MEYNERT, Theodor (1833-1892)

Nascido em Dresden a 15 de junho de 1833, Meynert fez o curso de medicina em Viena, onde recebeu o título de doutor em 1861. Seu patrono, Karl Rokitansky, um dos criadores, com Virchow, da histopatologia, fez com que ele entrasse, como preparador, no Asilo de Alienados de Viena, e a partir de 1865 foi professor na Universidade e depois médico-adjunto no asilo provincial. Professor de psi­quiatria sem cátedra em 1870, tornou-se, três anos depois, professor titular e médico-chefe do serviço de psiquiatria do Hospital Geral, postos que ocuparia até o seu falecimento, a 31 de maio de 1892.

Amante da arte, da música e da literatura (em 1905 foi publicada uma antologia dos seus poemas), mas de caráter difícil, Meynert foi um dos mais puros representantes da psi­quiatria organicista e associacionista, espécie de "psicologia anatômica", que foi qualifica­da ironicamente de "mitologia cerebral". Para ele, como escreveu o seu aluno J. Salgò, "todo fato anatômico era apenas a expressão palpá­vel de um processo psicológico. Com seu espírito divinatório e sua fantasia de poeta, substituía por idéias psicológicas as células e as fibras nervosas; e nas formas variáveis das células, em suas posições diversas, como na direção das fibras brancas da massa cerebral, via apenas a expressão anatômica dos fatos da vida intelectual". Na área puramente clínica, publicou em 1890 o texto das suas Conferên­cias sobre a psiquiatria, e é a ele que se deve a descrição da amentia, equivalente na noso­grafia alemã da nossa "confusão mental".

De maio a setembro de 1883, Freud se ligou ao serviço hospitalar de Meynert, que lhe demonstrou simpatia e em cujo laborató­rio trabalhou até 1886. Posteriormente, a oposição doutrinária acarretaria uma ruptura total entre ambos.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.