Aumento do consumo de estimulantes por jovens pode indicar mercado promissor para Psicólogos.

De acordo com o site rcm pharma, nos últimos 12 meses foram vendidas 525 mil embalagens de suplementos para melhorar a concentração e memória. Informa ainda que
a venda de Psicoestimulantes – remédios usados para tratar déficit de atenção e hiperatividade -,também tem aumentado bastante, e que muitos clínicos temem que os jovens estejam comprando remédios deste tipo sem prescrição médica na tentativa de melhorar o rendimento nos estudos.

De acordo com o site rcm pharma, nos últimos 12 meses foram vendidas 525 mil embalagens de suplementos para melhorar a concentração e memória. Informa ainda que
a venda de Psicoestimulantes – remédios usados para tratar déficit de atenção e hiperatividade -,também tem aumentado bastante, e que muitos clínicos temem que os jovens estejam comprando remédios deste tipo sem prescrição médica na tentativa de melhorar o rendimento nos estudos.

O site informa que dados da consultora IMS Health demonstram que nos últimos dois anos aumentou em 34% o consumo de psicoestimulantes (como a Ritalina, entre outros), e em 66% o de suplementos para concentração e memória.

As épocas em que há maior consumo destes medicamentos são etapas avaliativas nas escolas e universidade, e são usados no combate à ansiedade e cansaço da pressão por bons resultados e rotina de estudo.

Entrevistados pela rcm pharma alertam para o risco do uso descontrolado destes remédios. Os efeitos colaterais podem variar de problemas no fígado a surtos psicóticos, além de, como consequência do uso contínuo, o organismo habituar-se ao medicamento e desenvolver-se uma dependência.

Um acompanhameto psicológico a estes jovens pode ajudar no combate à ansiedade e no desenvolvimento de estratégias que ajudem a lidar com o cansaço de suas rotinas, e sem o risco de causar outras doenças ou algum tipo de dependência.

Fonte: rcm pharma.

,

Comments are closed.