Governador Alckmin veta psicólogos na rede pública de ensino e Haddad aprova psicopedagogos nas escolas municipais

O governador Geraldo Alckmin vetou Projeto de Lei que autoriza a Estado a criar cargos de psicólogo e assistente social nas escolas estaduais e Haddad sanciona lei que implementa psicopedagogos na rede municipal.

No último dia 15, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) vetou o Projeto de Lei 442/07, de autoria da deputada Ana do Carmo (PT). Aprovado no final de 2012, o PL autoriza a Estado a criar cargos de psicólogo e assistente social nas escolas estaduais da educação infantil, fundamental e ensino médio. “O governador vetou mais uma medida para melhoria da educação no estado”, disse o presidente do Sinpsi, Rogério Giannini.

Com apoio do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), o CRP-SP, o Sinpsi e a Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (Abrapee) enviaram ofício ao secretário estadual de Educação, Herman Voorwald, pedindo audiência para explicar a importância da aprovação do projeto para a melhoria da educação pública. O secretário ignorou o ofício e não chamou os representantes das entidades para uma reunião. Dias depois, o governador vetou o projeto com a justificativa de evitar novos custos e de que esses serviços já são oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e pelos conselhos tutelares.

Profissionais da Psicologia querem participar da construção do processo educativo e atuar na relação entre escola, professores, alunos e a comunidade. (Foto: Flickr/EducacaoSP)

Agora, o Conselho Regional de Psicologia de São Paulo (CRP-SP) e o Sindicato dos Psicólogos de São Paulo (Sinpsi) estão convocando audiência pública para a próxima quinta-feira (18), na Assembleia Legislativa de São Paulo, com o objetivo de criar um grupo de trabalho para formular um novo projeto de lei que garanta profissionais da Psicologia e do Serviço Social nas escolas públicas estaduais. Estarão presentes representantes de sindicatos e conselhos e são esperados também representantes do governo estadual.

A presidenta do CRP-SP, Carla Biancha Angelucci, esclareceu que, na escola, os psicólogos não vão fazer diagnósticos individuais dos alunos e professores e realizar procedimentos psicoterapêuticos. “A ideia é que esses profissionais participem da construção do processo educativo, que atuem na relação entre escola, professores, alunos e a comunidade para melhorar a educação como um todo”, disse. Em relação à decisão do governador Alckmin, Angelucci apontou que “o veto […] é visto como um sinal de que a educação paulista não tem problemas, preconceito, discriminação, racismo, pobreza e tantos outros problemas que desafiam a escola e a educação, como baixo desempenho em todos os testes. Há seis anos solicitamos audiência com o governador para discutir questões da educação, saúde, justiça. Até hoje ele sequer respondeu nossos pedidos”.

A psicóloga ressaltou que a psicologia, que já está inserida em muitas outras áreas sociais, tem muito a contribuir ao ajudar a escola a enfrentar questões complexas, como a adolescência, a resistência aos estudos, aos trabalhos escolares. “Podemos facilitar o diálogo com os alunos, com os pais, ajudar os professores a comporem o projeto pedagógico, buscar caminhos alternativos para questões que muitas vezes acabam com a expulsão de um aluno, por exemplo, mas que estão longe de resolver o problema.”

“Estamos falando de intervenção nos processos de aprendizagem para uma escola democrática. O fraco desempenho da educação tem ver com o sistema e não com o aluno”, completou Giannini.

Segundo o conselho, já existem psicólogos atuando em escolas nas redes municipais de Barueri, Santana de Parnaíba, Guarulhos e São Bernardo, na Grande São Paulo, e em diversos municípios brasileiros.

Já o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, sancionou uma lei que implementará psicopedagogos nas escolas municipais, sendo que tal assistência psicopedagógica objetivará o diagnóstico, intervenção e prevenção dos problemas de aprendizagem tendo como enfoque o aluno, a pré-escola e a escola, e também atuar como mediador de conflitos para procurar evitar ações de bullying.

“O psicopedagogo vai atuar na mediação de conflitos e no encaminhamento de problemas de aprendizagem que envolvem a articulação com a família e o acompanhamento do estudante em seu ambiente social”, explica César Callegari, secretário municipal de educação. “Em muitos casos de bullying nas escolas se faz necessária a presença de um psicopedagogo para trabalhar o problema junto com a turma de estudantes.”

Segundo definição da Associação Brasileira de Psicopedagogia, o profissional especializado nesta função lida com o processo de aprendizagem, seus padrões normais e patológicos considerando a influência do meio (família, escola e sociedade) no seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios.

De acordo com texto publicado no site de notícias G1, enquanto a psicologia escolar surgiu para explicar o fracasso do aluno na escola, a psicopedagogia faz um trabalho clínico com aqueles que apresentam dificuldades na aprendizagem por problemas específicos.

Sobre a atuação da Psicologia Escolar
:

Foi lançado recentemente pelo CREPOP (Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas)  o documento de referência para atuação do psicólogo na Educação Básica, apontando para aspectos como a dimensão ético-política da atuação, a psicologia e a escola, as possibilidades de atuação do psicólogo na Educação Básica e os desafios para a prática profissional; No documento, especialmente no terceiro eixo (que diz respeito as possibilidade de atuação do psicólogo na Educação Básica), o texto cita alguns aspectos da atuação do psicólogo(a), como visto nos seguintes trechos:

“Na direção de contribuir para a melhoria da qualidade da educação em todos os níveis, nossas ações devem pautar-se em tornar disponível um saber específico da Psicologia para questões da Educação que envolvam prioritariamente o fortalecimento de uma gestão educacional democrática que considere todos os agentes que participam da comunidade escolar, e de formas efetivas de acompanhamento do processo de escolarização.Esse saber fundamenta-se no entendimento da dimensão subjetiva do processo ensino-aprendizagem. Temáticas como: desenvolvimento, relações afetivas, prazeres e sofrimentos, comportamentos, ideias e sentimentos, motivação e interesse, aprendizagem, socialização, significados, sentidos e identificações contribuem para valorizar os sujeitos envolvidos nas relações escolares.”

Em relação ao projeto político-pedagógico, “é função da (o) psicóloga (o) participar do trabalho de elaboração, avaliação e reformulação do projeto, destacando a dimensão psicológica ou subjetiva da realidade escolar”.

A intervenção da (o) psicóloga (o) no processo de ensino aprendizagem:

“A (ao) psicóloga (o) cabe uma prática que conduza a criança e o jovem a descobrir o seu potencial de aprendizagem, auxiliando na utilização de mediadores culturais (música, teatro, desenho, dança, literatura, cinema, grafite, e tantas outras formas de expressão artísticas) que possibilitam expressões da subjetividade. No caso da avaliação das dificuldades no processo de escolarização, é

fundamental avaliar o aluno prospectivamente, naquilo que ele pode se desenvolver, e não se restringir àquilo que o aluno não
consegue realizar, ou mesmo centrar-se somente no aluno, sem refletir sobre a produção social do fracasso escolar .

Uma outra possibilidade de atuação refere-se ao acompanhamento dos alunos em conselhos de classe, no cotidiano da escola, nas dificuldades que surgem no processo de escolarização. Um trabalho que geralmente obtém bons resultados é aquele que envolve as turmas de alunos trabalhando no sentido de promover orientação em relação a temáticas que circunscrevem o espaço escolar. 

Em relação a Psicologia Escolar e a atuação do psicólogo(a) em geral:

“Podemos afirmar que é prioritária uma vinculação entre a Psicologia e a Educação, pois a (o) psicóloga (o) quando desenvolve sua prática na escola ultrapassa o nível da técnica, no sentido de apenas aplicar determinados procedimentos; sua intervenção vai além e relaciona-se com encaminhamentos de questões implicadas com a Psicologia e a Educação, pautando-se em uma análise crítica dessa relação e dos conhecimentos produzidos nesses âmbitos. Entendemos que o caminho em busca da construção de uma Psicologia crítica, em contextos educativos, embora iniciado, ainda é bastante extenso, pois, na escola, são várias as situações que exigem conhecimentos, tanto da educação em relação à sociedade, como conhecimentos que nos levam a compreender o desenvolvimento das subjetividades produzidas na escola entre professores, pais, estudantes e funcionários (FACCI,1998).”

,

128 Responses to Governador Alckmin veta psicólogos na rede pública de ensino e Haddad aprova psicopedagogos nas escolas municipais

  1. Virginia Valdez 5 de novembro de 2014 at 21:46 #

    Ë fundamental, que tenhamos esses profissionais, nas escolas, para ajudar os alunos nas disciplinas, é também, que sejam extendidos, para aqueles familiares com dificuldade de lidar com seus filhos!!!

  2. Alessandra Toledo 5 de novembro de 2014 at 11:56 #

    To com Haddad tem que colokar sim psicologos e psicopedagogos seja nas escolas municipais ou estaduais…………….Totalmente a favor,claro.Alckmim deveria ajudar e so prejudica os professores estaduais e o propri oestado e teve gente que ainda votou……..MAs cada um tem o q realmente merece……………………………..

  3. Fábio Pereira 4 de novembro de 2014 at 16:01 #

    É a famosa picaretagem tucana. Não promover melhoria alguma a educação e Se puder sucatear ainda mais, será feito. Queria que fosse mentira mas não é… Parece proposital…

  4. Marlene Maciel 4 de novembro de 2014 at 3:33 #

    OS BRASILEIROS VÃO ESPERANDO POR ISSO, COM A CRISE EM QUE A NAÇÃO BRASILEIRA SE ENCONTRA! AGUARDEM E ACREDITARÃO O DEFICIT PÚBLICO. COMO PAGAR ESSES PROFISSINAIS?! JÁ TEM PolíTico QUERENDO CONFISCAR A ECONOMIA DO DERRAMADO SUOR E LABUTA DOS TRABALHADORES PARA COBRIR OS ROMBOS DE GOVERNOS corruPTos, FRAUDAULENTOS E IRRESPONSÁVEIS. A DILMA ENGANOU A MAIORIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUE A INFLAÇÃO ESTÁ EQUILIBRADA, MAS ISSO NÃO É VERDADE! SE NÃO FOSSE OS PARLAMENTARES DA OPOSIÇÃO, PODE ACREDITAR, PROVAVELMENTE JÁ ESTARIAMOS COM NOSSAS ECONOMIAS CONFISCADA PARA O GOVERNO FEDERAL SE APROPRIAR DOS FRUTOS DOS SUORES DE NOSSO TRABALHO. NÃO ACREDITAM? ASSISTAM http://www.youtube.com/watch?v=5i1LGfEgYfo

  5. Willian Martins 4 de novembro de 2014 at 1:12 #

    acho essa ideia excelente para o ensino publico, antes os alunos serem atendidos na escola do que na fundação casa…!

