncio do vencedor pela Academia, a cotação do poeta sueco Tomas Trantrömer, o premiado de 2011, passou de 13 contra 1 a menos de 2 contra 1. Sem provas, as investigações foram abandonadas, mas a Academia decidiu aumentar a rigidez e limitou o número de pessoas com acesso antecipado ao nome do vencedor. Para este ano, os sites de aposta suecos destacam o chinês Mo Yan e o japonês Haruki Murakami como os favoritos.

A seguir o calendário para o anúncio dos Prêmios Nobel 2012:

– Quarta-feira, 10 de outubro, a partir das 9h45 GMT (6h45 de Brasília): Nobel de Química – Quinta-feira, 11 de outubro: data provável do anúncio do Nobel de Literatura. A Academia Sueca confirma a data poucos dias antes, mas geralmente o nome é divulgado na quinta-feira, às 11h GMT (8h de Brasília). – Sexta-feira, 12 de outubro, às 9h (6h de Brasília): Nobel da Paz – Segunda-feira, 15 de outubro, a partir das 11h GMT (8h de Brasília): Nobel de Economia Os nomes dos vencedores serão anunciados em Estocolmo, com exceção do Nobel da Paz, que será anunciado em Oslo. (Com agências internacionais)

Adalberto Tripicchio PhD

Comments are closed.


loading...