As reações biológicas e psicológicas frente ao uso do Facebook

De acordo com recente pesquisa publicada no periódico Cyberpsychology, Behavior, and Social Networking, o Facebook literalmente faz com que seus usuários se sintam bem.
Os autores do estudo analisaram as respostas de 30 indivíduos durante 3 minutos de exposição a diferentes situações: uma condição de relaxamento (um slide show com cenas da natureza), uma condição estressora (um teste com tempo e uma questão matemática) e acesso a conta pessoal no Facebook; A condutividade da pele, a pressão arterial, padrões de ondas cerebrais, atividade muscular e respiratória e dilatação da pupila também foram aferidos.

Com a análise dos resultados, os pesquisadores perceberam que o padrão de sinais biológicos causados pelo uso do Facebook produziu um estado psicofisiológico que era distinto das condições de relaxamento e estresse; Percebeu-se também que os sinais biológicos caracterizaram um estado de “alta valência positiva e alta estimulação”; A pesquisa também sugere que o sucesso das redes sociais pode ser associado a estados emocionais específicos que os indivíduos sentem enquanto utilizam suas contas pessoais.

Em relação aos fatores psicológicos envolvidos no uso do Facebook, a pesquisa (em revisão a estudo publicado anteriormente) descobriu dois fatores primários que motivam os indivíduos a usarem o site: o primeiro é a necessidade fundamental de pertencer a algo, já que os seres humanos foram feitos para se comunicam uns aos outros e também para se sentirem aceitos; O sentimento de “estar desconectado” motiva inicialmente o uso do site e, ao passo que o indivíduo possui mais conexões, mais se utiliza da rede. O segundo fator relacionado ao uso do Facebook é a auto representação, onde os usuários criam uma versão ideal de si mesmo em seus perfis; Segundo os autores da pesquisa, esses dois fatores podem agir em conjunto ou independentemente para motivar o uso da rede.

Fonte: Psychology Today

Comments are closed.