  6. Marisa Salviate Debeus 3 de novembro de 2014 at 20:54 #

    A Psicopedagogia e uma pós-graduação ,a área de estudo dos processos e das dificuldades de aprendizagem de crianças, adolescentes e adultos. O psicopedagogo identifica as dificuldades e os transtornos que impedem o estudante de assimilar o conteúdo ensinado na escola. Para isso, faz uso de conhecimentos da pedagogia, da psicanálise, da psicologia e da antropologia. Analisa o comportamento do aluno, observando como ele aprende. Promove intervenções em caso de fracasso ou de evasão escolar. Além de trabalhar em escolas, pode atuar em hospitais, auxiliando os pacientes a manter contato com os conteúdos escolares. Pode trabalhar também em centros comunitários ou em consultório, público ou particular, orientando estudantes e seus familiares no processo de aprendizagem.

  7. Wilson Da Costa Silva 3 de novembro de 2014 at 18:25 #

    Bastava ter um conselho tutelar melhor equipado, com maior número de pessoal e que atuasse sempre, independente de ocorrência grave ou não, que teríamos uma grande melhora na assistência aos alunos em situação de risco.

  8. Alan Maciel da Silva 2 de novembro de 2014 at 16:49 #

    Professor de matemática que sabe matemática ninguém quer contratar, né? Dar autoridade ao professor tampouco. Depois não entendem pq a educação aqui é uma das piores do mundo.

  9. Rosângela Pires 2 de novembro de 2014 at 15:46 #

    Tudo o que foi dito, é papel do pedagogo, vejo como uma afronta a profissão do pedagogo. E mais, alguns apontamentos tbem é papel de outras licenciaturas como artes, citada e um exemplo… Penso que as licenciaturas precisam ser consultadas e ouvidas… E não um projeto de lei a partir dos psicólogos que ao meu ver, a partir do texto da matéria, se acham os salvadores do processo, é preciso ter cuidado, sobre tudo ética, para não subestimar a formação e competência das licenciaturas que estão na escola.

  10. Andréa Tarazona 2 de novembro de 2014 at 15:32 #

    Psicólogos, psicopedagogos, professores pedagogos, filósofos, sociólogos, historiadores, pais, filhos, alunos… digam-me: Quem não tem nada a ver com a Educação??? Quem pode ficar de fora do debate e das discussões sobre o processo educacional??? Enquanto permitirmos que a política interfira nas relações entre os profissionais que podem pensar a Educação e aperfeiçoá-la, colocando-os uns contra os outros, ficaremos reféns dessa rede de interesses pessoais, cada um querendo puxar a sardinha para sua brasa. Isso só fará com que a situação permaneça como está e com que os profissionais que podem auxiliar neste alicerce da nação permaneçam desunidos, em permanente guerra pela posse do terreno de ação. Não entro nessa. Todos são importantes!! Todos são fundamentais!! Todos devem participar!! E quanto mais a sociedade e os profissionais estiverem perto da Educação, mais chances teremos de ´promover a cidadania de forma integral!

  11. Sandra Brilhante 2 de novembro de 2014 at 13:03 #

    Deixando de lado as "picuinhas" entre partidos, o importante é que se deu um passo importante rumo a mudanças na area da educação, no entanto, é necessário continuar lutando por esta causa, visto a importância e a necessidade desse profissional dentro das instituições escolares para facilitar o relacionamento entre e com todos que dela fazem parte, bem como no processo de aprendizagem como um todo.

  12. Luiz Antonio Rossi 2 de novembro de 2014 at 9:32 #

    Eu votei contra esse governador que está no quarto mandato, ele não está realmente preocupado, com a educação, e o povo não percebe.

  13. Denise Oliveira 1 de novembro de 2014 at 21:55 #

    Pois é,ta ai,agora vai começar a guerrinha entre os partidos, um cria o projeto(PT) e o outro veta(PSDB), e quem sai perdendo é a população.Não querer melhorias na educação é a chave para a manipulação em massa, pois a educação emancipa a pessoa, ela passa a pensar sozinha, tira suas próprias conclusões,"ela sai da caixa". Psicólogos são muito importantes na escola sim principalmente nas públicas,pois muitos alunos trazem pra escola problemas familiares sérios por exemplo violência,abandono,maus tratos,miséria,e tudo isso cai em cima do professor, que deveria estar ali pra desenvolver o papel que é de "escolarizar" o aluno como diz Mario Sérgio Cortella (Filósofo e especialista em educação),mas não ele ja desenvolve o papel de educador,pai,psicólogo,assistente social …. tentando suprir o que o aluno não tem em casa, é de mais para o professor que tem que lidar não só com um aluno, mas com 40 ou 45 por turma.Se pais com 1 filho que tem problemas, e não dá conta leva ao psicologo, psicopedagogo, procura ajuda de todos os lados, imagina um professor com 45 pessoas diferentes cada um com um problema, e ainda tem que dar conta de ensinar todos. E esse é o resultado que vemos professores frustrados e alunos frustrados.E que jeito que a educação melhora assim? É lamentável…

  14. Jessica Nunes 1 de novembro de 2014 at 20:01 #

    O problema de nao ter um profissional presente nas escolas, é que o problema é na escola. Tem que ser resolvido o mais rápido possível. É a mesma coisa que tentar fazer cirurgia pelo sus.. as vezes o problema até se resolve sozinho. Mas np caso da escola, pode nao ser uma solução boa. (Expulsão, briga, morte..)

  15. Plácido Rodrigues 1 de novembro de 2014 at 13:17 #

    Aprovar leis não significa que teremos para a educação profissionais suficientes. Essa guerra de quem é melhor ou pior entre PSDB e PT está dando nos nervos. Um aprova e outra não, mas será que há uma preocupação de fato com a educação ou qualquer outro órgão? Creio que é apenas uma briguinha para dividir mais ainda a população e tentar, de forma ridícula, dizer ser melhor que o outro. A lei é legal, mas vai ajudar? Possivelmente sim, mas se for aplicada na prática, ou seja, quantidade adequada de profissionais e não um para uma região inteira, esperando um milagre do profissional que irá ficar sobrecarregado, e profissional sobrecarregado, cansa, fica estressado, pois como atender centenas de crianças sozinho?

  16. Rosangela Nogueira 25 de março de 2014 at 2:06 #

    Quem está fazendo comentários "teóricos" não trabalha em uma escola, principalmente pública; caso contrário, acharia a atitude do governador e secretário absurda. Para ser psicólogo é necessário um curso para isso. Como todos os profissionais de uma escola teriam a obrigação de mediar conflitos, principalmente entre vários adolescentes, sem acompanhamento de um especialista. Poupe-me, tá! Fácil discurso e palpite de quem não está vivenciando tal realidade. Mesmo os profissionais desta área necessitam de acompanhamento psicológico, a "carga" é muito pesada. Quem pensa diferente vai lá e depois repense o seu " todos têm de estar bem
    preparados!

  17. Lan Palma 12 de março de 2014 at 0:27 #

    O papel do psicólogo na educação seria de um gde apoio, um mediador, atuaria com educadores , educando e familias, faria a ponte com a rede de assistência, saúde e educação, assim como o profissional da S.S. , a rede ainda não funciona, esta saturada, o CREAS e CRAS não tem corpo para atender a toda demanda, os CAPS precisam ser apliados sim, como tb tem que capacitar equipe, ainda patinamos entre projetos e ações. Vetar esses profissionais foi estagnar mais esse processo.

  18. Silvia Cersózimo Arenque 11 de março de 2014 at 1:51 #

    Zelia Gonçalves Dos Santos O partido que gosta de total submissão é outro, não?

  19. Debora Lorenzo 10 de março de 2014 at 23:48 #

    Bia Macedo … ahahahah… você é patética!!! Assim como esse demente que concorda com você.

    Farei a checagem por mim, não por você. Melhor parar mesmo, porque em vocês falta conteúdo.

    Ao contrário de vocês não aplaudo qualquer merda que o PSDB faça (como disse para mim não é partidário), essa progressão continuada é a maior besteira já feita na área de educação, o brasileiro precisa de razões para andar na linha e repetir de ano é uma delas.

  20. Bia Macedo 10 de março de 2014 at 22:41 #

    Obrigada Danilo, você tem razão e vou parar por aqui. To gastando vela boa com defunto ruim.
    Ela é tão inteligente que precisa dizer isso o tempo inteiro pra ver se convence alguém rs
    Abraços. :)

  21. Danilo Santos Nascimento 10 de março de 2014 at 22:37 #

    Bia Macedo você é guerreira aguentar tanta ignorância e ainda tentar debater… Falar com esses coxinhas é difícil, são irredutíveis!

  22. Bia Macedo 10 de março de 2014 at 22:28 #

    Eu já chequei, essa notícia é velha, fiz isso há muito tempo.
    Você é muito inteligente mesmo, vota em PSDB e faz um esforço descomunal pra defender o indefensável! Aplaude também a progressão continuada, obra do seu partido?

  23. Debora Lorenzo 10 de março de 2014 at 22:22 #

    Bia Macedo … porque não tenho tempo no momento, não vou olhar em apenas um site ou uma fonte… minhas pesquisas são mais aprofundadas… isso que faz de mim essa pessoa inteligente.

    Quem confia em apenas 1 fonte acaba falando besteira… só quis mesmo responder você, porque não aguento ouvir merda e ficar quieta…

    Vai checar você também, quem sabe vai dormir essa noite um pouco mais inteligente (ainda que no seu caso acho que nem transplante de cérebro resolve)

  24. Bia Macedo 10 de março de 2014 at 22:20 #

    Continua falando merda porque não foi checar.

  25. Debora Lorenzo 10 de março de 2014 at 22:15 #

    Bia Macedo… nossa minha filha, você é completamente louca… Gente, é muita ignorância em uma pessoa só e diz que tem pena de mim?? Você deveria ter pena de você mesmo… deprimente!! onde eu disse que é mentira sem checar??

