MICHÉA, Claude-François (1815-1882)

Nascido a 14 de março de 1815 em Seurre (Côte-d'Or), Michéa estudou medicina em Paris, defendeu em 1837 uma tese sobre as alucinações e fixou-se definitivamente na ca­pital. Foi residente na Casa de Saúde Saint-­Marcel-Sainte-Colombe, fundada em 1770, na rue de Picpus, nº 10. Ali, seria médico-ad­junto e depois um dos diretores. Em 1876, retirou-se para a sua Borgonha natal e morreu em Dijon a 18 de junho de 1882.

Michéa redigiu muitos trabalhos sobre te­mas clínicos, terapêuticos, e até biológicos, como Investigações clínicas sobre o sangue nas neuroses; Sobre um caso de histeria com análise química do sangue e da urina; Da análise do sangue na mania (1848). Também foi autor de um Tratado prático, dogmático e crítico da hipocondria (1845), afecção que considerava como "uma das numerosas es­pécies da monomania triste ou lipemania", conseqüência de um medo intenso da morte. Escreveu o Delírio das sensações (1846), obra em que expressava a idéia de que os órgãos dos sentidos eram o ponto de partida das alucinações.

Ao seu gosto pela erudição histórica, de­vemos ainda uma "Galeria de celebridades médicas do Renascimento" (Cornelius Agrippa, Paracelso, André Vesálio, Jean Wier, J.B. von Helmont), publicada entre 1842 e 1846, na Gazette Médicale. Foi o primeiro arquivista-tesoureiro da Sociedade Médico-Psicológica.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.