tique (2)

Movimento breve, recorrente, impróprio e irresistível que envolve um segmento relativa­mente pequeno do corpo; também chamado espasmo ou contração habitual. Em­bora os tiques sejam freqüentemente psicogê­nicos, eles também são observados em casos de encefalite crônica, mais comumente em as­sociação com distúrbios de respiração (por exemplo, bocejos, fungação, tosse espasmódica, cuspir). Outros tiques podem ser vistos em pro­cessos cerebelares, principalmente torcicolo e complexos movimentos rítmicos coordenados, envolvendo o maxilar, lábios, língua e palato.

Quando se acredita que o tique tem relações psicogênicas, ele é chamado, freqüentemente, de tique habitual. Abrange a repetição habitual, ou cacoete, como caretas, piscar dos olhos, encolher dos ombros, vários movimentos da cabeça, etc.

Alguns autores usam a expressão tique local quando o movimento se limita a alguma região localizada, por exemplo, o olho. O tique mímico relaciona-se com as contrações involuntárias dos músculos faciais. O tique psíquico é o induzido por um processo ou impulso incons­ciente. Os franceses referem-se ao tic de pensée designando o hábito involuntário de dar ex­pressão a qualquer idéia que porventura ocorra à mente.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.