    "Quanto ao corte de investimento, ao contrário de você, não fico replicando o que os outros postam sem checar, e como não tenho tempo para verificar nesse momento a veracidade da informação, não comentarei… provavelmente a questão é um pouco mais complexa que a chamada, mas não defenderei e nem acusarei."

    Já que você é tão inteligente e checa tudo, deve saber que existe um valor no orçamento que deve obrigatoriamente ser revertido para a educação, certo?? Sabe disso, né?! Eu disse que pode ser um pouco mais complexo, porque por ser um valor percentual pode variar de acordo com a arrecadação e/ou do dinheiro que é repassado pelo Governo Federal para o Estado.

    O Governo Estadual, teoricamente não poderia reduzir o investimento por que deu na cabeça dele, é previsto na Constituição… mas como não tenho conhecimento sobre o todo prefiro não opinar no momento, vou me aprofundar no assunto e então criarei minha opinião.

  26. Bia Macedo 10 de março de 2014 at 21:52 #

    Debora, tenho pena de gente como você, que na falta de argumentos escreve um texto enorme cheio de ofensas e achismos. Quem disse que não checo o que posto? Com base em que você diz isso? Veja você mesma o link que passei, tem lá a fonte do portal transparência, algo que sempre consulto, mas que você não deve saber o que é. Pra defender o PSDB você já disse que é mentira sem checar.
    Alguém deve mesmo comer merda aqui, e não sou eu.

  27. Danilo Santos Nascimento 10 de março de 2014 at 16:45 #

    Val Martin … Tá serto!

  28. Val Martin 10 de março de 2014 at 16:20 #

    Danilo, me impressiono com a falta de conhecimento em seu comentário, as diretrizes da educação é federal, será que o MEC mudou-se para São Paulo. e parece me que quem está no poder lá em Brasília há quase 12 anos é o PT. o que fizeram, nada, a educação continuou esse merda, formando analfabetos funcionais que chegam no ensino médio sem conseguir assinar o próprio nome. E são São Paulo não é metido a elite, SÃO PAULO É A ELITE NESSE PAÍS DE MERDA.

  29. Debora Lorenzo 10 de março de 2014 at 11:51 #

    Bia Macedo … para mim isso não é partidário, porque em meus textos, como pode constatar, não ofendi o Haddad, enquanto você fez, o que demonstra quem está opinando partidariamente aqui.

    Fascista?? Sério minha filha?? Em que século você vive?? ahahhaha… ai meu Deus.

    Aparentemente eu não sou a única que acho que o voto dos mais pobres pode ser comprado em troca de uma caixa de leite, dê uma olhadazinha nesse vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=khrWYPd3hRQ

    Como disse acima, eu nunca (ainda que estudante da rede pública) tive o perfil para aplicar para bolsa nenhuma, e, ainda que tenha direito (porque aí não é compra de voto) não utilizo nenhum serviço público… gente, você deve comer seu próprio excremento, não é possível… então utilizar serviços públicos que tenho direito é vender meu voto… ahahah.

    Eu digo que tendo em vista que o Estado de São Paulo é o que mais progride no Brasil, nós sabemos votar melhor que outros Estados, em especial os que vivem as nossas custas…

    Por mim, Filosofia e Sociologia não estariam na grade curricular também… eu tive na escola e não serve para nada… existem outras matérias muito mais importantes.

    Quanto ao corte de investimento, ao contrário de você, não fico replicando o que os outros postam sem checar, e como não tenho tempo para verificar nesse momento a veracidade da informação, não comentarei… provavelmente a questão é um pouco mais complexa que a chamada, mas não defenderei e nem acusarei.

  30. Debora Lorenzo 10 de março de 2014 at 11:36 #

    Alyne Cavalcante Dini … Na verdade a internet é livre, eu comento o que quiser, onde quiser… se querem um lugar onde todos pensem como vocês, criem um grupo no facebook, aí podem ficar falando e concordando o tempo todo, vai ser bem produtivo.

    Onde em sua lógica, eu como funcionário costas quentes sairia por aí criticando eles?? Se estivesse nessa situação o mais lógico seria defender e/ou pretender que isso não existe…

    Sobre a questão do debate, favor ler o resto da conversa, não me repetirei.

  31. Bia Macedo 10 de março de 2014 at 5:12 #

    Projeto de lei continua a ameaçar a permanência da Filosofia e da Sociologia no Ensino Médio brasileiro.
    http://www.cafecomsociologia.com/2014/02/projeto-de-lei-continua-ameacar.html

  32. Bia Macedo 10 de março de 2014 at 5:07 #

    Da série: Vagabundos que sustentamos de verdade. Em 4 anos, Alckmin corta 55% dos investimentos em Educação.
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=376952679113671&set=a.333082803500659.1073741837.329170453891894&type=1&relevant_count=1

  33. Bia Macedo 10 de março de 2014 at 4:44 #

    Cheia de preconceitos, acha que quem defende um partido é porque tem uma boquinha, mas é incapaz de assumir sua defesa. Eu não disse que você xingou o Haddad, leia o que eu escrevi. Você respondeu em vários comentários desse blog, sempre com esse mesmo discurso fascista. Acha que só seu voto vale, que quem recebe algum benefício não tem o mesmo direito ou credibilidade que você. Você nunca tentou uma bolsa de estudo? Nunca usou serviços públicos? Se sim, então você se enquadra nos que vendem ou trocam votos (de acordo com sua análise).

  34. Silvia Rodrigues 10 de março de 2014 at 1:45 #

    Realmente não se pode fazer milagres, mas com certeza a função do psicólogo não está em somente lidar com transtornos mentais e mediação de conflitos. Aliás a função do psicólogo escolar está muito além disso…basta consultar o CRP que lá está bem detalhado as atribuições do psicólogo escolar. E se existe a área da psicologia escolar é justamente pq este profissional tem a sua função na educação.

  35. Alyne Cavalcante Dini 9 de março de 2014 at 23:52 #

    Não tem mesmo que comentar nada. Não conhece a dinâmica da instituição escolar e vem com o discurso barato de que: "Criar essas vagas gerarão mais custos e o sistema de educação continuará exatamente igual, até mesmo porque, certamente serão colocados nessas vagas, pessoas desqualificadas com costas quentes."
    Se você faz seu trabalho mal feito pq tem costas quentes, ou se conhece alguém que faz o trabalho mal feito pq tem costas quentes o problema é seu. – e isso deveria mudar-
    O ser humano tem o hábito mesmo de julgar todos por aquilo que ele mesmo é.
    vai estudar, vai procurar saber antes de fazer a louca aqui na página.
    Mas voltando a questão em debate, um profissional psicólogo é indispensável nas escolas. e esse enfoque é antigo, até porque se você não sabe a psicologia começou em 3 principais áreas de atuação: ESCOLA, EMPRESA E CLINICA.
    Depois aos poucos foi migrando para tantas outras áreas.

  36. Debora Lorenzo 9 de março de 2014 at 23:41 #

    Alyne Cavalcante Dini … Nem vou me dar ao trabalho de responder, favor ler todos os posts anteriores… assim já vai conhecer a minha opinião a respeito. Garota informação!!

  37. Alyne Cavalcante Dini 9 de março de 2014 at 23:17 #

    Debora Lorenzo você é bem mal informada mesmo, hein!? pelamordeDeus. Onde já se viu falar que a psicopedagogia não seria importante na escola. Pois é, né?! é esse tipo de pedagogos que o Brasil está cheio.

  38. Debora Lorenzo 9 de março de 2014 at 20:50 #

    Até que enfim alguém com bom senso aqui… O ponto é melhor o que já tem em cada área e sua integração… Com profissionais de educação bem capacitados nas escolas, e os demais órgãos (CAPS, CREAS, CRAS, SUS) em quantidade suficiente para atender a demanda no tempo necessário para ser efetivo, não há razão para transferir para a Educação a responsabilidade de outras áreas.

    Obviamente se área da Educação estivesse perfeita, assumir outras "obrigações" não seria um problema, agora sabemos que essa não é a realidade, então só pioraria ainda mais uma área que já possui deficiência.

    Não precisamos de mais coisas para gerar despesas, precisamos que o que existe hoje funcione corretamente, nada mais.

  39. Debora Lorenzo 9 de março de 2014 at 19:15 #

    Bia Macedo … Eu menti em alguma coisa?? Você já viu a arrecadação do Governo Federal por Estados?? Ainda, onde nisso interpretou que eu estava xingando pobre?? Porque acha que chegamos tão longe?? Porque votamos corretamente, e se houvesse o mesmo entendimento político (pelo menos na maioria dos Paulistas, vocês não se enquadram nesse grupo) em outros Estados, não achando que partido político e time de futebol são uma mesma coisa, e/ou, que vender o voto em troca de caixa de leite é certo, talvez os outros Estados tivessem a mesma qualidade que São Paulo, e dessa forma não ficaria tão pesado para nós.

    Onde eu xinguei o Haddad também?? A única referência que fiz à ele foi dizer que ele é o prefeito de São Paulo e por tanto responsável pela periferia da cidade. Vocês que estão xingando o Alckimin e eu nem me dei ao trabalho de defender?? Isso é partidário para vocês, eu estou defendendo o meu Estado, com base em dados reais.

    Ainda, eu pelo menos assumo o que eu falo, entre o meu segundo e terceiro post (por que não faço dois posts na sequência para a mesma pessoa) havia um comentário do seu amiguinho aqui altamente ofensivo a classe média, onde ele se referiu a nós como "lixo da sociedade" … eu nunca disse que a periferia é o "lixo da sociedade", até mesmo porque tenho muitos amigos que vivem lá e não falam as asneiras que vocês falam.

    O problema é que para vocês, tudo o que o PT faz (até roubar) é o máximo, agora nada o que qualquer outro partido faça presta… eu não sou militante de nenhum partido, nem mamo em nenhum Governo, por isso não preciso pagar mico em internet defendo o indefensável só para continuar com a minha boquinha.

  40. Bia Macedo 9 de março de 2014 at 17:42 #

    Dito por você:
    "O povo de São Paulo, "metido a elite", é responsável por 43% da arrecadação Federal, talvez porque tenhamos um pouco mais de entendimento político que os outros 13 Estados que vivem as nossas custas. "

  41. Debora Lorenzo 9 de março de 2014 at 17:27 #

    Bia Macedo … e onde viu eu falando que a classe pobre não vale nada minha filha?? Eu disse exatamente o contrário, enquanto continuarmos com essa guerra entre classes o Brasil não vai para lugar nenhum… Cada classe tem sua função e importância. Quem ofende a classe média são vocês, e o pior, fazem parte dela (ou da classe alta se bobear), bando de hipócritas.

    Vocês ficam com esse negócio de coxinha (como se tivessem inventado o termo – só pra constar utilizo há mais de 15 anos) e nem sabem o real significado… e não me ofendo por ser chamado como tal.

    Pior é ter orgulho de se incluir em quadrilha só por que se diz defensora dos pobres e oprimidos.

    Aprenda a ler e interpretar um texto primeiro, quem sabe então conseguirá me ofender. Vocês não sabem nada a meu respeito para que eu me incomode com a opinião que formaram a meu respeito.

  42. Bia Macedo 9 de março de 2014 at 17:10 #

    Típica coxinha que acha que porque ganha uns caraminguás a mais vale mais que os que ganham menos. Você acha que é mais brasileira que outros brasileiros só porque é classe merdia paulistana?? Você acha que pobre não paga imposto?
    Ah vá! Tua raça me envergonha e muito!

  43. Debora Lorenzo 9 de março de 2014 at 16:58 #

    Bia Macedo … ahahahah… E eu com isso?? Sinta vergonha por você, não tem nada comigo para se incomodar com minha opinião… nem paulistana eu sou… sou Paulista.

  44. Bia Macedo 9 de março de 2014 at 16:20 #

    Como paulistana senti muita vergonha pela resposta da Debora.

  45. Debora Lorenzo 9 de março de 2014 at 15:16 #

    Talita Queiroga … Na hora de generalizar para o mal pode, agora para o bem não?? Você é o retrato das pessoas que estão opinando aqui… criando suas opiniões baseadas em 20 escolas (em um universo de mais de 5.200) de uma cidade (das mais de 640 do Estado) e eu que tenho uma visão limitada??

    A cidade de São Paulo é de responsabilidade do prefeito de São Paulo. O Governador tem que tomar decisões pensando no Estado como um todo. Tenho certeza que se perguntar para ele: Você acha válido? – ele dirá: sim, acho válido, mas inviável dado o custo disso para o ESTADO.

    O Estado de São Paulo tem a área de educação mais complexa do Brasil, não são apenas as escolas da periferia da cidade de São Paulo, ainda assim temos as melhores Universidades Públicas do país, as melhores escolas estaduais também estão no Estado. Se precisamos melhorar, claro que sim, e o próprio governo sabe disse… provavelmente por isso que o Governo do Estado vetou a lei, não adianta colocar a cereja no bolo antes de finalizá-lo.

    Aí me pergunto, como alguém que acha ótimo ter psicólogos/psicopedagogos em escolas de João Pessoa, quando existem escolas no interior da Paraíba que nem carteira tem, pode saber mais do que está falando do que eu.

  46. Dolario Cesar Filho 9 de março de 2014 at 14:16 #

    Governo…que perpetua no poder, prejudicando assim a educação em nosso estado.Resposta nas urnas… GENTE !

  47. Talita Queiroga 9 de março de 2014 at 12:41 #

    Debora Lorenzo kkkk isso é um ranking de melhores escolas no enem. vc quer utilizar uma prova objetiva que avalia o aluno individualmente para dizer que não precisa de psicologos e psicopedagogos nas escolas de são paulo, ok. vc quer generalizar o resultado dessa prova específica para a educação de uma forma geral, ok. vc quer dizer que o fato de existir uma escola boa em uma cidade, toda educação do estado é boa, ok. vou continuar fazendo o meu trabalho aqui e vc continue não fazendo o seu pela educação. mas ó, se você colocasse um pé na escola para trabalhar, certeza que você mudava de opinião. todo mundo que colocou as ideias aqui foi contra o veto pq trabalha em escola, a unica pessoa que foi a favor do veto (você), não trabalha em uma.

  48. Gustavo Soares 9 de março de 2014 at 6:11 #

    Eu concordo com você que todos tem que estar preparados para mediar os conflitos, e é isso que o profissional da psicologia faz. Eu já atuei em algumas escolas, e te garanto que a única coisa que o psicólogo faz é cuidar da mediação dos conflitos para que todos estejam preparados, envolvendo todos os segmentos da escola nos casos mais particulares e fazendo com que assim, possíveis conflitos futuros possam ser evitados. O psicólogo pode abrir o diálogo que muita vezes está perdido dentro da escola. Existem escolas que são administradas por pessoas autoritárias, o que muitas vezes causa mal estar nas relações sociais dos funcionários e dos alunos, e o psicólogo vai intervir justamente aí, tentando abrir o diálogo entre as partes, algo que pode demorar anos para ocorrer, dependendo de inúmeros infortúnios e sofrimentos desnecessários para que o diretor(a) abra os olhos. Há escolas em que as crianças estão desmotivadas, e pouca gente para pra escutar o porquê. As intervenções dos profissionais de psicologia e assistência social só enriquecem o ambiente escolar. Em todo país com educação de qualidade é indispensável a presença desses dois profissionais (e até muitos outros), e no Brasil isso ainda está longe da realidade.

    Perdão, mas não entendo como a presença deles pode interferir negativamente numa escola. Discordo diametralmente da sua opinião.

  49. Debora Lorenzo 9 de março de 2014 at 3:25 #

    Talita Queiroga … Curioso que não é isso que o ENEM apresentou… as únicas escolas públicas estaduais classificadas entre as 20 melhores públicas eram de São Paulo:

    http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/11/26/enem-por-escola-2012-veja-ranking-com-as-20-melhores-escolas-publicas.htm

    Parece-me que a PB está jogando dinheiro fora com psicólogos em escolas então. Mas não comparemos os Estados, porque como eu disse temos realidades completamente diferentes, preocupe-se com o seu que já estará fazendo muito.

  50. Talita Queiroga 9 de março de 2014 at 2:30 #

    Debora Lorenzo meu mestrado em psicologia escolar foi ai em sp e falo da realidade daí, pois foi onde comecei a trabalhar. aqui em joao pessoa nao preciso lutar por isso, pois graças ao bom senso o psicologo faz parte da equipe básica da escola e todas tem pelo menos um, inclusive houve concurso da prefeitura para assistente social e psicologo mês passado e há uma lei municipal que exige o psicopedagogo para acompanhar crianças especiais na inclusão escolar. por isso a educação da paraíba deu um salto e é a segunda do nordeste, ficando no ranking nacional na frente do estado de são paulo. na escola que eu trabalho são 3 psicólogas para mais de 2 mil alunos e infelizmente não lidamos com casos pontuais. são centenas de casos e não paramos de trabalhar um segundo sequer. quem trabalha em escola sabe disso. pena que vc não saiba da realidade.

  51. Alex Sandro S. Figueiredo 9 de março de 2014 at 0:34 #

    Também não acredito que um profissional da psicologia e do serviço social possam fazer milagres como muitos esperam.
    – Temos que ter a ampliação dos CAPS infantis que possam cuidar das crianças com algum transtorno mental grave;
    – As escolas precisam ter uma ligação com os CRAS e CREAS serviços de referência da Assistência Social, trabalho e lido com diversas escolas publicas e em sua grande maioria não conhecem estes serviços que precisam atuar em parceria com as escolas e a área da saúde, o que não ocorre;
    – Estes serviços da Assistência Social contam com psicólogos, Assistentes Sociais e pedagogos, ou seja, são para atuar nos problemas que espoem a população, tornando as vulneráveis;
    – Os CRAS e CREAS precisam ser ampliados, conforme a lei existente, temos muito poucos CRAS pela cidade, as vezes apenas um por região.
    Precisamos refletir, será mesmo que um psicologo e um assistente social vão conseguir dar conta dos problemas de uma escola.

    Um outro dado que comentaram é em relação aos conflitos, para que um processo sócio educativo ocorra é necessário que todos os profissionais do ambiente escolar estejam preparados para lidar e mediar os conflitos, não pode ser apenas um, tem que ser todos, desde o inspetor de alunos, professores, direção e pessoas ligadas a alimentação e os pedagogos precisam saber lidar com várias questões sim, inclusive acionar serviços como UBS, CRAS e CREAS.

    O debate propicia a riqueza de idéias e reflexão.

    boa noite.

  52. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 23:14 #

    Danilo Santos Nascimento … ahahahahahha

  53. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 23:13 #

    Talita Queiroga … Eu já falei tudo o que tinha para falar sobre o assunto, não vou repetir tudo de novo. Manter um profissional em uma escola para atuar em casos pontuais, ou raramente, não vale o custo benefício. Que o SUS faça a parte dele e a escola a parte dela, assim tudo ficará bem.

    Ainda, a realidade de João Pessoa é bem diferente da realidade de São Paulo, então vá lutar para que isso seja implementado no seu Estado, já que considera uma boa ideia.

    Eu como contribuinte aprovo a decisão do Governo do Estado de São Paulo em vetar essa decisão, que o dinheiro da educação seja utilizado em coisas mais urgentes e que tragam maior benefício à área, como, por exemplo, capacitação e valorização dos professores.

  54. Talita Queiroga 8 de março de 2014 at 21:02 #

    Debora Lorenzo mulher, o pedagogo cursa uma disciplina só de psicologia e isso nao o faz capaz de diagnosticar nada. mesmo se o tornasse capaz, ele nao poderia, diagnósticos são exclusivos da área de saúde.
    mas ok, vamos supor que o aluno tem problemas e é encaminhado. faz o diagnostico externamente à escola e passa a ser acompanhado por profissionais externos, tudo certinho. na escola ele fica solto? quem vai fazer acompanhamento e adaptacao de aluno na escola? vc acha que isso é papel do professor? sério mesmo? entra numa sala e dá aula para 30 alunos e vê se dá conta de garantir que eles aprendam, se desenvolvam e você ainda dê conta dos problemas mentais, intelectuais e familiares de cada um. é humanamente impossível se desdobrar em todos os papéis. melhor do que ninguém o pedagogo pode detectar problemas, mas diagnosticar e acompanhar não são papéis deles. o acompanhamento feito pela escola é necessário, e diferente do que o sus pode proporcionar, ambos são necessários.
    e nao, nem o conselho tutelar nem o sus podem assumir a parte do psicologo ou do psicopedagogo numa escola, pq sus e conselho tutelar nao sao instituicoes educativas. podem lidar com patologia e aluno problema, mas nao sabem nada de ensino-aprendizagem. como e o sus e o conselho tutelar adaptariam prova para alunos com necessidades especiais e as aplicaria se nao sao da area escolar? como eles poderiam definir quais melhores materiais a serem utilizados de acordo com o nivel de desenvolvimento de cada um? como dariam apoio ao professor no desenvolvimento de estratégias de ensino-aprendizagem? como orgaos externos `a escola podem elaborar projetos de prevenção se nao conhecem o dia a dia das escolas e suas necessidades?
    se você passasse um mês dentro de uma escola, como funcionária, passando o que cada um de nós passa, voce ia entender o que a gente quer dizer. mas falar sem estar com o pé dentro é fácil demais.

  55. Danilo Santos Nascimento 8 de março de 2014 at 18:04 #

    Se eu sou idiota funcional imagine uma pessoa que quer dar opinião sobre o que não sabe… Acorda, pois a unica que está sendo manipulada aqui é você!

  56. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 17:34 #

    Danilo Santos Nascimento … Ah tá… Eu, sonhei isso…

    Exato, Escola Estadual é de responsabilidade do Estado de São Paulo e o SUS (Sistema Único de Saúde) que deveria dar condições de que todos conseguissem acompanhamento psicológico é de responsabilidade do Governo Federal.

    Agora veja quem está tentando que essa responsabilidade seja passada para a área da Educação, por ineficiência em oferecer esse serviço na área da Saúde, olha o partido de quem encaminhou a lei.

    Idiota funcional, manipulado e nem percebe coitado… ahahahaha… e depois eu que não entendo de política… ahahahah

  57. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 17:22 #

    Sheila Sodré … agora sim, chegamos no ponto que eu queria… então o problema não está na escola, ou pelo menos a solução não, já que seria inviável (perfeito, mas inviável) termos uma clínica médica dentro de cada escola do Estado, concorda?? Agora se o SUS fosse eficiente e ágil para atender/tratar esses casos, em especial quando direcionados pela escola, esse problema estaria resolvido. O problema familiar, que obviamente prejudica o aprendizado, deve ser tratado pelo Conselho Tutelar e/ou assistentes sociais…

    O que essa lei no fundo queria, era transferir a deficiência de uma área (SUS – Federal) para a outra (Educação – Estadual), que já possui suas próprias deficiências (estruturais, humanos, salariais, etc.).

    Eu não estou defendendo Governo que só me rouba (até mesmo porque ainda nada foi provado contra o Governo do Estado), quem está, sem nem perceber, é você… e ainda acaba se prejudicando, porque quanto mais responsabilidades forem transferidas para a área de educação, gerando custos, menos chances você terá de receber um salário digno de sua função. Pesquisar um pouco sobre Orçamento Público te auxiliará a entender um pouco mais sobre esse ponto.

  58. Josiani Schnaider 8 de março de 2014 at 17:17 #

    E todos unidos em função do mesmo resultado
    .

  59. Danilo Santos Nascimento 8 de março de 2014 at 17:08 #

    Debora Lorenzo você é hilária! Não apaguei nada, pois não disse nada! Coxinhas sempre com as mesmas ladainhas! Escolas Estaduais são de responsabilidade do Governador e é sobre isso o assunto! Você fala como se entendesse alguma coisa de politica, mas não entende nada assim como todo coxinha! Abraço!

  60. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 16:46 #

    Danilo Santos Nascimento e Sheila Sodré… acho que quando inventaram o termo "Idiota Funcional" pensaram exatamente em vocês…

    Se são realmente professores (Deus queira que não), vocês são o real motivo pelo caos da educação. Professores devem lecionar, não tentar politizar, especialmente quando são tão leigos sobre o assunto.

    Direita e Esquerda, sério?? Direita opressora, verdade?? Você tem real conhecimento sobre o que isso significa, ou fica apenas repetindo o que o PT diz?? Porque se buscar um conhecimento mais aprofundado sobre o assunto (o que certamente não é o pefil de vocês), vão ficar chocados com o que descobrirão. Aliás, certamente se descobrirão muito mais de direita do que imaginam, porque hoje essa discussão se limitou ao fato de que: – se você é pobre e/ou defende os pobres é de esquerda; – se você é rico e/ou não liga para os pobres é de direita;

    Não acredito que você é tão cara de pau que apagou o post que falava que a classe média era o lixo da sociedade… como é macho você hein?! Não consegue nem assumir o que fala… ahahahahah

    Outro ponto importante, é que a periferia da cidade de São Paulo, é de responsabilidade do prefeito da cidade, não do Governador… esse tem como atribuição se preocupar com o bem-estar dos mais de 640 municípios do Estado… talvez se entendessem um pouco mais das atribuições de cada cargo, e conhecessem um pouco melhor o Estado como um todo, cobrando o que tem o direito de cobrar de quem tem a obrigação de entregar tivessem mais sucesso.

    Mas como esperar que um idiota funcional, que repete sem pensar as asneiras abaixo, seja diferente?? É isso que ensinaram para vocês… e pensar não é o forte do idiota funcional:

    – a direita é opressora e a esquerda é a salvação; – que o PT é o partido do povo e o PSDB é o partido da Elite; – que o PT roubar é certo (mesmo após condenação) e qualquer denúncia (mesmo sem comprovação) contra o PSDB é o fim do mundo; – que o todo rico é opressor, até os que dedicam suas vidas auxiliando os mais pobres; – os empresários que geram milhares de empregos para os moradores da periferia, possibilitando que esses consigam buscar melhores condições de vida, são exploradores; – O FHC foi quem ferrou a economia do Brasil, o Lula foi o salvador;

    O PT está no controle do Brasil há 12 anos, e a verdade é que os ladrões que estão saqueando o nosso bolso não foram eleitos pelos coxinhas como eu, tenha certeza disso…

  61. Sheila Sodré 8 de março de 2014 at 16:35 #

    Debora Lorenzo uma boa parte dos problemas de aprendizagem vem de fora da escola. O ambiente escolar é a panela de pressão onde todos os problemas sociais se misturam! É muito complexo. Vai muito além da formação do professor!
    Dentro do curso temos filosofia, sociologia e, sim, muita psicologia mas são voltadas para aprendizagem. Porque não dá pra gente abraçar o mundo todo!
    A escola precisa sim de pedagogo, psicologo, assistente social, fonoaudiologo e todas as profissões que podem contribuir para o desenvolvimento completo do individuo. Para que a gente possa se dedicar mais ao ensino e busca conhecimento, pq esses outros problemas tomam muito do nosso tempo e energia.
    Para você ter uma idéia eu estou em uma sala de alfabetização com duas crianças que com dificuldade de aprendizagem e ninguém consegue laudo de nada! E enquanto a coordenadora corre atras de uma ajuda, eu to lá rebolando com os dois! Sem saber se o que eu to fazendo é o caminho certo. Pedagogo é polivalente nas matérias que leciona, mas infelizmente, não dá pra ser polivalente em tudo.

    Antes de defender o governo que só te rouba, tenta entender a rotina de uma escola. Achar que professor tem tempo de fofocar e comer bolachinha é coisa de gente alienada. Porque, sinceramente, eu não paro 1 minuto do dia! Saio de casa as 5h e volto as 20h.

  62. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 16:12 #

    Talita Queiroga … não ganho nada com isso na verdade, não tenho rabo preso com ninguém, o que me permite opinar livremente. Um pedagogo tem em sua grade curricular psicologia dentre outras coisas voltadas para o ensino e aprendizagem, podendo diagnosticar deficiências de aprendizagem em seus diversos níveis, lidando com as mais simples e direcionando as mais complexas para um profissional mais capacitado. Se formos pensar em todos os problemas que podem atrapalhar no aprendizado teríamos que ter diversas outras especialidades clínicas disponíveis dentro do ambiente escolar, o que é inviável.

    Por esse motivo, acredito que ter os três profissionais, com "praticamente" as mesmas atribuições é desperdício.

    O maior problema na educação é a qualidade dos professores que aí estão, que não fazem noção do que estão fazendo, por isso, em minha opinião, mais vale utilizar essa verba na capacitação e remuneração deles, para que quem sabe, eles consigam lecionar com qualidade.

  63. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 15:59 #

    Esther Torinho … Eu estudei em escola pública minha vida inteira, onde nunca tive psicologo e/ou psicopedagogo e nunca tive problemas, aliás todos conseguiram se sair bem. Em nenhum momento desmereci a importância de um psicologo, só não acho que em uma escola fariam muita diferença além de ser mais para opinar e/ou piorar a relação entre estudantes e professores, porque em situação de conflito teriam que se posicionar em favor de um ou de outro. Realmente não mudará minha opinião, acredito que caiba a escola definir problemas específicos e direcionar o estudante/professor a um psicologo no sistema único da saúde.

  64. Esther Torinho 8 de março de 2014 at 15:52 #

    Debora Lorenzo, não conheço apenas uma parte, vc é que conhece uma pequenina parte, pois pensa que atuação de Psicólogo é só na terapia individual. Várias outras pessoas já opinaram aqui a favor e sempre justificando muito bem, mas vc não quer entender. Sua análise, me desculpe, não é mais ampla, ao contrário, é muito, mas muito limitada. O trabalho do Psicólogo na escola é em uma atuação multidisciplinar e não consiste em terapia individual. Não sei qual a sua formação, mas enfim, parece que não adianta tentar convencê-la. Vc não vai dar o braço a torcer, dizendo: está certo, eu não tinha pensado nisso.

  65. Carolyne Reis 8 de março de 2014 at 15:45 #

    Sheila Sodré kkkkkk… é por ai..

  66. Rosana Severini 8 de março de 2014 at 13:09 #

    Concordo com a senhora que conflitos dentro da escola precisa de alguem preparado , o pedagogo nao faz esta função , mas o psicopedagogo , pode. A escola precisa que tenha professores preparados e que entendam i processo do aluno , por isso o PSICOpedagogo. Nao sou Petista. Mas ha tempo esta função ja deveria estar na escola. Convido a sr a conhecer o PROJETO CUCA LEGAL da Unifesp.

  67. Sheila Sodré 8 de março de 2014 at 13:02 #

    Debora Lorenzo, amiga, psicopedagogo é uma coisa e psicologo é outra! E ainda te digo mais: o psicopedagogo formado em psicologia é diferente do psicopedagogo que tem formação em pedagogia. Vamos pesquisar primeiro pra depois defecar pela boquinha! Beijos.

  68. Sheila Sodré 8 de março de 2014 at 12:59 #

    Não tem o que discutir! É dar murro em ponta de faca.

    É o típico pensamento de direita mesmo: ama o opressor e odeia o oprimido.
    Parabéns, Debora! Por coxinhas como você que os ladões continuam saqueando o nosso bolso e todo mundo grita gol! Muito obrigada!

  69. Rosana Severini 8 de março de 2014 at 12:57 #

    Cada um com sua função.

  70. Talita Queiroga 8 de março de 2014 at 11:47 #

    Debora Lorenzo filha, é o seguinte: na pedagogia se estuda o ato de ensinar; na psicologia escolar se estuda o ato de aprender. ensino e aprendizagem só existem juntos, por isso a importância dos dois profissionais na escola. Essa ideia de que a participação de um psicologo na escola seria para acompanhar casos específicos de estudantes "problemáticos" é ultrapassada e não condiz com o campo de trabalho do psicólogo escolar, que tem várias outras atribuições dentro da escola. clinicar, diagnosticar, fazer terapia, ISSO NAO EXISTE DENTRO DA ESCOLA. O PSICOLOGO QUE FAZ ISSO ESTÁ EQUIVOCADO E JAMAIS PODE SER CHAMADO DE PSICOLOGO ESCOLAR. mas enfim, pra estar defendendo tanto essa ideia absurda do alckmin ou vc tem rabo preso com ele ou foi um dos ignorantes com visão limitada que deu assessoria para esse veto. é uma pena

  71. Morgana Mgi 8 de março de 2014 at 10:25 #

    Josiani Schnaider , concordo plenamente. Trabalhar em parceria, cada um na sua especificidade é o que ajuda na garantia da qualidade nas relações e nas aprendizagens. Pedagogos ensinam, Psicopedagogos trabalham na prevenção e tratamento dos problemas de aprendizagem, Psicólogos trabalham nas relações , conflitos de ordem emocional, bullyng, problemas familiares afetando a aprendizagem das crianças… enfim, confio demais nas alianças e no trabalho das equipes . Vamos ampliar a visão e cada um ter a ética de atuar em suas especificidades…

  72. Silvia Rodrigues 8 de março de 2014 at 4:53 #

    Debora Lorenzo acho que vc está equivocada quanto as funções do psicólogo escolar. Seria melhor se informar antes de falar besteira. A função do psicólogo está longe se ser somente a de diagnósticos não é a toa que existem milhares de áreas na psicologia.

  73. Esther Torinho 8 de março de 2014 at 4:19 #

    Debora Lorenzo, não sei se sua pergunta foi dirigida a mim ou a Rosana. Quanto a mim, o que digo tem como base duas coisas: Psicóloga e Professora, com longa experiência no Magistério (Ensino Fundamental. Ensino Médio e inclusive alguma também em Curso Superior). Inclusive foi como Professora que senti falta do Psicólogo.

  74. Danilo Santos Nascimento 8 de março de 2014 at 4:14 #

    Tudo, tudo, tudo, igual!!!

    Senhorita Debora, você questionou todos os que foram contra o veto já com uma opinião formada sobre o assunto só para mostrar superioridade e está fazendo papel de idiota, pois não conhece nada sobre os problemas de uma escola e quer dar opinião sobre o que não sabe, mal sabe diferenciar um psicólogo de um psicopedagogo…

    Em nenhum momento falei que a classe média é o lixo da sociedade, e quando citei “classe merda” me referi aos representantes dessa classe que não costumam pensar, que é o seu caso… Não é toda classe média que entra na categoria “classe merda”, muitos por incrível que pareça pensam! (Reforço, não é o seu caso).

    De resto você apenas repetiu falácias que seus colegas da “classe merda” e isso não merece nenhum tipo de resposta! Você é uma fanfarrona :) !

  75. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 3:35 #

    Sheila Sodré … para preparar cidadãos capazes de transformar sua própria realidade, primeiro é necessário respeitar a nova realidade que eles terão… como você acha que alguém que diz que a classe média é o lixo da sociedade, vai convencer uma juventude da periferia a trabalhar e lutar para chegar onde a classe média está (teoricamente transformando a própria realidade)?? Você entende quão contraditório é isso?? Uma pessoa que pensa dessa forma não tem nada que possa melhorar qualquer pessoa. Fomentar essa guerra entre classes é o que atravanca esse país…

    Você não me conhece e não sabe a parte da história que conheço, o prejulgamento partiu de vocês pelo fato de eu não comprar a história que estão defendendo… Também não acho que tenha condições de julgar que tipo de educação eu recebi. Costumo respeitar quem demonstra respeito pelos outros.

    Tenho professor de rede pública na família, o sofrimento não é só de vocês… Eu sou classe média mesmo, mas meu pai tem 70 anos, 5 pontes no coração e continua trabalhando folgando 2 domingos no mês porque se parar de trabalhar não consegue pagar as contas. Porque acha que a realidade da periferia é mais difícil do que a minha??

    Essa classe média lixo é a que trabalha, paga mais impostos, e não recebe nenhum benefício do governo, ninguém olha para nós, não me enquadro em nenhum tipo de bolsa, nada… Se um dia a classe média acabar, como acham que a periferia poderá ser auxiliada pelo governo?? Acham que eles tirarão dinheiro de onde para oferecer os serviços públicos gratuitos que hoje "beneficiam" os mais pobres, e nós, ainda que paguemos os impostos e tenhamos tanto direito quanto eles de utilizar, optamos por pagar particular para não piorar ainda mais o serviço que é prestado.

    Acredito que vocês sim precisam conhecer um pouco mais a realidade desse país, porque ao contrário do que pensam, não está bom para ninguém… e ficar repetindo besteiras sem fundamento não trará melhorias para o país.

  76. Danilo Santos Nascimento 8 de março de 2014 at 3:24 #

    Huhauhauauhauhauha!!! É ou não é tudo igual??? Santa ignorância!

  77. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 3:08 #

    Josiani Schnaider … entendo isso, mas essa é uma questão de saúde pública. Deficiências podem ser determinadas por pedagogos (que são capacitados para isso) e direcionados para os psicólogos oferecidos pela SUS ou privado para tratamento. A escola tem como função básica ensinar, não tratar a saúde (seja ela física ou mental)… Logo mais teremos que ter um postinho de saúde dentro de cada escola, ideia linda, mas de onde virá dinheiro para esse mundo perfeito, se hoje falta o básico muitas vezes??

    Esther, na verdade vocês estão opinando sobre algo que conhecem apenas uma parte… eu estou fazendo uma análise mais ampla… fiz uma boa explicação no outro post a respeito, caso tenha interesse em se aprofundar um pouco mais no assunto.

  78. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 3:01 #

    Lucas Menezes … não disse que li sobre o milagre na matéria, mas nas opiniões dessa conversa, como se não colocar psicólogos em escolas fosse o fim da evolução do ensino no Brasil.

    Percebo que não tenha lido toda a conversa aqui, eu disse que os Pedagogos tem total condição de definir deficiências de aprendizagem assim como buscar melhores formas de ensinar devido a essas dificuldades, descartando em minha opinião a necessidade de psicopedagogos, mas não descartando a importância de que os pedagogos fizessem especializações em psicopedagogia, por exemplo; Simples assim, se você tem um problema no coração busca um cardiologista (psicologo), se tem um problema nos olhos busca um oftalmologista (pedagogo) e não alguém que sabe um pouco de cada coisa como um clinico geral (psicopedagogo).

    A participação de um psicologo na escola seria para acompanhar casos específicos de estudantes "problemáticos", uma vez que não possuem conhecimento na área da educação e não teriam como interferir/opinar nesse ponto, por esse motivo, sendo a psicologia algo relacionada a saúde, esses casos devem ser identificados pelos pedagogos (que possuem capacidade para isso) e direcionados para os psicólogos;

    Em nenhum momento disse que não devem aumentar os investimentos na área da educação, disse que existem outras coisas na área da educação que urgem por maiores investimentos, e que a contratação de psicólogos reduziria esses investimentos… entendam que existe um valor pré-determinado para ser investido na educação, orçamento, incluir novas despesas exigiria que o mesmo dinheiro fosse redistribuído. Como em sua casa, suas contas estão fechadas (receita X despesa), se você decidir comprar uma TV terá que cortar alguma coisa, por que o dinheiro não irá brotar, então deve-se determinar prioridades. Eu concordo com o Governo de São Paulo que o custo X benefício não justifique a contratação de psicólogos para cada escola estadual, uma vez que esse serviço está (ou deveria estar) disponível na rede pública de saúde e conselho tutelar.

    A saúde também obviamente necessita maiores investimentos, mas o SUS é de responsabilidade do Governo Federal, não acho que o Governo Estadual deva assumir essa despesa, especialmente sendo o Estado de São Paulo responsável por 43% da arrecadação do país, recebendo menos de 5% de volta.

    Digo que são parciais, porque são psicólogos, obviamente querem mais oportunidade de trabalho… minha opinião é bem imparcial, só acho que estão misturando um monte de coisa sem ter um conhecimento mais aprofundado sobre o funcionamento da máquina pública.

  79. Esther Torinho 8 de março de 2014 at 2:32 #

    Debora Lorenzo, mais uma vez vc demonstra estar opinando sobre algo que não conhece. Melhor se informar. Por acaso clicou no link que está aí em cima http://crepop.pol.org.br/novo/wp-content/uploads/2013/04/MIOLO_EDUCACAO.pdf

  80. Esther Torinho 8 de março de 2014 at 2:29 #

    Debora Lorenzo, vc parece fazer do debate uma guerra entre profissões e não se trata disso. Os pedagogos podem estar preparados para lidar com o processo ensino-aprendizagem, mas para lidar com os conflitos que ocorrem aos montes, não estão não. Para melhor estruturar psicologicamente professores para lidar com os alunos, também não. Aliás, eu acharia melhor um Psicológo, mesmo. Mas se o problema envolve a questão do cabide de emprego, que se lancem concursos.

  81. Esther Torinho 8 de março de 2014 at 2:26 #

    Ah, sim, moça, para lidar com o processo ensino-aprendizagem, mas para lidar com os conflitos que ocorrem aos montes, não estão não. Para melhor estruturar psicologicamente professores para lidar com os alunos, também não.

  82. Sheila Sodré 8 de março de 2014 at 2:19 #

    Só quem enfrenta 30 e poucos alunos com giz, lousa e saliva sabe como faz falta um psicologo na equipe pedagógica!

  83. Sheila Sodré 8 de março de 2014 at 2:17 #

    Debora Lorenzo eu sempre estudei em escola pública e agora leciono em uma e sou convicta que o papel da escola é preparar cidadãos capazes de transformar a sua propria realidade. Esse tom superior e ofensivo é resultado de uma educação falha! Quanto mais conhecimento e educação se têm, mais humilde se é! Não me acho superior a você em sentido algum, mas tenho pena de você conhecer somente um lado da história e torna-la a sua realidade.

  84. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 2:12 #

    Sheila Sodré … ??? Não entendi qual a relação entre o fato de chamar um rapaz ignorante de um monte de merda e ter estudado em escola pública assim como ele, faz com que você diga que eu necessito de um psicologo?? Qual a sua lógica nessa afirmação?? Você acha que todos que estudam em escola pública devem pensar da mesma forma e/ou aceitar/defender qualquer besteira que seja dita por outros estudantes da rede pública de ensino?? É por isso que está entrando nessa conversa com comentários tão vazios quanto o dele??

    Caro Danilo, você não gasta argumentos porque não tem… não queira parecer mais inteligente do que efetivamente é, seus comentários acima já demonstraram que você é um demente que só sabe repetir o que ouviu por aí, sem nem entender do que se trata. O dia que você começar a trabalhar de verdade, buscar um futuro melhor para você (como a classe média desse país = trabalhadores), conviver com gente mais inteligente que você, sem a arrogância de achar que você é super inteligente, talvez consiga ser alguém que convença alguém de algo, até lá, continuará sendo esse monte de merda que é = idiota funcional.

  85. Josiani Schnaider 8 de março de 2014 at 2:08 #

    Debora Lorenzo na verdade o grande problema das escolas hoje se refere a doenças mentais ou problemas psicológicos decorrentes de diversos fatores que afetam nos alunos e nossos professores e os psicólogos devem sim atuar juntamente com psicopedagogos e assistentes sociais para auxiliar a resolver esses problemas.. como dificuldade de aprendizagem que representa uma porcentagem grande nas escolas e indisciplina, problemas de relacionamento, e isso tudo faz parte do equilíbrio mental, nosso trabalho é muito importante nesse sentido……na verdade as escolas deveriam ter a disposição uma equipe de profissionais para atender a essa demanda que envolve melhorias na edução e saúde mental… o que acontecem que as pessoas não tem a informação correta a respeito… cuidar e respeitar o ser humano e ajuda-lo a se tornar melhor, principalmente na infância
    é que o que pode tornar o mundo melhor..

  86. Lucas Menezes 8 de março de 2014 at 1:41 #

    Debora Lorenzo só para encerrar da minha parte, não existe milagre, no sentindo de resolução instantânea de problemas, seja na educação, seja em qualquer outra área. Me pergunto onde você leu isso na matéria, cite o trecho, se possível, por favor. Esse texto traz sobre a importância de ter Psicólogos e/ou Psicopedagogos, (preparados, lógico), nas Escolas, quer você concorde, quer não. Ao contrário do que você colocou e deva pensar, nós não estamos pra dar "dicas" sobre como ensinar ou não, mas sim CONTRIBUIR para melhorias, AUXILIAR, seja professor, seja aluno, seja aos pais. O como, eu peço que você releia o texto na parte que tem o tópico: Sobre a atuação da Psicologia Escolar. Finalizando, essa preocupação sua sobre aumentar o custo na área de educação, bem, sua opinião é parcial…o aumento no custo na área de educação tem que existir, assim como na saúde…concorda? Mais recursos, mais melhorias!! O problema que você coloca é que nesse aumento não pode contar com a presença da inserção do Psicólogo ou do Psicopedagogo…humm…sem mais…

  87. Danilo Santos Nascimento 8 de março de 2014 at 1:36 #

    Debora Lorenzo, não gasto argumentos com o seu tipo, pois é perda de tempo e olha que já perdi muito tempo fazendo isso, mas não há resultados, visite uma escola talvez assim você entenda… Talvez…

  88. Sheila Sodré 8 de março de 2014 at 1:19 #

    a escola publica formou uma pessoa que chamou a outra de monte de merda! realmente, tem algo errado! um psicologo te ajudaria, amiga!

  89. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 1:16 #

    Danilo Santos Nascimento … eu sou formada em escola pública, e se você acha que a classe média é o lixo da sociedade, demonstra o tipo de cidadão que é você: Um grande monte de merda. Se você trabalha em escola pública, você é a razão delas estarem a droga que estão, porque com essa falta de inteligência não pode contribuir em nada com um Brasil melhor.

    O que você sabe é repetir discursinho revolucionário, sem fundamento (porque você ofendeu, mas não fundamentou, ao contrário do que pensa), para isso você precisaria estudar um pouco mais. O bom é que não vou precisar perder mais tempo com você que não passa de um grande idiota funcional…

  90. Debora Lorenzo 8 de março de 2014 at 0:59 #

    Lucas Menezes … Ai que está, eu realmente preciso de um psicólogo, aliás acho que todos precisam… mas entendo que isso seja um problema de saúde pública e não da educação.

    Em escolas precisamos de educadores capacitados e maior investimento em infra-estrutura, não acredito que um psicologo e/ou psicopedagogo, aumentando o custo na área de educação, façam o milagre que vocês estão dizendo. Por isso digo que a opinião de vocês é parcial.

    Como eu disse, se cada um fizer o seu melhor em sua área, estaremos contribuindo para um Brasil melhor.

  91. Lucas Menezes 8 de março de 2014 at 0:37 #

    Carolyne Reis, tem razão…não vale discutir mesmo com pessoas que não entendem e nem fazem questão de procurar entender…ela precisa de um psicólogo…rsrs

  92. Danilo Santos Nascimento 8 de março de 2014 at 0:19 #

    Sheila Sodré, exatamente isso!

  93. Danilo Santos Nascimento 8 de março de 2014 at 0:18 #

    Debora Lorenzo, trabalho na escola e sei o quanto psicólogos e assistentes sociais podem ajudar nas nossas escolas, você não sabe, ou finge não saber porque é ignorante e faz parte da crescente classe média burra do nosso país… Sou nascido e criado na periferia de São Paulo e sei quais são os problemas daqui… Conheço o seu tipinho também, infelizmente tenho o desprazer de conhecer alguns com o pensamento medíocre igual ao seu! Vá visitar uma escola estadual e verá o quanto ajudaria esses profissionais na educação! Caso contrário vai continuar nesse seu mundinho de fantasias!

  94. Danilo Santos Nascimento 8 de março de 2014 at 0:10 #

    Zelia Gonçalves Dos Santos, é esse tipo de gente que eu falo pra você, agora me responde, dá para perder tempo com tanta ignorância??? É sempre o mesmo papo! Por isso quando falo com o dito cujo já sei tudo o que ele vai responder, pois são todos iguais! Classe merdaaaaa do caralho!!!

  95. Carolyne Reis 7 de março de 2014 at 23:55 #

    Lucas Menezes, nem vale a pena discutir… ela não entende que tem diferença.. todas as pessoas que estão indignadas com o veto do governador ela ataca ou faz perguntas rasas… Nós psicólogos sabemos que essa revolta tem um porque…

  96. Sheila Sodré 7 de março de 2014 at 23:49 #

    ai essa gente que não conhece o país que vive…

  97. Lucas Menezes 7 de março de 2014 at 23:45 #

    Debora Lorenzo então pra você um Psicologo Escolar só vai estar lá pra opinar, ganhar dinheiro, e encher o saco dos pedagogos? É isso? Traduzi bem sua revolta toda?

  98. Rosana Severini 7 de março de 2014 at 23:15 #

    Convido vc a entrar no site da ABPP. E ler sobre a area. Abraços

  99. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 23:07 #

    Danilo Santos Nascimento … você é de São Paulo??

  100. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 23:04 #

    Danilo Santos Nascimento … o que uma coisa tem a ver com a outra?? O povo de São Paulo, "metido a elite", é responsável por 43% da arrecadação Federal, talvez porque tenhamos um pouco mais de entendimento político que os outros 13 Estados que vivem as nossas custas.

    Vocês ficam nessa concepção de partido dos ricos e partidos dos pobres, e se não fosse pelos "metidos" aqui estaríamos todos quebrados, nem bolsa família teriam condições de pagar.

    Tendo em vista a importância do Estado de São Paulo para a União, acredito que nós sejamos o único Estado brasileiro com condições de votar corretamente, se pensasse um pouco e seguisse nosso exemplo, certamente avançaríamos muito mais como país.

  101. Danilo Santos Nascimento 7 de março de 2014 at 22:30 #

    Debora Lorenzo você trabalha em escola? Conhece a periferia?

  102. Danilo Santos Nascimento 7 de março de 2014 at 22:29 #

    Zelia Gonçalves Dos Santos o povo de São Paulo é "metido a elite" e adora votar no PSDB, as urnas estão aí, mas muito provavelmente eles ganham de novo! Triste!

  103. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 22:25 #

    Melhoraria como exatamente??

  104. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 22:23 #

    Carolyne Reis … eu entendo que tudo isso é muita teoria, na pratica as coisas funcionam diferente… todo mundo acha que colocar mais gente para opinar é a solução para qualquer problema. Um pedagogo tem condições de detectar dificuldades de aprendizagem e lidar com ela.

    O problema é que inventaram o psicopedagogo e ninguém consegue trabalho, aí querem inventar onde colocá-los. Psicopedagogia deveria ser um aperfeiçoamento para o pedagogo, não uma profissão.

    Eu entendo a diferença sim, você que não conhece todas as qualificações de um pedagogo.

  105. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 22:09 #

    Com base em que você diz isso??

  106. Carolyne Reis 7 de março de 2014 at 22:07 #

    Debora Lorenzo, essa discussão contigo é infundada, pois acho que você não leu a matéria completamente, tampouco entende qual é a real diferença entre Pedagogo, Psicopedagogo, e Psicólogo e principalmente qual é a proposta de se ter estes profissionais na rede pública de ensino… Entenda que banana é banana e laranja é laranja! E respondendo sua pergunta quanto a possibilidade de discussões entre pedagogo e psicólogo diariamente nas escolas, eu entendo que isso só é possível se ambos não souberem quais são seus papeis, e se houver desequilíbrio emocional de ambas as partes, atitude essa que eu encerro por aqui pelos motivos já ditos no inicio desta minha publicação.

  107. Zelia Gonçalves Dos Santos 7 de março de 2014 at 21:57 #

    Mas é o controle da educação uma das principais ferramentas para manter o povo em total submissão. Não podíamos esperar dos tucanos nada além do veto. A questão é: O que fazer para mudar isso? As urnas vem aí e o que sairá delas? Esperar para ver!

  108. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 21:53 #

    Carolyne Reis … aí que está, qual a solução que um psicopedagogo daria para uma falta de subsídio e condições de trabalho em escolas de periferia?? Seria apenas mais um grande salário dentro da escola, desculpa para que menos investimentos sejam feitos…

    Inserir um psicopedagogo na escola não será (ainda que a diretora do CRP ache que sim) a salvação do sistema de educação do Brasil. E o fato de pensarem que sim, já demonstra a total desqualificação para atuar na área de educação.

    Criar essas vagas gerarão mais custos e o sistema de educação continuará exatamente igual, até mesmo porque, certamente serão colocados nessas vagas, pessoas desqualificadas com costas quentes.

    Um pedagogo não pode sair por aí fazendo análises do comportamento humano no geral, porque não tem uma formação consistente para isso. Um psicologo não deve opinar nas melhores formas de educar/ensinar crianças, pelo mesmo motivo.

    Se cada um fizer a sua parte em sua área da melhor forma possível, já estaremos trabalhando por um Brasil melhor. Imagina esse tipo de discussão em cada escola todo dia entre um psicologo e um pedagogo, qual a vantagem disso para a educação?? Só mais demora na resolução dos problemas…

  109. Carmem Basile 7 de março de 2014 at 21:46 #

    Acho muito importante a presença de um psicólogo nas escolas para estabelecer uma ponte entre a educação e a atuação das escolas no que fiz respeito à alunos com problemas de aprendizado, orientação à professores qto à adaptação de crianças e adolescentes com desvios psicológicos

  110. Carolyne Reis 7 de março de 2014 at 21:28 #

    Debora Lorenzo, Psicologo, e Psicopedagogo são formações distintas e tem atribuições distintas… As escolas precisam dos três profissionais com certeza!!!
    Acredito eu, que em nenhum momento o Bruno teve intenção de dizer que você não tem conhecimento ou capacidade… o ponto é que os Psicólogos tem uma formação especifica, com uma abrangência de conhecimento diferente da sua. Você pode ser a pessoa mais capacitada a transferir conhecimento. Mas o Psicólogo atua em como esse conhecimento é absorvido. Assim como você nós somos parte da população que sustenta essa maquina também! Sempre em qualquer profissão terá os "profissionais" (se é que podemos chama-los assim) que visam só a estabilidade de cargo público e o salário proporcionado pelo governo. Mas esteja certa, que uma grande maioria que luta pra que nosso país evolua como a diretora do CRP, quer ver a coisa acontecer. Ninguém aqui teve opinião parcial não. Vá a escolas de periferia e ouça as dores das faltas de subsídios e condições de trabalho e me diga depois se os pedagogos sozinhos dão conta de abarcar tudo sozinhos.

  111. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 21:07 #

    Carolyne Reis … vai me dizer então que 100% dos psicopedagogos são excelentes?? Me poupe vai… vocês estão é querendo que sejam abertas vagas para poderem mamar também na máquina pública… um psicopedagogo não faria nenhuma diferença nos pontos apontados acima.

    A falta de pedagogos não cria a necessidade de abrir-se vagas para psicopedagogos, mas de capacitar mais pedagogos… inclusive, talvez a colega não saiba, mas o Governo de São Paulo capacitou muitos professores da rede pública que tinham o "magistério" como pedagogos para esse fim…

  112. Carolyne Reis 7 de março de 2014 at 20:55 #

    Bruno Damien Jürgensen, excelente! E pra completar, se os pedagogos estivessem tão habilitados e aptos à lidar com as crianças e adolescentes, menos reclamações nas delegacias de ensino aconteceriam, menos desistência teria de tal categoria lecionar (Talvez a pedagoga esteja por fora do cadastro emergencial que a secretaria de ensino está promovendo por falta de Pedagogos nas redes públicas).. Mas enfim.. isso aqui é Brasil..

  113. Rosana Severini 7 de março de 2014 at 20:46 #

    O psicopedagogo sao mais capacitados paralidar no processo de aprendizagem

  114. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 20:19 #

    Bruno Damien Jürgensen … Os Pedagogos são altamente capacitados para tratar desses assuntos… Inserir Psicopedagogo em escolas é apenas criar mais um cargo para falar, falar, falar e não fazer nada, por um custo alto.

    O que fariam em relação ao bullying que não é feito hoje em dia?!

    Conhecimento eu tenho sim, a diferença é que não tenho uma opinião parcial como a de vocês… não estou buscando mais um concurso e/ou cargo comissionado para poder mamar no governo, eu sou a parte da população que sustenta essa máquina.

  115. Bruno Damien Jürgensen 7 de março de 2014 at 19:08 #

    Minha filha, todo licenciado tem "psicologia da educação", mas é para entender o funcionamento do processo de ensino e aprendizagem. Não tem nada a ver com intervenções no ambiente escolar. O psicólogo é necessário SIM, principalmente para mediar conflitos e instrumentalizar a comunidade escolar no trato com as diferenças (não vê os casos de bullying?). E outra: só porque não vai fazer diagnóstico individual é inútil? Quantos psicólogos seriam necessários para atendimento individual? A função do psicólogo não é só a de fazer terapia individual. Foi um passo pra trás por parte do governador, assim como tudo o que é relacionado à Educação no estado de SP. Você pode ter lido a matéria inteira (pra dizer que os outros não leram), mas não deve ter conhecimento algum de Pedagogia/Educação ou Psicologia que extrapolem o senso comum. Passar bem!

  116. Danilo Santos Nascimento 7 de março de 2014 at 18:51 #

    Geraldo e os tucanos estão a 20 anos fodendo com a educação do estado de São Paulo, um projeto de lei como esse que visa melhorar a educação só poderia ser vetado por ele! É um FDP!

  117. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 18:20 #

    E o que eles esperam que um psicologo faça na escola exatamente, alguma vez perguntou??

  118. Debora Lorenzo 7 de março de 2014 at 18:16 #

    Fez bem… seria mais um para ganhar muito dinheiro e não fazer nada, em cargos de confiança… pela própria matéria (que aparentemente os que comentaram abaixo não leram inteira), não seriam feitos diagnósticos individuais, apenas palpitariam. As faculdades de pedagogia possuem psicologia focada na educação em sua grade curricular, ou seja, os pedagogos estão plenamente capacitados para isso. Psicólogos devem atender na rede básica de saúde, não na escola.

  119. Giovanni Scarpa Grion Zappile 7 de março de 2014 at 17:46 #

    alckimin picole de chuchu fdp!

  120. Marcus Vinícius Mastrandrea 7 de março de 2014 at 17:40 #

    Ei, São Paulo, né, colega?

  121. Herbert Seabra Seabra 28 de janeiro de 2014 at 16:22 #

    tudo que é bom, e é para o crecimento dos nossos filhos é bom
    é só implantar e ver se vai dar certo, deu vamos em frente
    mais a politica não deixa acontecer isto

  122. Psicologia dos Casais 9 de maio de 2013 at 15:24 #

    Eu, que faço pesquisas em escolas da rede pública de SP, SEMPRE que entro em uma escola pela primeira vez e me apresento, escuto: "Olha, tinha que ter uma psicóloga aqui na escola tal". Uma notícia dessa… só tristeza para as nossas crianças… Excelente artigo, parabéns!

  123. Patricia Cintra Junta 6 de maio de 2013 at 20:57 #

    Ei Brasil….

  124. Vanuelly Oliveira 3 de maio de 2013 at 3:36 #

    Otima reportagem! Esclarece sobre o trabalho do Psicologo na escola, desconstrói sobre a prática realizada no passado, assim espera-se, e também sobre o esteriótipo da atuação do Psicologo!! Infelizmente muitos políticos não informados ainda pensam que psicologo é só em seu consultório e não se abrem para projetos de implantação da profissão no ambito das instituições públicas. Boa representação da ABRAPEE, temos que conquistar espaços, expandir os horizontes!!!

  125. Rosildo Ivaldo 3 de maio de 2013 at 1:41 #

    Quero ver de camarote o desenrolar…

  126. Viviana Ruiz 3 de maio de 2013 at 1:10 #

    é interessante para os politicos cidadãos alienados… por isso a educação tá essa vergonha que adolescentes chegam no ensino médio sem saber ler e escrever…. acordaaaaaa brasil!!!!!!

  127. Lucas Ribeiro 2 de maio de 2013 at 23:51 #

    o objetivo é progredir mas o governo não deixa… (voltando ao começo do século 20 onde o a fracasso escolar tem como consequência a culpabilização do aluno.)

  128. Psicoluzes Psicoluzes 2 de maio de 2013 at 21:55 #

    Eu tenho vergonha de um Pais com este Nivel de Politica que visa apenas o capital e explora os direitos humanos!!! ACORDA BRASILEIROS!!! PSICOLOGA NA ESCOLA É PRA ONTEM…A ANOS ESTAMOS PREPARADOS PARA AS DEMANDAS ESCOLARES, SO DEPENDENDO DA APROVAÇÃO DE LEIS…ACORDA VAMOS LÁ!

    Com apoio do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), o CRP-SP, o Sinpsi e a Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (Abrapee) enviaram ofício ao secretário estadual de Educação, Herman Voorwald, pedindo audiência para explicar a importância da aprovação do projeto para a melhoria da educação pública. O secretário ignorou o ofício e não chamou os representantes das entidades para uma reunião. Dias depois, o governador vetou o projeto com a justificativa de evitar novos custos e de que esses serviços já são oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e pelos conselhos tutelares.



loading...